O Engenheiro de Software está cada vez mais valorizado e requisitado no mercado de trabalho. Confira o que faz, quanto ganha e qual a formação necessária para se tornar um profissional da área.

A área de Engenharia de Software vem se destacando cada vez mais no mercado de trabalho, haja vista a constante expansão de aparelhos como smartphones. Com isso, o engenheiro com formação nessa área vem sendo mais valorizado, pois ele é o responsável pelo desenvolvimento e criação de aplicações, programas computacionais e softwares em geral.

Com cerca de 14 mil empresas atuando no setor de Tecnologia da Informação no Brasil, o mercado de trabalho para o engenheiro de software está bastante aquecido. Dessa forma, a demanda pelo curso de formação superior nesta área vem crescendo a cada ano que se passa, assim como as oportunidades no mercado de trabalho.

O que faz um engenheiro de software?

O engenheiro de software tem como principal responsabilidade o desenvolvimento de software e programas computacionais como, por exemplo, aplicativos para smartphones. Com isso, o mesmo é capaz de projetar e testar novos programas, sendo que também faz parte de suas atribuições à manutenção e revisão de programas em geral. A quantidade de programas é bastante vasta e vai desde aos aplicativos, jogos e plataformas digitais até mesmo aos sistemas embarcados e específicos como é o caso de bancos de dados médico e bancário.

A grande dúvida é quanto à diferença entre um engenheiro de software, cientista da computação e engenheiro da computação. Muita gente acha que são a mesma coisa. O cientista da computação atua em áreas mais teóricas como é o caso da criação de modelos matemáticos, algoritmos além da formação lógica de processos que são integrados a aplicativos e dispositivos eletrônicos e mecânicos. Já o engenheiro da computação está diretamente ligado à área de hardware, sendo sua principal atribuição desenvolver e construir computadores, peças de computadores e hardwares em geral.

Formação Acadêmica

A formação acadêmica desse profissional é, sem sombra de dúvidas, um dos pontos mais interessantes dessa carreira. Sendo o curso da área de exatas, o aluno da graduação será submetido aos cursos básicos de física e matemática do ensino superior. Dessa forma, em seus primeiros períodos o mesmo será familiarizado com tópicos de Cálculo Diferencial e Integral além do curso de Física Básica. Além disso, tópicos básicos da área profissional como, por exemplo, algoritmos e programação de computadores, métodos numéricos, teoria da eletrônica também irão acompanhar o estudantes em seus primeiros anos de faculdade.

Após o ciclo básico, que dura cerca de dois anos, o aluno passará a cursar as cadeiras mais específicas do curso. Sendo assim, disciplinas como métodos de desenvolvimento de softwares, arquitetura de computadores, estruturas de dados e algoritmos, sistemas de bancos dados, técnicas de programação dentre outras disciplinas farão parte de sua grade curricular.

Média salarial

Outro fator que vem impulsionando a área de engenheira de software é a remuneração dos profissionais. Mesmo trabalhando em pequenas empresas, dificilmente um recém-formado neste curso ganhará menos de R$ 3.000,00. Segundo o site Love Mondays, a média salarial desse profissional é de R$ 8.790,0 por mês. Saiba que o salário cresce de acordo com o porte da empresa, bem como a experiência e o currículo do engenheiro. Um engenheiro sênior em uma grande companhia ganha acima de R$ 15.000,00.

Por Bruno Henrique

Engenheiro de Software

Confira outras Carreiras Promissoras para o ano de 2018:

Cientista de Dados

Estatístico

Gerontologia

Gerente Comercial


Saiba o que faz o Gerente Comercial, quanto ganha e quais as habilidades necessárias para atuar na área.

Em linhas gerais, o Gerente Comercial é o profissional que fica a cargo de fazer o gerenciamento das vendas e das operações de uma determinada empresa. Suas atribuições são muito amplas e variam de uma situação para outra. Entre elas está a criação e implantação de estratégias com o objetivo de aumentar o faturamento e qualidade dos serviços de uma organização.

Esse profissional também poderá realizar treinamentos constantes com equipes da empresa visando o aprimoramento dos serviços e atividades. Além disso, ele também é responsável por administrar a equipe de vendas, por definir qual o capital de giro necessário para que as operações possam ser mantidas e por fim, também realiza análises referentes a perfis de clientes assim como de concorrentes.

Profissão de Gerente Comercial – Qual é a média salarial?

No Brasil, a média salarial de um gerente comercial fica na faixa dos R$4.500. Entretanto, vale lembrar que os salários podem (e geralmente) oscilam de uma região para outra. Outro fator que pode influenciar o salário é o campo de atuação da empresa na qual esse profissional estará exercendo suas funções.

Profissão de Gerente Comercial – Mercado de trabalho

Talvez, essa seja uma das poucas profissões que conseguem manter um crescimento representativo mesmo quando há uma grave crise econômica no país. E devido ao fato de que é uma área significativa para as empresas e por estar em franca expansão o mercado de trabalho acaba se tornando muito exigente. Uma das melhores formas de se destacar entre os concorrentes e consequentemente conseguir oportunidades de emprego melhores é sempre realizar cursos de especialização na área.

Profissão de Gerente Comercial – Habilidades importantes e características especiais

O gerente comercial, para estar perfeitamente apto a desempenhar suas funções de forma eficiente precisa aprender a ter um espírito de liderança e de trabalho em equipe muito ativo. Com isso, ele será capaz de sempre manter sua equipe motivada além de estimular cada vez mais seus subordinados. Uma boa comunicação também é imprescindível já que deverá negociar com cliente assim como com seus colegas de trabalho. Entre as características essenciais para essa função podemos destacar responsabilidade, capacidade de análise e decisão e determinação.

Por Denisson Soares

Gerente comercial

Confira outras Carreiras Promissoras para o ano de 2018:

Cientista de Dados

Estatístico

Gerontologia


A Gerontologia é uma das áreas da Medicina que mais irá crescer nos próximos anos. Confira as principais informações sobre a profissão.

Nos últimos anos, o Brasil está passando por uma nova fase quando se refere à sua população. Isto é, analogamente ao fenômeno que já ocorreu em países desenvolvidos como Estados Unidos, Canadá bem como outras nações da Europa, agora é a vez do Brasil entrar na fase de transição da pirâmide etária.

Para quem não sabe, a pirâmide etária é um gráfico cuja finalidade é representar a quantidade de pessoas que nascem e morrem. A base é formada por aqueles que nasceram, já o topo demonstra, em média, com qual idade as pessoas morrem.

Desse modo, o topo da pirâmide etária brasileira está sofrendo um alargamento, algo muito positivo a julgar pela qualidade de vida dos brasileiros (que melhorou desde a década de 60). Contudo, para atender bem aqueles que chegam em idades mais avançadas, é necessário um conjunto de mudanças em várias áreas da sociedade, principalmente na medicina.

Sendo assim, os profissionais da saúde em formação ou aqueles que estão interessados em fazer especialização na área podem investir na área da gerontologia, pois de acordo com o avanço do envelhecimento da população brasileira, até 2018 haverá a necessidade de mais atendentes nesse campo de atuação.

Agora, vamos entender melhor o que é a gerontologia, como atua o especialista dessa área e, em especial, trataremos da geriatria e o que faz um geriátrico.

Basicamente, a Gerontologia é uma área que envolve vários profissionais da saúde como fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e geriatras. O objetivo maior é prevenir ou tratar os danos causados ao corpo ao longo dos anos.

Os profissionais da Gerontologia precisam possuir o diploma de graduação na área de atuação, mais a especialização em geriatria. A remuneração é, em média, cerca de R$ 3.000 mensais.

O geriatra que trabalha nesse campo de prevenção e recuperação precisa ter o diploma acadêmico de medicina bem como a residência médica em geriatria. O salário pode variar entre R$ 3.000 e R$ 5.000.

Os profissionais da área de Gerontologia podem trabalhar tanto em hospitais, na recuperação de pacientes que, de alguma forma, estão tendo seus corpos modificados pela ação do tempo, sendo visto como um processo natural e positivo. Mas também podem atender em clínicas, consultórios, asilos, e domicílio.

A gerontologia já é considerada uma das mais promissoras dentro da área da saúde ao longo dos próximos anos, perdendo apenas para os profissionais da ala obstétrica e pediátrica.

Por Sirlene Montes

Gerontologia

Confira outras Carreiras Promissoras para o ano de 2018:

Cientista de Dados

Estatístico


Confira o que faz um profissional da área de Estatística, quanto ganha e qual a formação acadêmica necessária.

Uma das áreas fundamentais quando o assunto é a coleta de dados, bem como interpretação dos mesmos e aplicação prática é a estatística. Vale destacar que o profissional desse ramo vem sendo bastante valorizado nos últimos anos devido à expansão do mercado de trabalho relacionado à estatística. Com grandes oportunidades tanto no setor privado como no serviço público, a demanda por profissionais com formação superior em estatística é considerável.

Outro detalhe interessante é que praticamente todas as universidades públicas, bem como instituições de ensino superior privadas, contam com esse curso disponível. Confira na continuação desta matéria mais detalhes do profissional da estatística, uma das carreiras promissoras para 2018.

O que faz?

Primeiramente, é importante destacar que a estatística é um dos ramos da matemática aplicada. Dessa forma, o estatístico irá usar técnicas e métodos matemáticos com o objetivo de coletar, analisar e interpretar dados numéricos visando encontrar informações detalhadas no estudo de fenômenos econômicos, naturais e sociais.

Portanto, o estatístico é o profissional responsável pela coordenação e apuração de informações através de entrevistas, medições e questionários que irão trazer uma série de informações e dados. Tais informações e dados serão “decifrados” pelo estatístico. Após uma análise profunda de tais informações, o profissional irá interpretar os dados obtidos para explicar diversos tipos de fenômenos e criar bancos de dados relacionados aos mesmos de forma a utilizá-los nas mais diversas aplicações.

Formação Acadêmica

Sendo um curso da área de exatas, especificamente matemática aplicada, o curso de estatística é recheado de cadeiras de matemática, física, programação e física. Em seus primeiros períodos na faculdade, durante o chamado ciclo básico, o aluno terá contato direito com as disciplinas que irão fornecer os conhecimentos básicos necessários para sua formação profissional. Com isso, o mesmo irá cursar disciplinas como, por exemplo, Cálculo Diferencial e Integral, Introdução a Probabilidade e a Estatística, Introdução à Programação, Desenvolvimento de Algoritmos, Álgebra Linear e Tecnologia da Amostragem.

No chamado ciclo profissional, o estudante irá cursar as disciplinas específicas do curso. Cadeiras como Banco de Dados para Estatística, Aprofundamento em Probabilidade, Inferência Estatística, Processos Estocásticos, Análise Estatística e Planejamento e Pesquisa são algumas das disciplinas cursadas nesta fase.

O curso possui duração média de 4 anos e, na grande maioria das universidades e faculdades que ofertam o mesmo, a duração máxima é de 8 anos.

Média Salarial

No início da sua carreira, a média salarial do estatístico pode variar de R$ 2.000 a R$ 3.000. Nas universidades, docentes com mestrado já ganham algo em torno de R$ 4.000,00 no escalão inicial. Já no escalão intermediário a média passar a ser de R$ 3.000 a R$ 5.000, sendo que em empresas de grande porte esse valor pode chegar a R$ 6.000. No auge da carreira um estatístico pode ganhar acima de R$ 15.000. O auge da carreira é atingido, em média, após 15 anos da graduação.

Por Bruno Henrique

Estatistica

Confira outras Carreiras Promissoras para o ano de 2018:

Cientista de Dados


Saiba o que é um Cientista de Dados, qual formação necessária para ser um profissional, média salarial e onde pode trabalhar.

A maioria dos jovens estudantes antes de ingressarem em uma universidade possuem muitas dúvidas em relação a que carreira escolher. Diante de tantas possibilidades a dúvida realmente pode ser grande, pois existem as carreiras que oferecem os melhores salários, tem também aquelas que se tem alguma afinidade, outras que são carreiras de tradição de família e também as carreiras novas que têm ganhado muito espaço no mercado de trabalho. Dentre elas, citamos o Cientista de dados, que já é um profissional muito requisitado, porém muita gente ainda não conhece.

Se você já ouviu falar em Cientista de Dados e ainda não faz ideia de que se trata esse profissional, saiba que esta profissão possui uma grande abertura no mercado de trabalho e também recebe ótimos salários.

– O que é um Cientista de Dados?

Um Cientista de Dados é um especialista analítico que possui habilidades técnicas que são utilizadas na resolução de problemas mais complexos. Esse profissional é composto por conhecimentos matemáticos, de ciência da computação e conhecem sobre tendências. Sem dúvidas são profissionais completos que fazem a diferença nas empresas em que atuam, por dominarem áreas tão importantes nos tempos de hoje.

– Como obter uma formação de Cientista de Dados?

Existem poucas universidades que oferecem essa graduação, sendo que no Brasil ainda não há nenhuma. Contudo, se a universidade oferecer em sua grade curricular aulas de Ciências de Dados e analytics, já se pode ter a noção necessária para desempenhar a função.

– Quanta ganha um Cientista de dados?

Um profissional que exerça essa função pode possuir uma remuneração a partir de 9 mil reais, podendo chegar até 25 mil por mês. Isso vai depender da empresa em que esteja contratado e do volume de dados com os quais tenha que lidar.

– Em que empresa pode trabalhar um Cientista de Dados?

As empresas que contratam este tipo de profissional geralmente são aquelas que possuem grandes quantidades de dados para gerenciar e que possuem problemas nesse sentido. Geralmente são empresas farmacêuticas, governamentais e financeiras. Empresas comprometidas que saibam a importância que um profissional deste tipo pode ter para desenvolver soluções que realmente irão fazer a diferença nos negócios.

Por Sirlene Montes

Cientista de dados


O profissional formado em Nutrição poderá atuar em diversas áreas, sendo elas nutrição esportiva, nutrição clínica, marketing nutricional, indústria alimentícia, hospitais, academias, entre outras.

Estamos já no meio do ano, época em que muitas universidades estão com processos seletivos em aberto para diversos cursos e muitos estudantes ainda não se decidiram sobre qual curso querem se graduar. Afinal, a escolha de uma profissão precisa ser analisada em vários pontos. Se você pensa em construir uma carreira na área de Nutrição/Nutricionista, continue lendo este artigo, pois aqui lhe apresentaremos algumas informações importantes sobre a carreira.

O profissional graduado como Nutricionista exerce atividades que estejam voltadas a manutenção, promoção e recuperação da saúde do paciente, através da alimentação. Ou seja, após uma análise, através de exames e de entrevista com o paciente, o nutricionista prescreve dietas nutricionais, indica suplementos, ou ainda pode atuar em empresas, escolas ou restaurantes, cuidando da qualidade nutricional dos alimentos utilizados.

– Possíveis áreas de atuação: nutrição esportiva, nutrição clínica, marketing nutricional, indústria alimentícia, hospitais, academias, entre outras.

Para se tornar um Nutricionista é preciso realizar curso universitário (que dura em média 4 anos) e assim conseguir o diploma de Bacharel, além de registro no CRN.

– Mercado de Trabalho: Ao analisarmos as áreas de atuação notamos que o mercado oferece boas oportunidades para este profissional, que além de todas as áreas citadas acima ainda pode atuar em escritório próprio. Em tempos em que ocorre um despertar global para a qualidade de vida e o mundo fitness, a questão da nutrição é extremamente importante e os bons profissionais dessa área tendem a se destacar no mercado.

– Remuneração de um Nutricionista: o piso salarial de um profissional da Nutrição pode variar de acordo com a sua região de atividades. Outro fator que também pode fazer com que haja uma diferença entre valores, é o fato de este profissional possuir especializações, possuir experiência, títulos e também pode variar com a área que ele atua.

Nesse sentido, o piso nacional da carreira de Nutricionista é no valor de R$ 2.389, para uma carga horária de 44 horas por semana.

Se for atender por hora, o valor é de R$ 89.

Já em Clínicas médicas a consulta é de R$ 118.

E por último, para atendimentos domiciliares a consulta com o nutricionista deve custar R$ 178.

É importante ressaltar que esses valores servem como uma referencia nacional, que podem ser modificados.

Por Sirlene Montes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Tradutor

Torneiro Mecânico

Técnico em Radiologia

Veterinário


Lista é feita pela Careecast e cita as profissões menos favoráveis do ano passado.

Uma pesquisa americana realizada pela Careecast revelou quais foram as profissões menos favoráveis no passado. A pesquisa também revela quais profissões tem o maior ou menor potencial de crescimento ou de redução do número de vagas no acirrado mercado de trabalho. O ranking é bastante completo e reúne 200 profissões em diversas áreas de atuação, que foram divididas em renda, chances de ascensão e nível de estresse. Lembrando que a pesquisa é americana e todos os dados apurados correspondem ao mercado de trabalho do país e não do Brasil, mas serve como base para todos que ainda não se decidiram sobre qual profissão escolher.

Nos primeiros colocados da lista aparecem os profissionais que trabalham na mídia. Apresentadores de rádio e jornalistas ocupam o segundo lugar, devido a crise que o setor está passando e a disseminação dos veículos que tem foco na internet. A estimativa de crescimento para um repórter de jornal ou um apresentador de rádio ou TV é de -8% e -9%, respectivamente.

No terceiro lugar aparece a profissão de lenhador, com perspectiva de crescimento de -4%. A profissão teve acentuado declínio com o desenvolvimento da indústria.

Em quarto lugar, a profissão de soldado militar também está defasada, com estimativa de crescimento nula. Na quinta colocação está a profissão de aplicador de pesticida, com estimativa de crescimento de -1%. Com o desenvolvimento de técnicas mais apropriadas para o combate de pestes, a profissão é quase inexistente no país.

Por incrível que pareça, em sexto lugar, a profissão de DJ, com estimativa de crescimento de -11% é umas das profissões menos promissoras na terra do Tio Sam. Em sétimo lugar está o vendedor de publicidade, com perspectiva de crescimento de – 3%. Isso também se deve por causa da disseminação da internet, que é um meio mais rápido, com baixo custo e mais eficiente.

Em oitavo lugar está a profissão de bombeiro, com estimativa positiva de 5%, devido ao grande aumento da demanda de serviço em todo o país.

O vendedor de varejo ocupa o nono lugar com estimativa de 7% e o décimo lugar, que é a profissão mais promissora de todas, é a de taxista, que tem perspectiva de crescimento de 13% nos próximos anos.

Rodrigo Souza de Jesus


O Diplomata representa o país para qual trabalha em diversas federações ou até mesmo em instâncias internacionais em várias áreas do conhecimento.

Em determinado momento que haja uma questão muito delicada a ser tratada entre os governos de países distintos, como vem sendo muito comum atualmente, a situação geralmente é tratada por intermédio uma questão de diplomacia. Entretanto, o diplomata realiza atividade que vão mais além de apenas solucionar determinados tipos de impasses. O profissional que segue a carreira diplomática tem a responsabilidade de representar o país para qual trabalha em diversas outras federações ou até mesmo em instâncias internacionais em várias áreas do conhecimento, como: política, cultural, administrativa, ambiental, consular, econômica, entre diversas outras.

No Brasil, para que seja assegurada a diversidade nas funções e atividades prestadas que são de responsabilidade de um diplomata, então, qualquer cidadão que possua diploma de formação em nível superior tem o direito de prestar a avaliação do Instituto Rio Branco, o qual faz a aplicação do Concurso de Admissão para selecionar cidadãos para a Carreira Diplomática do Itamaraty, que no nosso país é o ministério das Relações Exteriores. Desta forma, é muito comum que em sua equipe diplomática o país conte com profissionais que são jornalistas, médicos, engenheiros, economistas, administradores, historiadores, entre vários outros, pelo fato de ser uma carreira multidisciplinar.

Uma outra confusão que é bem comum com relação a carreira de diplomata é sobre o cargo de embaixador. Este está entre um dos postos mais altos de atuação na carreira de diplomacia, área que possui diversas funções com hierarquias. No momento em que uma determinada pessoa é aprovada no concurso, se torna um diplomata no cargo de Terceiro Secretário. Sendo que, de acordo com o aprimoramento de suas atividades realizadas, o mesmo tem a possibilidade de ir passando para os próximos estágios, os quais são: Ministro de Primeira Classe, Ministro de Segunda Classe, Conselheiro, Primeiro Secretário e Segundo Secretário, sendo que estão referidas aqui do cargo mais elevado para o mais baixo. O cargo maior, o ministro de Primeira Classe, pode até ser indicado pelo atual presidente da República para que o mesmo assuma as cadeiras de Cônsul-Geral ou então de Embaixador.

O salário para essa carreira chega próximo dos 30 mil reais mensais.

Por Filipe Silva

Diplomata

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Torneiro Mecânico

Técnico em Radiologia

Veterinário

Tradutor


O Técnico Operacional executa manutenção corretiva e preventiva de máquinas.

O Técnico Operacional é responsável por executar manutenção corretiva e preventiva de máquinas. Além disso, faz revisão de peças internas mecânicas e hídricas, realizando teste para checagem de seu funcionamento. Nesse sentido, preza pelo bom desempenho e qualidade desses equipamentos, mantendo-os em ordem para operação diária em empresas, indústrias e fábricas. Por essa razão, é uma área que apresenta inúmeras possibilidades de atuação e especialidades em todo o país.

  • Formação acadêmica

Esse profissional deve ter curso técnico em qualquer uma dessas áreas:

· Análises Químicas

· Automação industrial

· Construção Naval

· Eletricidade

· Eletrônica

· Eletroeletrônica

· Eletromecânica

· Eletrotécnica

· Manutenção automotiva, de aeronaves, máquinas navais ou máquinas pesadas

· Mecânica geral e em áreas, como: aeronaves, precisão e fabricação.

· Mecatrônica

· Metalurgia

· Metrologia

· Química e Petroquímica.

· Entre outras semelhantes

Os cursos citados têm duração média de dois anos e podem ser feitos em todo o país, nas modalidades: presencial, semipresencial ou a distância. Também podem ser feitos juntamente, de modo separado ou após o Ensino Médio. O Senac é uma das instituições que mais oferece qualificação para esse nível educacional no Brasil.

  • Mercado de trabalho e média salarial

O mercado de trabalho para esse setor é bastante amplo, de forma que o Técnico Operacional pode atuar em empresas ou órgãos privados ou públicos. Desse modo, é Pode, ainda, ser contratado como efetivo ou prestador de serviços.

Outra possibilidade é trabalhar em empresas como a Petrobrás, que costuma abrir concurso para o cargo. Nesse caso, seu salário pode ser de R$4.100 a R$10.100.

De maneira geral, a média de remuneração para Técnico Operacional Júnior é em torno de R$4.700.

Além disso, é um setor que possui grande demanda no país, portanto com maior possibilidade de ser contratado rapidamente. Também há amplas chances de realizar estágio ainda durante o período em que estiver fazendo curso técnico em uma das áreas citadas. Adiante, pode inclusive obter formação superior em áreas ligada à engenharia, que também possuem alto índice de contratação e concursos no Brasil.

Assim, ser Técnico Operacional apresenta diversas vantagens, como: formação rápida, salários relativamente altos e grande potencial de contratação imediata. Quem gosta das áreas citadas não pode perder a oportunidade de se qualificar o quanto antes.

Pretende atuar como Técnico de Operação? Em qual área?

Por Camilla Silva

Técnico Operacional

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Torneiro Mecânico

Técnico em Radiologia

Veterinário

Tradutor


O Tradutor pode atuar com diversos nichos de mercado.

No âmbito nacional e internacional, a área de tradução tem crescido bastante. Se você tem domínio da língua portuguesa e é fluente em algum idioma estrangeiro, pode seguir a carreira de tradutor.

A atuação desse profissional se refere tanto à comunicação escrita, quanto oral. O tradutor pode transcrever contratos, documentos, livros, artigos científicos e notícias de um idioma para outro. Ele também pode ser intérprete em conferências e eventos ou realizar a mediação na comunicação entre pessoas que não falam a mesma língua.

Esse profissional pode também trabalhar na área de multimídia, com tradução de textos para dublagem ou legendagem de filmes, jogos, aplicativos, videogames e software. Outra alternativa é ser juramentado, isto é, tradutor público e oficial. Há ainda a possibilidade de assumir uma função em órgãos do Governo, consulados, embaixadas, ONG, veículos de imprensa e empresas multinacionais. Também é possível trabalhar como freelancer ou ter o próprio escritório de tradução.

Essa profissão ainda não é regulamentada no Brasil e, por isso, não é exigido diploma para ser tradutor. Porém, os cursos de nível superior como Letras e Tradução podem facilitar na formação do estudante. Além disso, há cursos de extensão na área tanto presenciais, quanto a distância. Assim, com exemplos e exercícios sendo abordados durante a formação, os alunos conhecem mais a respeito do mercado de trabalho e podem se tornar profissionais tradutores e qualificados.

Há oportunidades para diversos idiomas, entre eles o italiano, espanhol, francês e alemão. Todavia, a maior demanda no mercado é para traduções em inglês.

Como o tradutor trabalha sob demanda, dificilmente receberá um salário fixo. Mas no mercado, o ganho médio é de R$ 2.275. O Sindicato Nacional de Tradutores (SINTRA) divulga todos os anos uma tabela de valores como parâmetro para a cobrança desses serviços.

Confira algumas atividades e os respectivos valores:

  • Transcrição de áudio em português com edição de texto: R$ 656.
  • Transcrição de áudio em idioma estrangeiro com edição de texto: R$ 822.
  • Redação de sinopse do filme por lauda de 1250 caracteres: R$ 250.
  • Interpretação simultânea em conferências: R$ 1.700.
  • Tradução literária por lauda com 30 linhas: R$ 34.
  • Legendagem com roteiro original completo: R$ 28 por 15 minutos.
  • Dublagem com roteiro original completo: R$ 56 por 15 minutos.

O montante pode variar conforme a região do país e por tradutor. Aqueles com mais preparo, vivência internacional e especialistas em um nicho podem faturar mais.

Por Melisse V.

Tradutor

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Torneiro Mecânico

Técnico em Radiologia

Veterinário


Informações sobre a carreira de Médico Veterinário.

A veterinária é uma área indicada geralmente para quem se afeiçoa por animais. É muito comum ver crianças e pré-adolescentes que sonham em ser veterinários, justamente pelo gostar que nutrem por seus bichinhos de estimação.

O fato de lidar com animais, não diminui a responsabilidade de estar numa área clínica e biológica. Uma área médica envolve muitos conhecimentos anatômicos, além de ser de grande peso que a saúde e até a vida de um ser vivo dependa de um diagnóstico e tratamento acertado.

Ao contrário da ideia usual das pessoas, o médico veterinário não cuida apenas da saúde de animais domésticos, mas também de animais silvestres e todas as outras classificações possíveis. Existem especializações dentro da profissão, isto é, o profissional pode escolher atuar em uma área específica como cirurgia, odontologia, oftalmologia, entre outros.

Como formar-se em veterinária:

Para ser um médico veterinário, é necessário ser aprovado no curso de graduação em medicina veterinária. Feito isso, é necessário cadastrar-se no Conselho Nacional de Medicina Veterinária.

A grade do curso é composta por disciplinas como: clínicas médica e cirúrgica, fisiologia, embriologia dos animais, histologia, parasitologia, biofísica, genética, imunologia, etc.

Áreas de atuação:

Entre as áreas de atuação do médico veterinário estão: clínica, sanidade animal, ecologia, produção animal, fábricas de produtos destinadas aos animais e tecnologia da produção. A área clínica, por exemplo, é onde estão localizados os atendimentos de animais domésticos e os processos cirúrgicos, enquanto a sanidade animal cuida a área onde se realiza a prevenção e controle de infecções e doenças.

As atividades principais de um médico veterinário incluem a gestão de clínicas voltadas para o atendimento de animais, além da realização de consultas. Os veterinários também fazem necropsia para noticiar causa da morte do animal e tocam pesquisas da área, além de também oferecer suporte aos donos os animais, orientando-os nos cuidado adequado. Processos de produção também podem ser supervisionados por veterinários.

A média salarial de um médico veterinário pode variar muito de acordo com as funções exercidas e carga horária, mas um veterinário que faça concurso para médico veterinário fiscal, pode ganhar cerca de 5.760 reais para trabalhar 40 horas semanais.

Por Carolina B.

Veterinário

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Torneiro Mecânico

Técnico em Radiologia


O Técnico em Radiologia opera e prepara equipamentos de diagnóstico de imagem de Raio-X.

O Técnico em Radiologia tem como função operar e preparar equipamentos de diagnóstico de imagem de Raio-X. Além disso, prepara ambiente e pacientes para realização desse trabalho, que envolve o uso de substâncias químicas, meios de contrastes radiológicos e conhecimento de radioproteção. Por isso, lida com exames do tipo: mamografia, tomografia e ressonância magnética. Seu trabalho é de muita importância, pois é através disso que médicos e veterinários conseguem, muitas vezes, detectar doenças ou traumatismos.

Porém, pode também atuar no setor industrial, em que rastreia tubulações e estruturas metálicas de edifícios e equipamentos, visando à correção de defeitos. Enquanto na indústria farmacêutica, trabalha em conjunto com outras áreas na operação de fontes radioativas, para esterilização de alimentos e medicamentos.

Formação Acadêmica para Técnico em Radiologia

Para atuar como Técnico em Radiologia, há duas opções de qualificação: curso técnico e graduação tecnológica (nível superior). O primeiro pode ser feito de maneira mais rápida, ou seja, com uma média de dois anos. Seu objetivo é a formação mais voltada para realização mais prática do trabalho. Já o segundo, é um pouco mais aprofundado e possui disciplinas relacionadas à gestão na área. Sua duração é de aproximadamente três anos e meio. Para sua conclusão, é necessário fazer estágio e elaborar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Após isso, o profissional poderá fazer, inclusive, cursos de pós-graduação.

Perfil profissional

Para atuar como Técnico de Radiologia é importante gostar de aspectos ligados à Medicina, Biologia e Química, pois lidará tanto no momento de qualificação quanto no dia a dia de trabalho com essas áreas de maneira direta ou indireta.

Mercado de trabalho e média salarial

Com os avanços no campo da Medicina, há grande demanda por Técnicos em Radiologia, especialmente em setores ligados à saúde. Por esse motivo, podem atuar em:

· Hospitais.

· Laboratórios e ambulatórios.

· Clínicas de Radiologia, odontologia ou diagnóstico de imagens para diversos setores.

· Centros de pesquisa.

· Universidades.

· Órgãos fiscalizadores e de perícia.

· Indústrias farmacêuticas, alimentícias ou de equipamentos de radiologia.

O profissional pode trabalhar como contratado em empresas privadas ou até mesmo como concursado em órgãos públicos. Sua média salarial é bastante variável, indo desde R$1.230 (inicial/júnior) até R$3.100 (ampla experiência).

Vale lembrar que, muitas vezes, o cargo pode ser bastante repetitivo, e deve-se ter cuidados redobrados, devido ao contato constante com radiação. Por essa razão, o profissional da área deve trabalhar até no máximo 24 horas semanais.

Pretende atuar com Técnico em Radiologia? Diga nos comentários!

Por Camilla Silva

Técnico em Radiologia

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem

Técnico em Informática

Turismólogo

Torneiro Mecânico


O profissional trabalha com torno mecânico. Quem deseja trabalhar na área deve gostar de fazer trabalhos manuais e relacionados à mecânica.

O Torneiro Mecânico é responsável por trabalhar com o torno mecânico, uma máquina usada para fabricação de peças por meio de materiais, como metal, madeira ou plástico. Sendo assim, o papel desse profissional é o de preparar, ajustar, limpar, organizar e operar essas peças e outras partes de ferramentas e equipamentos diversos. Ainda, pode realizar leitura e interpretação de desenhos, usinagem e polimento de peças feitas de inox ou metal não ferroso.

  • Perfil profissional

Quem deseja trabalhar na área deve gostar de fazer trabalhos manuais e relacionados à mecânica. Também é importante gostar de fazer cálculos e uso de normas técnicas, pois lida diariamente com produção e seu controle. Além disso, é uma área que exige constante capacitação.

  • Formação educacional do Torneiro Mecânico

Para se tornar Torneiro Mecânico, não é obrigatório ter formação específica. No entanto, empresas costumam contratar pessoas que tenham qualificação ou capacitação na área. Dessa forma, há vários cursos voltados para o tema, inclusive na modalidade técnica. Geralmente, estão disponíveis em instituições de ensino como o Senai ou Senac, em que há ofertas para que sejam feitos de forma paga ou gratuita (através do Pronatec). A duração do curso técnico é de aproximadamente dois anos. Nesse caso, é importante ter concluído ou estar cursando o Ensino Médio.

Também é possível aprender mais sobre a profissão por meio de cursos on-line, que abordam o tema, visando desenvolver conhecimentos específicos da área de maneira mais rápida e menos detalhada do que um curso técnico, que oferece mais possibilidades de atuação.

  • Mercado de trabalho e média salarial

O setor possui bastante demanda, principalmente em indústrias, usinas e metalúrgicas.

Então, as chances de se conseguir emprego como Torneiro Mecânico são bastante elevadas, principalmente se comparado com o tempo de qualificação técnica, que é relativamente curto. É, inclusive, uma das áreas que mais se contrata no Brasil. Segundo o site da Catho, o estado de Minas Gerais é o que mais procura por esse tipo de mão de obra, seguido de São Paulo e Paraná.

Já a média salarial do cargo é de R$2.135, podendo chegar a até quase R$3.800, quando o profissional tem ampla experiência. Para isso, é essencial sempre buscar estudos complementares, que possam aperfeiçoar seu trabalho e contribuir com a melhora de sua remuneração.

Está interessado em se tornar torneiro mecânico? Pretende se qualificar na área?

Por Camilla Silva

Torneiro mecânico



O Técnico em Informática pode atuar em empresas ou como autônomo, tendo um amplo mercado de atuação.

O técnico em informática é responsável por montar e realizar manutenção de computadores tanto de forma corretiva quanto preventiva. Também faz configuração de redes e softwares; instala aplicativos e programas adequados, corrigindo erros e fazendo atualizações seguras. Dessa forma, preza pelo bom uso de computadores e notebooks em instituições, residências e empresas em geral.

Formação acadêmica

Para atuar na área, não é obrigatório ter algum diploma específico, mas é necessário ter amplo conhecimento de hardware e software de computares, além de noções de inglês e tecnologias. Por outro lado, no mercado de trabalho há maior chance de se destacar quem possui algum grau de instrução específico, como o curso de Técnico em Informática ou graduação na área de computação ou sistemas de informação.

No país inteiro, há cursos direcionados para a área desde a modalidade presencial quanto a distância. Assim, quem pretende se qualificar para ser um técnico de informática pode ter acesso a diversas opções de estudo: cursos livres, graduação, tecnólogo ou técnico.

Mercado de trabalho e média salarial

Esta é uma área que possui amplo mercado e bastante oferta de emprego, pois, com os avanços tecnológicos, aumenta-se a demanda por profissionais da área. Mas deve-se sempre estar de olho em qualificações e constantes mudanças que sempre ocorrem a cada ano no ramo. Além disso, há alta concorrência para esse tipo de trabalho, uma vez que não é necessário diploma para atuar como técnico em informática.

A média salarial do técnico de informática é de R$1.480,00, quando se trata de trabalho efetivo em empresas e instituições. No entanto, esse profissional pode atuar como prestador de serviços para diversos ramos e clientes individuais. Por essa razão, sua base salarial pode ser considerada como variável.

Nesse caso, é muito importante que quem atue nessa área seja uma pessoa extremamente ética, pois lida diariamente com dados confidenciais de pessoas e empresas para quem trabalha. Além do mais, prezar pela segurança dessas informações é uma de suas principais tarefas. A disciplina e pontualidade na entrega de trabalhos realizados são atributos considerados de extrema importância, quando se trata desse tipo de profissional.

Tem interesse em ser técnico de informática? Pretende realizar algum curso na área?

Por Camilla Silva

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações

Técnico em Enfermagem


O Técnico em Enfermagem atua na área da saúde tendo diversas funções ao seu encargo.

O curso de técnico em enfermagem é uma opção bastante atrativa para quem tem ensino médio completo e sonha em trabalhar na área de saúde, que tem um mercado com muitas oportunidades de emprego.

Os cursos técnicos habilitam profissionais que são rapidamente inseridos no mercado de trabalho, com formação de curta duração. No caso da enfermagem, que visa dar assistência a pacientes, o estudante cursa aulas entre 1 ano e 8 meses e 2 anos. É importante saber que, para concluir e obter o certificado, o estágio é obrigatório e possui, em média, 600 horas.

Confira algumas disciplinas estudadas durante o curso técnico: Saúde Coletiva, Microbiologia e Parasitologia, Clínica Médica, Anatomia e Fisiologia Humana, Fundamentos de Enfermagem, Saúde do Idoso, Farmacologia, Enfermagem Cirúrgica, Enfermagem em Emergências, entre outras.

O técnico em enfermagem pode atuar tanto em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), quanto nos centros cirúrgicos. Ele executa as ações planejadas pelo Enfermeiro. Além disso, dá assistência aos pacientes clínicos e cirúrgicos em estado grave, com cuidados de higiene pessoal, faz curativos, aplica vacinas, administra medicamentos, monitora dados vitais e mobiliza leitos.

O técnico ainda pode atender pacientes no pós-operatório, também em serviços de assistência em domicílio (home care) e, inclusive, auxiliar em trabalhos educativos sobre saúde nas escolas e nas comunidades.

Alguns dos requisitos exigidos do técnico é saber tratar as pessoas com atenção e cortesia, principalmente porque estão em situações sérias e delicadas.

Para trabalhar nessa área, o profissional deve ser registrado no Conselho Regional de Enfermagem (COREN) do estado em que pretende atuar.

No Brasil há cerca de 800 mil técnicos em enfermagem. Os programas do governo para atenção básica à saúde têm aumentado a oferta de emprego nesse ramo.

Não há definição de salário mínimo para essa categoria. O valor difere conforme acordos entre os estados, os empregadores e os sindicatos. A média salarial no Brasil é de R$1.900. Nos órgãos públicos a média é de R$ 2 mil. O setor administrativo paga, em geral, R$ 1.200. Já os sindicatos, associações e ONGs ofertam em torno de R$ 1.700. Os maiores salários são pagos por hospitais particulares. Nesses casos, a remuneração pode chegar a R$6.000.

Por Melisse V.

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário

Técnico em Edificações


Uma carreira de sucesso só pode ser construída sobre passos concretos, veja aqui a importância da assertividade do feedback.

O feedback é uma prática aplicada em empresas, a fim de dar um retorno para os colaboradores acerca de seu desempenho na função, ou seja, o feedback é uma análise que traz um resultado que é apresentado ao colaborador, mostrando suas áreas de desafio e seus pontos fracos, abrindo a possibilidade de que o colaborador, juntamente com a empresa, desenvolva-se.

O processo de orientação de pessoas ao aprimoramento não é instantâneo, portanto é preciso que se estipule um plano de ação para que aconteça esse crescimento: o feedback é parte essencial dele.

Devemos chamar a atenção aqui para o fato de que um simples elogio ou crítica, se for feito de forma fútil ou sem propósito, nenhum resultado trará. É importante que o aplicador do feedback esteja ciente de que o retorno deve ser construtivo.

Todos os comentários empregados devem ter relevância e pauta, apontando para um caminho de solução e afunilamento de algum comportamento ou melhoramento de algum desempenho. Um feedback mal aplicado pode gerar o constrangimento ou até mesmo humilhação de um colaborador, sem falar no descrédito que ocasionaria se assim fosse aplicado. Para que isso não aconteça, independente do seu feedback ser positivo ou negativo, você precisa assegurar-se que ele seja assertivo, ou seja, que seja claro e objetivo.

A assertividade do feedback se garantirá desde que empatia seja aplicada, além do tempo certo e reconhecimento das boas características do seu colaborador. Se você recebeu um elogio, por exemplo, analise o que aquele comentário pode acrescentar em sua vida profissional. O mesmo pensamento deve ser exercido no caso de uma crítica. Procure pensar qual foi o real objetivo daquela informação, traçar o que a empresa espera de você e a possibilidade dessa ação. Sendo assim, você deve desenvolver passos para melhorar o que for solicitado, sempre focando no retorno do acompanhamento.

Melhorar em um apontamento negativo que foi dado em um feedback ou manter a qualidade de um reconhecimento positivo, te situam como um bom profissional, pois assim, você anda parelho com as expectativas da empresa e demonstra sua capacidade pessoal de crescimento.

Por Carolina B.


Saiba como conciliar da melhor maneira a vida profissional e a vida doméstica nos dias de hoje.

Cada vez mais mulheres têm conquistado o mercado de trabalho. Num mundo completamente machista, o mundo corporativo não é diferente, mas apesar desse triste fator, é preciso reconhecer o – lento, porém constante – crescimento atual do público feminino ocupando os mais diversos cargos.

Antigamente, era comum que tarefas como cuidar da casa e das crianças fossem atribuídas às mulheres. Hoje, com o movimento feminista e o mundo globalizado, é mais fácil abrir os olhos para desvencilhar essa ideia arcaica e fundamentalmente patriarcal: lugar de mulher é onde ela quiser, seja em casa ou na empresa, ou nos dois (ou em nenhum deles).

Existe um número exorbitante de mulheres que estão devidamente posicionadas em suas vidas, de forma a lidar com a vida familiar e com a carreira, sem deixar nada em baixa. É retrógrado quem pensa que essa forma de encarar o cotidiano é excedente da capacidade feminina, pois não é.

Preparamos uma lista destinada às mulheres que naturalmente precisam lidar com a rotina estressante que é balancear todos os âmbitos da vida com certa tranquilidade.

1 – Valorize-se

Não aceite nada menos do que você merece. Tanto em casa, quanto no trabalho, saiba o seu lugar e não se diminua.

2 – Prefira a sua saúde mental

Muitas situações tendem a querer que você se submeta, de forma a anular-se em prol de alguma coisa. Repense. Nada vale a sua saúde mental. Se está havendo algum conflito, em casa ou no trabalho, pense sobre ele, se colocando em primeiro lugar, pensando qual é a forma de lidar com aquilo que não vai te prejudicar. Esses ambientes tendem a cobrar muito uma figura feminina socialmente construída que está sempre disponível, que é cuidadora e submissa. Lembre-se que isso não precisa se aplicar. Você é quem é e isso é maravilhoso.

3 – Não se preocupe em atender padrões

Você não precisa nem é obrigada a atender as expectativas alheias. Muitas pessoas, especialmente homens, especialmente homens que estão em cargos abaixo do seu, tendem a duvidar com provocações do seu “ser mulher” por não atender à figura de fraqueza e delicadeza que a mente deles pressupõe. Não se intimida. Faça seu trabalho, como for sensato, sem esquecer-se de reconhecer sua família, independente de como ela seja composta.

Por Carolina B.


O Técnico em Edificações tem competência para atuar nos setores da construção civil, sendo responsável por desenvolver projetos de edificações.

O Técnico em Edificações é o profissional que tem competência para atuar nos setores da construção civil, sendo responsável por desenvolver projetos de edificações, cabe ao profissional coordenar a execução de serviços de manutenção dos equipamentos e de instalações em edificações.

Dependendo da capacitação o profissional, poderá realizar estudos de análises das áreas onde será construída determina obra, e a partir dessa análise se encarregará de elaborar o licenciamento da obra e supervisionar a execução das diferentes etapas da construção. O técnico em edificações pode trabalhar em parcerias com outros profissionais como os arquitetos na execução de projetos. O profissional pode assinar projetos de até 80m², porém deverá estar registrado no conselho regional, essa atividade esta legalizada pelas Resoluções nº 262/79 e nº 278/83 e pelo Decreto Federal nº 90.922/85.

O mercado de trabalho para esse profissional é amplo podendo atuar em várias empresas e em vários setores como em empresas de construção civil seja do setor público ou privado, também poderá atuar nos escritórios de projetos de construção civil, canteiros de obras e em fábricas de pré-moldados. O fator positivo para esses profissionais é que nos últimos anos o setor imobiliário está em alta e os projetos de construção estão todos se tornando realidade. No setor público é comum abrir concursos públicos para essa área, principalmente nas prefeituras municipais.

Para trabalhar na área de edificações é necessário ter o curso Técnico em Edificações, o curso tem como objetivo capacitar o profissional para áreas especifica da construção civil. Um dos pré-requisitos para fazer o curso é ter concluído o ensino médio. Grande parte dos cursos tem duração de dois anos com carga horária de 1.200 horas. O aluno tem contato com várias disciplinas como Topografia, Projetos Estrutural, Projetos Arquitetos, Introdução à Construção de Edifícios, Orçamento Específico de Obras, Logística de Canteiro e Gestão Ambiental na Construção Civil.

Para atuar na profissão é necessário ser registrado nos Conselhos Regionais e estar em dia com pagamentos das anuidades.

A respeito da remuneração segundo uma pesquisa feita pelo SENAI, a média salarial paga para os Técnicos em Edificações é de R$2.058,57. Mas pode variar dependendo do Estado ou da função a ser executada. A bolsa de estágio para um tecnólogo em Edificações é referente a R$737,21.

Por Gisele Alves de Brito

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista

Técnico Bancário


Toda a rotina administrativa e burocrática de uma agência bancária é feita pelo Técnico Bancário, que geralmente é treinado para se fazer de tudo.

Uma das profissões mais conhecidas pelas pessoas e que, por incrível que pareça, apesar da crise financeira que assola o país desde 2015, é a de Técnico Bancário. A profissão se mostra bastante em alta, segundo uma recente pesquisa paulista publicada em janeiro deste ano.

Esse profissional executa todas as atividades relacionadas como vendas de produtos ou serviços bancários, atendimento aos clientes, empréstimos diversos, aberturas de contas, seguros, consórcios e planos de investimento. Toda a rotina administrativa e burocrática de uma agência bancária é feita pelo técnico, que geralmente é treinado para se fazer de tudo, desde a recepção dos clientes da agência, até mesmo o atendimento no caixa quando o local está muito conturbado.

O principal desafio da profissão é alcançar as metas mensais de trabalho, o que pode ser bastante desafiador para os bancários, pois o banco, como toda instituição financeira, precisa de vender seus produtos ou serviços e nem sempre é muito fácil de se alcançar tais metas.

O mercado de trabalho para esse profissional, geralmente, são os bancos ou qualquer instituição financeira ligadas a algum banco, como locais que fazem empréstimo, por exemplo.

Se tornar bancário ainda é o sonho de muitas pessoas pelo horário de trabalho, salários atrativos e demais benefícios trabalhistas, em sua maioria.

A formação acadêmica para se tornar um técnico bancário é curso superior completo nos cursos de administração, economia, ciências contábeis e áreas correlatas. Dependendo da função que será exercida, é exigido até mesmo o curso de pós-graduação na área de atuação.

Os salários para o cargo de técnico bancário vai depender muito do banco que se trabalha. Geralmente bancos públicos têm salários e benefícios maiores se comparados aos bancos privados. O funcionário de um banco privado tem vencimentos iniciais em torno de R$ 2.200,00 e vários benefícios trabalhistas como participação nos lucros e um valor considerável do vale-alimentação, que gira em torno de R$ 900,00 ou mais. Sem mencionar o horário de trabalho de seis horas diárias de segunda a sexta-feira.

Se você não se importa de trabalhar sobre pressão, suporta um ambiente de trabalho estressante e tem boa comunicação, tem grandes chances de se tornar um técnico bancário no futuro.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo

Socorrista


O Socorrista é a primeira pessoa que atenderá as vítimas de acidentes. Sua função é resgatá-las, prestar os primeiros socorros e facilitar o local do acidente para a chegada de outros profissionais de saúde.

A profissão de Socorrista é muito prestigiada pela sociedade por causa de sua principal função, salvar vidas. No entanto, qual é a formação necessária, o salário, como é o mercado de trabalho na área, quais habilidades pessoais e profissionais a pessoa teve ter para atuar como socorrista? Leia este artigo e terá informações sobre este profissional tão importante à sociedade.

O que o socorrista faz?

Ele é a primeira pessoa que atenderá as vítimas de acidentes. Sua função é resgatá-las, prestar os primeiros socorros e facilitar o local do acidente para a chegada de outros profissionais de saúde. O Socorrista, geralmente, acompanha as vítimas no transporte até os hospitais e centros de saúde.

Os Socorristas são normalmente profissionais de saúde como enfermeiros, médicos, paramédicos, fisioterapeutas e técnicos em emergências. Podem ser também auxiliares, técnicos e paramédicos. Estes profissionais também são conhecidos como SGT TEM (Sargentos Técnico em Emergências Médicas). Porém, no Brasil não existe essa formação, quem presta os serviços de formação técnica para atuação em resgates é o Corpo de Bombeiro e a Polícia Militar.

Estes órgãos dão treinamentos e capacitação profissional às pessoas interessadas em se formar como Socorristas. Existem também as especializações que são regulamentadas pelas Forças Armadas e Defesa Civil. Os socorristas precisam de muita dedicação e de cursos e treinamentos constantes.

Formação específica:

A formação necessária para atuar na profissão de Socorrista vai desde curso superior a preparatórios e treinamentos de atendimento emergencial. Estes últimos são cursos de capacitação profissional em três níveis: básico, intermediário e avançado, com avaliações teóricas e práticas oferecidas pela CB e PM, como já citado. Os cursos determinarão de acordo com a função e os conhecimentos de cada socorrista à atuação no processo de resgate. Podendo o profissional ser auxiliar, técnico ou até motorista socorrista nos atendimentos de emergência.

No nível superior as áreas de formação são Enfermagem, Medicina, Fisioterapia, preparações acadêmicas e práticas intensas, com duração de pelo menos quatro anos de formação. Além dos cursos técnicos em Enfermagem. Estes exigem períodos de um a dois anos de preparação técnica e também registro de qualificação no órgão competente, como COREN para atuação profissional.

Mercado de trabalho:

A atuação no mercado de trabalho inclui os setores de saúde e prestação de serviço. São eles, hospitais, centros de saúde, órgãos do governo, SAMU, ambulâncias de transporte e outros. A média salarial no Brasil é de R$ 1. 244,14 para profissional socorrista como a formação básica. O estado com o maior salário é do Paraná (R$ 1. 384,14).

O horário de trabalho varia conforme a formação profissional, a carga horária pode ser 12 a 24 horas, no caso de médicos e, 12 por 36 horas, enfermeiros, técnicos e profissionais socorristas.

Requisitos mínimos – Socorrista:

– Idade mínima 18 anos;

– Ensino Médio completo;

– Não possuir antecedentes criminais para ingressar nos cursos dos bombeiros e da PM;

– Facilidade de comunicação;

– Preparo físico e controle emocional.

Habilidades físicas e emocionais:

Os socorristas precisam possuir características emocionais e físicas para ser um profissional da área. Entre as habilidades exigidas em nível emocional estão o controlar da ansiedade, por causa da falta de tempo para seguir os procedimentos médicos; que independente do tempo precisam ser seguidos e com muita atenção; equilíbrio emocional e autocontrole para lidar com situações de muito estresse e até mesmo com a questão da morte e por fim saber avaliar os riscos que envolvem o acidente, local e a vítima.

Quanto às habilidades físicas, os socorristas precisarão de resistência e preparação física, pois deverão carregar e transportar as vítimas, além de agilidade para chegar a locais de difícil acesso.

Em ambas as características, o socorrista deve saber lidar com a limitação de equipamentos, dependendo do local de resgate; lidar com as condições extremas e fisiológicas do ambiente do acidente ou ainda saber como agir em espaço físico limitado como o da maca, por exemplo. Além de ter facilidade de comunicação para transmitir as informações iniciais e básicas dos primeiros socorros a equipes médicas e hospitais que receberão as vítimas.

Por Daniella Dutra

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário

Recepcionista

Redator

Secretária Executiva

Sociólogo



A Secretária Executiva é responsável por assessorar diretores e presidentes executivos.

A profissão de Secretária Executiva é promissora na era da informação, já que os gestores executivos a cada dia mais sobrecarregados com tantas demandas necessitam de assessores. Nesse contexto, aparece a figura da Secretária Executiva, essenciais nas organizações atuais.

O que faz a Secretária Executiva?

Ela desempenha desde funções simples como atender telefonemas até participar de reuniões executivas e a criação de projetos estratégicos da empresa que atua.

A Secretária Executiva é responsável por assessorar diretores e presidentes executivos. As tarefas são organizar documentos, arquivos, marcas compromissos profissionais e viagens e administrar a agenda dos gestores.

E, por fim, filtrar e resolver os problemas e demandas menos complexas para evitar desgaste do chefe, encaminhado apenas àquilo que só cabe a ele solucionar. Para isso, a experiência e o convívio com gestor, em longo prazo, facilitarão muitas tarefas e darão mais autonomia as secretárias executivas.

Mercado de trabalho:

A média salarial no Brasil é de R$ 2.977,70 para profissional da área. As maiores médias salariais são em São Paulo, Distrito Federal e Santa Catarina, respectivamente R$ 3.126,00, R$ 3.025,00 e R$ 2.906,00. O inicial, em média, é R$ 1.500,00 e o no auge da carreira, as profissionais dessa área chegam a ganhar, em média, 11 mil reais.

Os ramos mais lucrativos para atuar na área são petroquímico/petróleo (R$ 3.990,00), prestação de serviço (R$ 3.081,00) e equipamentos industriais (R$ 3.013,00).

Formação necessária:

Para atuar como Secretária Executiva é necessário curso superior em Secretariado Executivo. A duração do curso é 4 anos. Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) juntamente com o Ministério da Educação (MEC), existem 97 faculdades que ofertam este curso no país, com cerca de 7800 vagas por ano. O número de candidatos é de 11 mil, o que gera uma concorrência de 1,42 candidatos por vaga. Essas informações são de 2010.

Os melhores cursos do Brasil, de acordo com Inep/MEC, são da Universidade Federal de Viçosa (MG), Universidade Estadual de Maringá (PR) e Centro Universitário Fecap (SP). Acesse o site do MEC e confira as universidades mais bem conceituadas do país em: http://emec.mec.gov.br.

Requisitos mínimos:

– Diploma em Secretariado Executivo;

– Domínio de uma língua estrangeira, preferencialmente, Inglês;

– Fluente em terceiro idioma ideal;

– Domínio da Língua Portuguesa;

– Conhecimento em informática.

Mais informações sobre a profissão de Secretária Executiva acesse o Guia de Profissões do Blog do Enem: https://blogdoenem.com.br/secretariado-executivo-curso-mercado.

Por Daniella Dutra

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário


A função de um redator é escrever sobre diversos assuntos de forma clara, precisa, objetiva e que passe a informação de uma maneira fácil possível para os seus leitores dos mais variados tipos.

Uma das profissões que mais cresce no mercado de trabalho atualmente é a de Redator. Com a disseminação da internet nos dias atuais, o redator vem ganhando cada vez mais espaço de trabalho e pode exercer o mesmo de maneira presencial ou tipo home office, prestando serviços online para diversos tipos de clientes, por isso é uma das profissões mais versáteis que existem.

As funções de um redator, como o próprio nome diz, é escrever sobre diversos assuntos de forma clara, precisa, objetiva e que passe a informação de uma maneira fácil possível para os seus leitores dos mais variados tipos. Para isso, o redator precisa ser um profissional bastante antenado como os fatos atuais do Brasil e do mundo para que possa escrever sobre qualquer assunto que o cliente pedir.

Saber escrever corretamente e de forma clara, ter alguns conhecimentos de marketing e cultura popular, estar sempre atualizado, ter disposição para trabalhar muito e procurar ter um texto interessante, são algumas qualidades que todo redator deve ter, quase que obrigatoriamente.

O mercado de trabalho para o redator é muito amplo e cresce a cada dia, podendo ser emissoras de rádio, TV, jornais impressos, agências de publicidade na internet, sites, blogs e plataformas de criação de conteúdo diversas.

A maioria dos trabalhos do redator é feita de forma online e as plataformas digitais são as que absorvem boa parte desses profissionais na criação de textos diversos, de forma presencial ou em casa.

A formação acadêmica exigida para exercer o cargo de redator pode variar muito, mas geralmente é a graduação em jornalismo ou publicidade. Mas algumas empresas, principalmente sites, blogs e plataformas de criação de conteúdo, exigem que o redator tenha um texto de qualidade e que seja cumpridor de prazos e metas ao invés de formação acadêmica, que não deixa de ser importante, pois pode fornecer uma boa base para o futuro redator.

A média salarial do redator é muito variável e vai depender do tipo de empresa em que o mesmo trabalha ou presta serviço. Como a maioria dos redatores são autônomos, os ganhos mensais podem variar de acordo com a demanda de serviço, mas ficam entre R$ 1.100,00 até R$ 2.400,00 em geral.

Vale a pena investir nessa carreira bastante promissora e que tem grande espaço no mercado, já que estamos em um mundo globalizado.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário


A Recepcionista tem um convívio com diversas pessoas ao longo do expediente de trabalho e essa interação deve ser a melhor possível, além de ser a primeira pessoa a receber o cliente.

Uma das profissões mais conhecidas por praticamente todas as pessoas é a de Recepcionista. Esse profissional é o funcionário que tem um convívio com diversas pessoas ao longo do expediente de trabalho e essa interação deve ser a melhor possível, além de ser a primeira pessoa a receber o cliente.

A função da recepcionista, além de receber o cliente com um sorriso no rosto, é de atender telefonemas diversos, saber lidar com diversas pessoas ao mesmo tempo e encaminhar os visitantes ou clientes para o setor responsável na empresa. A recepcionista deve ter uma postura de trabalho bastante responsável, pois além de ser o primeiro contato do cliente com a empresa, se esse profissional não exercer suas funções com presteza e cordialidade, a imagem da empresa poderá ficar manchada para sempre.

Um ambiente de trabalho organizado pode ajudar a recepcionista a desenvolver suas atividades de forma mais produtiva, gerando um tempo de espera menor por parte do cliente, que geralmente tem pressa em ser atendido. O mercado de trabalho para a recepcionista é muito amplo e pode variar entre clínicas, hospitais, empresas de vários segmentos, hotéis, escritórios e lojas comerciais em geral. Qualquer empresa, dependendo do porte, vai precisar em um determinado momento, de uma recepcionista, até mesmo para que os clientes sejam direcionados ao setor que desejam, otimizando o tempo do mesmo.

A formação acadêmica para exercer a função de recepcionista, na maioria das vezes, é o ensino médio completo. Algumas empresas exigem que esse profissional esteja cursando curso superior na área de atuação, para um melhor desempenho no trabalho. Mas algumas qualidades como organização, flexibilidade, sociabilidade, educação, boa comunicação e aparência, são muito mais importantes do que o grau de escolaridade, no geral.

A média salarial para a recepcionista pode variar de acordo com o porte da empresa e da experiência da mesma, mas fica em torno de R$ 1.250,00 até R$ 1.615,00 mais benefícios trabalhistas.

Por mais antiga que seja, a profissão de recepcionista jamais vai ser extinta, pois além de ser extremamente necessária, pode agilizar o lado do cliente e dependendo da forma que foi esse primeiro contato, a certeza de que o cliente vai retornar, é garantida.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético

Publicitário


O publicitário é o profissional responsável pela criação, planejamento, avaliação e coordenação de toda a campanha publicitária da empresa em que trabalha, independente do ramo de atuação da mesma.

Uma das profissões mais conhecidas e promissoras da atualidade é a de Publicitário. É fato que quase todo mundo já se deparou com algum trabalho desse profissional e por mais simples que seja, o trabalho de um publicitário faz parte do cotidiano de praticamente todas as pessoas.

O publicitário é o profissional responsável pela criação, planejamento, avaliação e coordenação de toda a campanha publicitária da empresa em que trabalha, independente do ramo de atuação da mesma. Além disso, o publicitário é quem traça todas as estratégias de comunicação, além de ser o responsável por toda a assessoria de pessoas famosas na sociedade ou de grandes marcas do mercado.

O mercado de trabalho para o publicitário pode ser bem amplo e varia desde emissoras de rádio, TV e jornais impressos até agências de publicidade, empresas prestadoras de serviços da área, empresas do setor público e empresas de consultoria especializada. Praticamente toda empresa, dependendo do seu porte e ramo de atuação, tem um setor responsável pelo marketing ou pela publicidade, pois como diz o velho ditado que a propaganda é a alma do negócio, o trabalho do publicitário torna-se indispensável para a divulgação dos serviços ou dos produtos da mesma.

A internet se tornou uma grande aliada do publicitário, pois com o aumento do número de empresas online e que precisam fazer a divulgação de seus produtos ou serviços, o mercado de trabalho se tornou ainda maior para esse profissional.

A formação acadêmica do publicitário é a graduação no curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda e a duração do mesmo é de quatro anos. A grade curricular do curso pode variar de acordo com a instituição de ensino e da ênfase do curso, mas geralmente não muda muito entre uma faculdade e outra.

A média salarial do publicitário pode variar muito, dependendo da empresa em que o profissional atua de sua experiência profissional na área. Os salários variam entre R$ 1.600,00 até R$ 3.800,00, podendo chegar a ser bem mais altos, caso o publicitário for dono do seu próprio negócio, por exemplo. Vale a pena investir em uma carreira que cresce a cada dia e que tem um futuro bastante promissor, já que estamos em um mundo globalizado em que as informações transitam em segundos pelo mundo afora.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista

Protético


O mercado de trabalho para o protético é muito amplo e pode variar entre clínicas especializadas, laboratórios, consultórios, hospitais e até mesmo a prestação de serviço de forma autônoma para diversos locais.

Uma das profissões bastante conhecidas e mais promissoras no mercado de trabalho é a de Protético que é mais conhecido como técnico em próteses dentárias. Esse profissional é o responsável que atua em parceria com o cirurgião dentista que tenta o restabelecimento de toda a capacidade de mastigação e da parte estética do paciente, por meio das próteses dentárias.

Devido à grande demanda por uma boa estética das pessoas em geral, principalmente a da região bucal, faz com que esse profissional seja bastante requisitado pelo mercado de trabalho. O trabalho do protético é bastante complexo, pois fazer moldes de próteses dentárias exige um grande número de detalhes e qualquer erro, por menor que seja, pode gerar recusa por parte do cliente ou lhe causar um certo incômodo na boca.

O mercado de trabalho para o protético é muito amplo e pode variar entre clínicas especializadas, laboratórios, consultórios, hospitais e até mesmo a prestação de serviço de forma autônoma para diversos locais. Dependendo da experiência do profissional, ele pode abrir seu próprio negócio, pois a demanda de trabalho no Brasil é enorme para o protético, pois a busca por uma boa aparência é cada vez maior por parte das pessoas. Boa parte desses profissionais é absorvida pelos mais de 7.000 laboratórios espalhados pelo país e o mercado ainda tem um déficit de protéticos, segundo uma recente pesquisa realizada em São Paulo.

A formação acadêmica exigida para se trabalhar como protético é o ensino médio com formação técnica em prótese dentária. No curso, o futuro protético aprende todas as técnicas da profissão aliada a parte teórica da mesma, que é de suma importância para se fazer um trabalho de qualidade. Diversas escolas no Brasil oferecem o curso técnico em prótese dentária, o que pode ser uma boa alternativa em épocas de crise financeira.

O salário médio de um protético pode variar muito com sua experiência, o porte da empresa e a forma que o profissional atua no mercado. Para aqueles que trabalham de forma autônoma, os ganhos podem ser bem maiores, variando de R$ 2.500,00 até R$ 4.000,00, dependendo da demanda de serviço no mês. Se o protético trabalha somente em uma empresa com carteira assinada, os ganhos giram em torno de R$ 2.500,00, dependendo da experiência do profissional.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista

Projetista


O profissional cria e elabora os mais variados projetos arquitetônicos, atuando na área de criação de produtos diversos.

Uma das profissões mais requisitadas e importantes hoje em dia é a de projetista, ou do desenhista projetista, como também é conhecida.

A função desse profissional é a criação e elaboração dos mais variados projetos arquitetônicos e na área de criação de produtos diversos. Além da responsabilidade de criar e colocar o projeto na prancheta ou no computador para discussão ou aprovação, o projetista atua no trabalho em equipe com diversos profissionais, como engenheiros, arquitetos, fisioterapeutas que desenvolvem algum tipo específico de produtos ou móveis.

A ideia da profissão de desenhista projetista é de transformar uma simples ideia do seu cliente em um desenho com o máximo de detalhes possíveis e que pode ser feito da melhor maneira. O projetista pode, além de colocar no papel em forma de desenho, o desejo do cliente, participar na prática, do desenvolvimento da tarefa realizar a vontade do cliente no que ele precisa.

O projetista pode dar sugestões sobre como utilizar melhor o espaço ou determinado objeto de maneira racional, pois quanto maior a sua experiência, melhor para o cliente.

O mercado de trabalho para o desenhista projetista é muito amplo e pode ser em escritórios de arquitetura, design de interiores, empresas de decoração, indústrias, empresas de engenharia ou que desenvolvem marcas e produtos para vendas. O profissional pode exercer suas atividades de forma autônoma, ou seja, prestando serviço para vários clientes ou empresas ao mesmo tempo.

A formação acadêmica exigida para se trabalhar como projetista vai depender da empresa em que se trabalha, mas no geral é a formação técnica em desenhos e projetos ou graduação em algum curso relacionado a área como engenharia e afins. A maioria das empresas procuram profissionais com maior bagagem curricular do que outros com boa graduação, mas sem experiência profissional. Não que a teoria não seja importante e o ideal é que ela seja aliada a uma boa prática da profissão.

A média salarial do projetista é bastante ampla e pode variar de acordo com a forma de trabalho. Profissionais que atuam de forma autônoma podem ganhar um pouco mais, dependendo da demanda de serviço no mês e os ganhos giram em torno de R$ 3.200,00. Para quem trabalha com carteira assinada, o salário médio é de R$ 2.500,00, mais benefícios trabalhistas.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador

Orçamentista


O Orçamentista é responsável por elaborar diversos tipos de orçamentos nas mais variadas áreas.

Uma das profissões que está mais em alta na atualidade, apesar da crise financeira que assola o país de norte a sul, é a de Orçamentista. Esse profissional, como o próprio nome diz, é responsável por elaborar diversos tipos de orçamentos nas mais variadas áreas, além de ser uma profissão extremamente versátil.

O orçamentista pode trabalhar em diversas áreas e suas principais atividades englobam os cálculos da quantidade de materiais ou insumos para a fabricação de um produto ou a realização de um serviço, estimar todos os custos envolvidos em um determinado negócio, orçamentar diversas variantes como as horas de trabalho, material gasto, substituição de peças ou maquinário, além de dar um aval sobre a possibilidade de executar um determinado serviço ou projeto, sempre tendo como base, a sua planilha de cálculos.

O mercado de trabalho para o orçamentista é bastante amplo como escritórios de engenharia, arquitetura, indústrias e empresas prestadoras de serviços dos mais variados tipos, além de órgãos públicos do governo. Caso o profissional tenha um capital de giro suficiente para abrir uma pequena empresa de prestação de serviços, o orçamentista pode trabalhar por conta própria, o que pode ser bem vantajoso.

A formação acadêmica do orçamentista pode ser em várias áreas diferentes, entre elas, engenharia civil, mecânica, entre outras. A formação técnica em diversas áreas também pode fazer parte do currículo desse profissional, mas algumas empresas preferem muito mais um profissional experiente no ramo de atuação, do que outro com excelente formação acadêmica e sem nenhuma experiência na área.

Como é uma profissão que envolve custos, às vezes altos, o salário do orçamentista vai depender de três vertentes. Primeiramente do porte da empresa em que o mesmo trabalha, experiência na área e formação acadêmica. Geralmente pode variar entre R$ 1.600,00 até R$ 4.650,00 mensais mais benefícios trabalhistas.

Por incrível que pareça, o mercado de trabalho está carente de bons profissionais orçamentistas devido a inúmeras empresas prestadoras de serviços existentes em que esse profissional é necessário.

Vale a pena e muito, investir nessa carreira, segundo uma recente pesquisa paulista feita em dezembro de 2016.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo

Programador


O Programador é o responsável por seguir especificações para o desenvolvimento de softwares de forma completa ou não.

Gosta de tecnologia, desenvolvimento de projetos e computação? Então, talvez a profissão de programador seja muito indicada para você! Essa é uma carreira com alto potencial de inserção no mercado de trabalho e uma das mais buscadas por empresas do mundo inteiro. Confira as principais características da função e como se tornar um programador!

Função de um programador:

É responsável por seguir especificações para o desenvolvimento de softwares de forma completa ou não. Nesse sentido, escreve códigos que darão origem a plataformas, sites, aplicativos, jogos, ferramentas variadas, entre outros. Para garantir o melhor funcionamento desses sistemas, realiza testes, manutenção e eventuais correções. Assim, pode trabalhar tanto de forma individual como em equipes.

Áreas de atuação:

Permite atuação em diversos setores. Por isso, é possível trabalhar nas seguintes funções:

· Programação desktop.

· Programação web.

· Programação mobile.

· Programação de jogos.

· Database Administration (DBA) ou Administração de Banco de Dados.

O programador, geralmente, especializa-se em uma ou mais dessas áreas e em tecnologias específicas. Além disso, dependendo da empresa que o contratar, pode trabalhar com profissionais de outros setores para o desenvolvimento de projetos.

Formação acadêmica de um programador:

Para atuar na função de programador, nem sempre é necessário ter diploma. Por isso, muitos profissionais são autodidatas ou fazem cursos específicos para aprender a programar. Porém, quem deseja uma formação completa, pode realizar algum curso técnico voltado para uma das áreas citadas acima. Também é possível fazer um curso superior que aborde o tema, como nestes casos: Ciências da Computação, Sistemas de Informação ou Análise de Sistemas.

Onde pode trabalhar:

Pode trabalhar em empresas de quase todos os segmentos e portes. Mas existem algumas que costumam contratar mais esse tipo profissional, como nestes ramos: Publicidade, Comunicação, Telecomunicações, Tecnologia em geral, Educação, Bancário, Financeiro, Marketing, Administração, Engenharia, entre outros.

Mercado de trabalho e média salarial:

O mercado de trabalho é promissor, pois é um dos que mais contrata no mundo inteiro. Também oferece grandes possibilidades para manutenção e desenvolvimento de carreira. Isso ocorre porque muitos negócios e pesquisas precisam de um programador, para garantir avanços e pesquisas em soluções tecnológicas.

Hoje, a sua média salarial é de aproximadamente R$2.500, podendo chegar a mais de R$7.000. Esses valores podem variar muito de acordo com a área de atuação e experiência do profissional.

Ter fluência em inglês é uma das habilidades mais requisitadas em diversas vagas de emprego do ramo. Também é muito importante se manter atualizado em relação a tendências e mudanças tecnológicas. Por fim, um portfólio com trabalhos realizados é quase que obrigatório para conseguir emprego ou prestar serviços.

Quer trabalhar com programação? Qual especialidade pretende seguir?

Por Camilla Silva

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista

Pedagogo

Podólogo



O Pedagogo leciona nos anos iniciais do Ensino Fundamental, avaliando, acompanhando e preparando os alunos para as séries posteriores.

Quando se fala em Pedagogia, muitas pessoas ligam a profissão ao magistério. Mas a verdade é que ela oferece um leque de opções e setores de trabalho. Além disso, para atuar como pedagogo, é preciso gostar principalmente de educação, administração e projetos sociais. Identificou-se? Então, veja as principais funções da área e outras informações essenciais.

O que o pedagogo faz:

O pedagogo leciona nos anos iniciais do Ensino Fundamental, avaliando, acompanhando e preparando os alunos para as séries posteriores. É também especialista em processos diversos de ensino-aprendizagem e administração escolar.

Formação em Pedagogia:

Para se tornar pedagogo, é necessário ter diploma de Ensino Superior em um curso de Pedagogia. Ele dura, em média, 4 anos e está disponível na maioria das instituições acadêmicas do país. Pode ainda ser realizado tanto de forma presencial quanto a distância, em universidades públicas ou privadas.

Essa graduação aborda principalmente disciplinas, como: Metodologia de Ensino, Psicologia da Educação, Língua Portuguesa, Matemática, História, Sociologia, Filosofia, Política da Educação e Gestão Escolar.

Funções que o pedagogo pode desempenhar:

O graduado em Pedagogia pode trabalhar em escolas, creches, Organizações Não Governamentais (ONGs), empresas privadas, órgãos públicos, editoras, hospitais, instituições de ensino a distância e universidades. Isso demonstra o quanto é uma área bastante ampla.

Nesse caso, é possível atuar em diversas funções, como:

· Professor de Ensino Infantil, Fundamental e Superior.

· Professor de alunos com necessidades especiais.

· Treinador de funcionários de empresas diversas.

· Avaliador de materiais escolares ou didáticos.

· Administrador escolar.

· Supervisor e orientador escolar.

· Coordenador pedagógico.

· Secretário de Educação.

· Fiscalizador de leis e diretrizes educacionais.

· Gestor de projetos sociais e educacionais.

· Realizar trabalhos educacionais com crianças e jovens internados.

Média salarial:

O cargo tem uma média salarial de aproximadamente R$1.700, podendo chegar a mais de R$4.000, quando o profissional tem considerável experiência. No entanto, quando atua no Ensino Superior, esse valor pode ser de mais R$7.000. Para isso, é necessário ter mestrado e doutorado.

Mercado de trabalho:

O mercado de trabalho para os formados em pedagogia oferece alto índice de contratação. Isso porque empresas estão cada vez mais conscientes da importância desse tipo de profissional na capacitação de funcionários. Além disso, muitas delas participam de processos de licitação, em que o pedagogo é muito requerido para desenvolver e acompanhar projetos.

Ademais, é muito importante que o profissional de Pedagogia pesquise em qual especialidade deseja atuar. Desse modo, deve buscar instituições que tratam de temas ou formações específicas. Isso deve ser pensado em termos de graduação e pós-graduação.

Por Camilla Silva

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing

Paisagista


O paisagista faz toda a elaboração de locais verdes, faz uma adequação precisa quanto às cores da iluminação, da área útil para desenvolver suas atividades com o máximo de criatividade e talento.

Uma das profissões que mais crescem no mercado hoje em dia, segundo uma recente pesquisa feita no final do ano passado, é a de Paisagista.

Como as áreas verdes estão diminuindo gradativamente, graças ao desenvolvimento urbano, a função de paisagista torna-se muito necessária, pois esse profissional trabalha com os espaços verdes dentro dos grandes centros urbanos como forma de adequar as pessoas ao meio ambiente.

O paisagista, além de fazer toda a elaboração de locais verdes, deve fazer uma adequação precisa quanto às cores da iluminação, da área útil para desenvolver suas atividades com o máximo de criatividade e talento.

Não existe uma formação acadêmica exigida para se atuar como paisagista no Brasil, mas geralmente quando as empresas contratam, a exigência escolar é o ensino médio completo, muito embora existam cursos superiores na área. A experiência e a criatividade na profissão são levadas muito mais em conta do que o nível escolar, na maioria dos casos, ou seja, quanto maior for a experiência do paisagista, maiores são as chances de se dar bem na profissão. Recomenda-se que o paisagista tenha um portfólio de todos os seus trabalhos anteriores para mostrar os seus futuros clientes que pretendem contratar os seus serviços.

O mercado de trabalho para o paisagista é bastante amplo e pode ser tanto pessoa física que queira fazer alguma adequação em seu jardim ou residência ou alguma empresa do ramo. Muitos paisagistas preferem trabalhar como profissionais autônomos, pois além de ser mais rentável, o profissional não fica restrito a somente um único lugar, obedecendo regras e normas. Empresas de decoração e jardinagem também absorvem esses profissionais.

A média salarial do paisagista é muito variada, pois depende de uma série de fatores como o tipo de trabalho que vai ser executado e quanto tempo vai demorar para fazê-lo ou até mesmo do local em que será feito o serviço, além da dificuldade de execução do mesmo. Caso o paisagista for funcionário de alguma empresa, o salário médio gira em torno de R$ 2.200,00 mensais mais benefícios trabalhistas. Por incrível que pareça, o paisagista ainda é um profissional bastante requisitado no mercado de trabalho.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy

Operador de Telemarketing


O Operador de Telemarketing é o responsável por diversas funções como divulgar produtos, serviços ou promoções e até mesmo fazer o registro de reclamações, solicitações ou pedidos de clientes.

Uma das profissões mais conhecidas por todas as pessoas e que está bastante em alta é o operador de telemarketing. Esse profissional é o responsável por diversas funções como divulgar produtos, serviços ou promoções e até mesmo fazer o registro de reclamações, solicitações ou pedidos de clientes. Na verdade, o operador de telemarketing é a ponte entre a empresa que oferece determinado produto ou serviço e o cliente. Esse profissional pode fazer parte da empresa que está representando ou fazer parte de empresas terceirizadas.

Dentro de um call center ou SAC, existem dois tipos de operadores de telemarketing que são o ativo e o receptivo. O telemarketing ativo entra em contato com os clientes com a intenção de oferecer algum tipo de produto ou serviço de sua empresa, sempre visando estabelecer uma relação cordial com o mesmo. Já o telemarketing receptivo é aquele operador responsável por atender aos clientes em alguma solicitação de serviço, informações, dúvidas ou até mesmo realizando uma compra.

O mercado de trabalho para esse profissional é bastante amplo, podendo ser em grandes redes de lojas, bancos, operadoras de cartões de crédito, empresas de diversos segmentos, companhias de água, luz ou telefone móvel, entre outras. Muitas pessoas sem experiência profissional buscam nessa profissão a oportunidade do primeiro emprego, pois muitas empresas não exigem experiência anterior na função.

A média salarial do operador de telemarketing é muito ampla e vai variar de acordo com o tempo na função e, principalmente do porte da empresa em que se trabalha. O salário médio pode variar entre R$ 950,00 e R$ 1.317,00 mais benefícios trabalhistas e comissão, no caso de vendas de produtos. A formação acadêmica exigida para o profissional de telemarketing é o ensino médio completo e conhecimentos em informática e digitação, mas algumas empresas exigem que o profissional esteja fazendo curso superior ou que já esteja concluído.

Caso a pessoa seja educada, paciente, tenha boa dicção, saiba trabalhar sob pressão e tenha disponibilidades de trabalhar aos finais de semana, ela pode se candidatar a uma vaga de operador de telemarketing, que diga-se de passagem, é uma profissão que está em ascensão nesse mercado de trabalho tão concorrido.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico

Office-Boy


O Office-Boy realiza todo o serviço externo ou de logística da empresa. Confira as características da profissão.

Quase todas as pessoas têm algum conhecido na família ou alguém mais próximo que já trabalhou de office-boy. Essa profissão, por mais antiga que seja, é indispensável em um ambiente de prestação de serviços de qualquer natureza e por incrível que pareça, ainda está bastante em alta no mercado.

O office-boy é o profissional responsável por várias funções como entrega de documentos em diversas localidades fora da empresa ou do escritório, pagamento de contas na rede bancária, visita a clientes, entre outras. Todo o serviço externo ou de logística da empresa é função do office-boy que, apesar da palavra ser masculina, existem muitas mulheres que trabalham dessa forma, seja por opção ou por necessidade.

O mercado de trabalho para esse profissional é bastante variado, podendo ser em escritórios e empresas dos mais variados segmentos ou até mesmo lojas e comércios em geral. O office-boy precisa ter muita agilidade para resolver tudo dentro do horário e muita paciência com as enormes filas nos bancos e o caos no trânsito das grandes cidades.

A média salarial desse profissional é baixa, se comparada a outras profissões e o salário do office-boy gira em torno de R$ 945,00, podendo chegar em alguns casos a R$ 1.100,00, dependendo do porte da empresa e da experiência anterior. Muitas pessoas estão fazendo da profissão uma opção de primeiro emprego, já que muitas empresas não exigem experiência anterior e por ter um mercado de trabalho bem amplo.

A formação acadêmica para o cargo de office-boy é o ensino médio completo, muito embora algumas empresas exijam apenas o ensino fundamental. O Office-boy deve ter em mente que, dependendo da empresa em que se trabalha e do volume de serviço, a rotina diária pode ser extremamente estressante, pois a carga horária é de 44 horas semanais, na maioria dos casos.

Apesar da profissão ser desvalorizada, o cargo de office-boy ainda é bastante disputado, principalmente entre jovens entre 16 e 20 anos que nunca trabalharam, pois pode servir de trampolim para um cargo futuro ou uma promoção no trabalho, dependendo do seu comprometimento com o serviço.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta

Músico


O músico deve ter uma boa percepção dos elementos musicais, ter habilidade manual e o comprometimento para estudar e praticar diariamente.

Para se tornar um músico, é necessário dedicação e estudo. Um bom músico não deve apenas saber tocar bem um instrumento musical, mas será necessário que tenha uma boa percepção dos elementos musicais, ter habilidade manual e o comprometimento para estudar e praticar diariamente.

Para seguir esta profissão, o diploma não é necessário. É possível segui-la fazendo aulas em escolas de música ou ao ter aulas particulares. Porém, se o músico deseja aprofundar seu conhecimento, a faculdade é de extrema importância. Nela o estudante irá melhorar suas habilidades nos instrumentos, além de aprender compor e ler partituras.

A graduação em música tem duração mínima de quatro anos e, no final do curso, o estudante poderá escolher entre licenciatura ou bacharelado. A licenciatura irá permitir que o estudante possa vir a dar aulas, enquanto o bacharelado nos instrumentos irá abrir a possibilidade de cantar, escrever partituras e conduzir orquestras.

É fato que existem músicos que não possuem o conhecimento para ler partituras, no entanto se você almeja se tornar músico de orquestras, jazz ou até mesmo de bandas militares esse conhecimento será necessário.

Embora o mercado de trabalho esteja um pouco saturado na parte das orquestras, o músico pode seguir diversas outras opções para continuar sua carreira. Vários profissionais costumam optar por ensinar música. Enquanto isso, outros buscam se destacar no mercado de jingles, compondo para comerciais. Outra opção é tocar a noite em clubes, restaurantes, bares ou em eventos como casamentos e aniversários.

É importante ressaltar que, para aqueles que pretendem seguir a carreira como músicos profissionais, será necessário possuir o registro da OMB, que poderá ser conquistado por meio de uma prova teórica e prática. Ao conseguir o registro, o profissional poderá não só atuar nos diversos trabalhos dentro da carreira, mas também terá o direito de fazer concursos públicos para trabalhar em orquestras sinfônicas.

A média salarial irá variar de acordo com o segmento dentro da profissão. Profissionais que tocam em orquestras sinfônicas, por exemplo, costumam ganhar em média R$3.000,00 mensais. Quem opta por tocar em eventos, costuma ganhar em média R$120,00 por apresentação. Se possível, o músico pode lecionar, tocar em uma orquestra e em eventos, podendo faturar até R$10.000,00 por mês.

Por Isabela Palazzo

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista

Massoterapeuta


Massoterapia é uma terapia ou tratamento realizado através da massagem com o objetivo da redução e controle dos mais diversos tipos de dores.

Uma das profissões mais disputadas hoje e que está muito em alta é a de massoterapeuta. Como o próprio nome sugere, massoterapia é uma terapia ou tratamento realizado através da massagem com o objetivo da redução e controle dos mais diversos tipos de dores, melhora na flexibilidade do corpo humano, fortalecimento de todo o sistema imunológico, eliminação das toxinas, melhora da circulação do sangue, além do alívio de todas as tensões físicas provocadas pelo estresse diário em que as pessoas são submetidas. Em suma, a principal função da massoterapia é a promoção do bem estar físico e mental da pessoa.

O massoterapeuta é o profissional responsável por realizar tudo isso com seus clientes, dos mais variados tipos. O mais interessante nessa profissão é que um atendimento nunca é igual ao seguinte, pois as pessoas têm necessidades e sintomas diferentes, o que torna a profissão um tanto prazerosa para aqueles que gostam do que fazem.

O mercado de trabalho para o massoterapeuta pode ser bem diversificado como clínicas de estéticas e bem estar, academias, clubes, casas de repousos, navios, hotéis, empresas privadas em geral. A maioria desses profissionais trabalha em vários lugares como prestador de serviço, pois além de ser mais rentável, permite ao profissional adquirir mais conhecimento e experiência, além de proporcionar ao massoterapeuta, uma rotina de trabalho mais prazerosa e estimulante. Variar de ambiente pode ser muito bem vindo.

A média salarial do massoterapeuta pode variar muito, pois se o profissional atuar de forma autônoma, ele pode ganhar mais, chegando perto dos R$ 3.500,00 mensais. Caso o massoterapeuta trabalhe em uma empresa privada, o salário pode ficar entre R$ 1.700,00 até R$ 2.200,00 mais benefícios trabalhistas.

A formação acadêmica exigida é a formação superior em alguma área relacionada com a saúde ou curso técnico feito em escolas especializadas na profissão. O mais importante que a formação profissional é que o massoterapeuta goste de trabalhar com pessoas e que seja um profissional comprometido com o que faz, ou seja, o amor pela profissão e o conhecimento sobre o assunto, pode ser muito mais importante que a formação acadêmica.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista

Leiturista


O Leiturista atua medindo o consumo de energia, gás e água das residências. Muitas vezes, a profissão é ligada a aprovação em Concursos Públicos.

O Leiturista é o profissional que irá atuar passando nas residências para medir o consumo de energia, gás e água. Por este motivo, seu ambiente de trabalho é o externo, andando pelas ruas que lhe foram designadas para realizar seu trabalho.

Ele irá de residência em residência para fazer a leitura dos fatores que indicam o consumo de água, gás e energia elétrica. Precisará utilizar aparelhos específicos para essas medições, para os quais receberá um treinamento adequado aprendendo a utilizá-los. Dependendo da empresa que o contratou, caberá também ao leiturista emitir a conta referente ao serviço consumido e entregar diretamente para o residente da casa. É possível também que, em determinadas situações, o profissional precise avaliar equipamentos que podem estar apresentando problemas.

Para seguir esta profissão não é necessário ter cursado ou estar cursando uma graduação. O requisito para atuar na área é ter o Ensino Médio completo, sendo que, muitas vezes, as vagas de leiturista são atribuídas por meio de concursos. A média salarial destes profissionais pode variar de R$1.125,00 até R$2.000,00.

Ao entrar na profissão, é recomendado que o leiturista fique atento a seus direitos trabalhistas, especialmente no que diz respeito às suas condições de transporte, uma vez que pode ser o encarregado de medir o consumo em áreas de difícil acesso, como morros, por exemplo. Os fatores a se considerar para saber se você quer seguir esta profissão, é o esforço físico empenhado na função, com morros, escadarias, etc, além dos perigos que acabam por ocorrer com cachorros dos consumidores, além do salário.

Se não for possível enxergar os números para medir o consumo de água e energia elétrica e for necessário entrar na residência para isso, peça ao proprietário da casa que prenda o cachorro ou outros animais que ele tiver, mesmo que afirme que estes não oferecem riscos. O profissional deve colocar os cuidados com sua saúde em primeiro lugar.

Outro ponto apontado pelos leituristas é a eventual dificuldade de lidar com os clientes que não atendem os leituristas, o que pode vir a atrapalhar no andamento do trabalho. É importante que não entre em uma residência a não ser que seja autorizado a fazer isto, evitando assim diversos problemas.

Por Isabela Palazzo

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo

Jornalista


O Jornalista pode atuar em diversas áreas no mercado de trabalho.

O jornalista trabalha com o objetivo de divulgar informações através de veículos de comunicação diversos. É uma profissão indicada para pessoas que tenham facilidade em se expressar e gostem de ler, escrever e pesquisar. Além disso, ter senso crítico e saber utilizar editores de imagens e textos são aspectos necessários para atuar no setor.

Áreas de atuação:

O jornalista pode atuar nas seguintes funções:

· Reportagem – pesquisa fatos e redige informações noticiosas.

· Editoração ‒ define textos finais, imagens, layouts e recursos audiovisuais, de acordo com o veículo que trabalha (TV, rádio, impresso e digital).

· Gestão de conteúdos digitais ‒ administra, implanta estratégias e desenvolve conteúdos para internet.

· Fotojornalismo ‒ fotografa acontecimentos, pessoas e cenas para veículos digitais e impressos.

· Comunicação empresarial ‒ gerencia informações de empresas, repassando-as para funcionários, público externo e imprensa.

A profissão exige uma série de condutas importantes. Elas referem-se a uma postura ética, responsabilidade e compromisso com a verdade. Por isso, a checagem de fontes, para comprovação de fatos é essencial para manter a qualidade e credibilidade de suas atividades.

Mercado de trabalho para jornalistas:

Nos últimos anos, o mercado de trabalho de jornalismo tem sido visto com certa desconfiança. Isso porque vários veículos tradicionais reduziram o quadro de funcionários. O motivo seria a ascensão da internet e mídias sociais. Por outro lado, essas abrem outras oportunidades de atuação em blogs e sites especializados. Então, atualmente é necessário que o profissional da área seja capaz de lidar com as características e estratégias do meio digital.

De acordo com o Catho, a média salarial do jornalista no Brasil é de, aproximadamente, R$2.040. Mas vale ressaltar que muitos comunicadores prestam serviços como freelancers ou consultores, o que pode trazer certa variabilidade desse valor.

Formação acadêmica:

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que não é necessário ter diploma de Ensino Superior para exercer a função. No entanto, em anúncios de vagas de emprego, a formação acadêmica em Comunicação Social – Jornalismo é vista como necessária. Dificilmente uma empresa ou veículo contrata alguém que não a tenha, salvo em casos que o candidato tenha sólida experiência e referência na área.

Dessa forma, quem deseja ser jornalista deve sempre buscar atender a tais demandas, por meio de uma graduação e cursos específicos. Construir um bom portfólio ainda no início de carreira também é essencial para se garantir no segmento.

Por Camilla Silva

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário

Guia de Turismo


O Guia de Turismo é um profissional que geralmente está ajudando os turistas nos passeios no decorrer das viagens.

O Guia de Turismo é o profissional que tem como responsabilidade conduzir e guiar grupos de pessoas que estão viajando, tanto em excursões, viagens internacionais, ou seja, qual for tipo de viagem.

Esses especialistas são responsáveis também por colaborar na preparação do roteiro e planejar as atividades que serão realizadas durante o dia, assegurando que o turista veja os pontos turísticos mais preferidos que a cidade oferece. Normalmente são profissionais otimamente humorados e no transcorrer dos trajetos conduzem de modo muito criativo, revelando as histórias e lendas do lugar.

O guia de turismo possui uma enorme responsabilidade na hora de coordenar os grupos, zelar pela organização da viagem, transmitir as instruções necessárias e sugerir atividades que estejam em conformidade com o perfil do grupo.

A profissão pode ser dividida da seguinte maneira:

  • Guia de Turismo Regional: o profissional atuante no estado onde foi registrado, na sua cidade e região;
  • Guia Turístico Qualificado em Atrativos Naturais: Também chamado de guia ecológico;
  • Guia de Turismo Nacional: esse profissional pode atuar em toda a América do Sul e território nacional;
  • Guia internacional: esse profissional trabalha no exterior, mas é indispensável saber falar outro idioma.

Sendo um profissional autônomo, pode atuar prestando serviços para várias empresas. Observando uma média comum, podemos afirmar que a remuneração do guia de turismo está entre R$ 2.000,00 até R$ 10.000,00 mensais, resultando da quantidade de grupos que o profissional acompanhar naquele mês e das empresas que esteja prestando serviço.

Para ser Guia de Turismo é preciso se qualificar sobre o destino, como seus aspectos culturais, geográficos e históricos e ter conhecimento também sobre organização de roteiros e atendimento ao público. Para se capacitar, uma dica é realizar cursos profissionalizantes como, por exemplo, o Curso Técnico em Guia de Turismo pelo SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) que dispões de uma carga horária de 800 h ou realizar um Curso de Graduação de Turismo, a qual a duração é de 4 anos.

O guia de turismo precisa ser um profissional especializado e cadastrado no Ministério do Turismo pelo Cadastur para poder praticar a profissão. Inclusivamente precisa ser um profissional com registro de autônomo, na prefeitura da cidade atuante.

Por Lucineia Fatima Campos

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro

Escriturário


A profissão de Escriturário é uma das principais portas de entradas em bancos.

O Escriturário é um profissional que trabalha diretamente com o atendimento de clientes, com a análise e verificação de documentos e relatórios. Ele também realiza lançamentos em contas.

A escolaridade exigida para o cargo é de nível médio completo.

A média salarial da função é de cerca de R$2.200.

Esse profissional atua especificamente no setor de administração.

A profissão:

A profissão de escriturário é uma das principais portas de entradas em bancos. Muitos profissionais aproveitam para começar sua carreira bancária como escriturário pelo fato de que ela também permite, após passar pela área, que se possa trabalhar em outros setores do banco e assim dar continuidade à carreira.

O desenvolvimento dessa função é de grande importância para os bancos e empresas já que ela lida com o controle de contas.

Mercado de Trabalho:

O mercado de trabalho para Escriturário é muito abrangente. Mesmo assim, o principal foco dos interessados na profissão são os bancos. A contratação neste caso se dá por meio da aprovação em concursos públicos.

Rotina de trabalho:

Esse profissional pode desenvolver suas atividades trabalhando em instituições financeiras e também em outros tipos de empresas. Os principais bancos do país têm por costume realizar concursos públicos para essa função. Vale destacar a possibilidade de atuação em outras áreas da instituição, como informamos anteriormente. Neste caso, o profissional deverá atender aos requisitos que cada instituição financeira tem para a troca de funções.

O Escriturário é responsável por diversas atividades indo desde o preenchimento e criação de formulários até o atendimento ao cliente. No Banco do Brasil, por exemplo, ele ainda mantém e analisa quadros estatísticos e monta arquivos de documentos.

Em uma análise do cenário geral as últimas pesquisas destacam que o estado de Minas Gerais é o que possui a maior remuneração para a função. Na sequência temos São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

Oportunidade:

Para quem quer ingressar no mercado de trabalho como Escriturário pode aproveitar os concursos que serão abertos neste ano. Um dos mais aguardados está sendo o do Banco do Brasil. Aqui a previsão de salário inicial é de R$3.280,42. Nesse valor já está incluso o salário, auxílio alimentação, vale-refeição e vale-cultura.

O certame deverá oferecer vagas para os estados de SC, RS, MG, ES, AM e RJ.

Por Denisson Soares

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Enfermeiro


O Enfermeiro deve preservar, oferecer e recuperar a saúde, sempre considerando a prevenção de doenças.

Enfermagemé a profissão que se proporciona a manter, promover e restabelecer a saúde e bem estar das pessoas. Sendo um profissional da área da saúde, tem um amplo mercado de trabalho e o mais importante, está sempre aquecido.

O enfermeiro deve preservar, oferecer e recuperar a saúde, sempre considerando a prevenção de doenças. Seu foco está no zelo com o paciente.

Este profissional é imprescindível em todos os âmbitos de um hospital, desde a psiquiatria até UTI, tendo como responsabilidade colher os dados do paciente através de exames físicos e diálogos para realizar o diagnóstico de Enfermagem e determinar o procedimento a ser tomado. Ser capaz de trabalhar em grupo nessa profissão, é um elemento decisivo, uma vez que sempre irá trabalhar simultaneamente com médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros profissionais.

No entanto, a Enfermagem não está limitada aos serviços em hospitais e clínicas. Uma área importante é o da saúde coletiva, no qual o profissional age na promoção da saúde e na precaução de doenças, como Postos de Saúde, e efetuando também trabalhos educacionais na comunidade.

É seriamente importante que o enfermeiro disponha de paciência e delicadeza para trabalhar com pessoas em uma condição de extrema fragilidade.

Sendo um profissional da área da saúde, tem um amplo mercado de trabalho e o mais importante, está sempre aquecido.

Os melhores empregadores de especialistas de Enfermagem são os profissionais particulares, que contratam primeiramente como assistentes para, após, exercerem o cargo de enfermeiro. Áreas como pediatria, geriatria, dermatologia e oncologia detêm uma grande procura por este profissional.

A ampliação do Programa Saúde da Família, do governo federal, igualmente contribui com o mercado de trabalho, sendo que, cada equipe precisa ter, no mínimo, um profissional do ramo. Outro setor que cresce é a auditoria, necessitando de enfermeiros que consigam trabalhar com a ligação custo-benefício de equipamentos e medicamentos hospitalares.

Pode também trabalhar como autônomo, prestando atendimento domiciliar, cuidando de pacientes em sua residência, promovendo seguimento ao tratamento hospitalar.

Para enfermeiro iniciantes, a média salarial é de R$ 1,5 mil a 2,5 mil mensais e como chefe hospitalar pode chega a R$ 3,7 mil por mês.

Quando o profissional está no auge de sua profissão, 10 a 15 anos, a média salarial varia de R$ 6,1 mil a R$ 10 mil mensais e como chefe hospitalar podendo chega a R$ 12 mil por mês.

Sua formação acadêmica é o Curso de Graduação em Enfermagem, com duração de 5 anos. Para atuar na profissão precisa ter concluído a graduação e encontrar-se registrado no Conselho Regional de Enfermagem.

Por Lucineia Fatima Campos

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social

Eletricista


O mercado de trabalho está aquecido para eletricistas e o profissional que tiver cursos técnicos e de especialização consegue boas possibilidades de emprego.

O eletricista é um profissional qualificado a realizar instalações elétricas em ambientes comerciais, residenciais e industriais, respeitando normas técnicas e de segurança. Realizar manutenção elétrica e fazer instalação de instalar equipamentos eletrônicos.

Além de saber utilizar as ferramentas e ter habilidades técnicos necessárias para atuar na profissão, um eletricista considerado bom necessita ter atributos como: realizar cálculos e saber analisar desenhos técnicos, saber se comunicar, habilidades para resolver problemas, ter responsabilidade e ser organizado, trabalhar com proteção e segurança, em caso de eletricistas autônomos são essenciais, ser empreendedor, boa assistência ao cliente e habilidade de negociação. Saber utilizar o computador está sendo cada vez mais importante nesta profissão.

Mercado de Trabalho:

Os eletricistas habilitados tem capacidade de trabalhar na indústria; empresas petroquímicas; na construção civil; em órgãos públicos como prefeituras, órgãos estaduais e federais; prestadoras de serviço e como autônomos.

O mercado de trabalho está aquecido para profissionais eletricistas e faltam trabalhadores preparados para suprir a demanda. Sendo assim, o eletricista que tiver cursos técnicos e de especialização consegue boas possibilidades de emprego.

Média Salarial:

Os eletricistas não tem um único piso salarial válido para todo o País, mas todos que trabalham em empresas recebem um adicional de 30% de periculosidade. Os sindicatos com relação à classe dos eletricistas e àquelas áreas onde esses profissionais trabalham têm pactos e convenções coletivas para determinar o salário, adicionais, benefícios e remuneração por horas extras para várias regiões e gênero de empresa.

Um eletricista recebe a cerca de R$ 1.008,00 e R$ 2.800,77, dependendo da especialização. Com média salarial de R$ 1.695,20 em todo o país.

Dos ramos que pagam salários melhores para eletricistas estão, a indústria de petróleo e gás e o setor de infraestrutura. Investimentos nas áreas de construção civil, telecomunicações e automação industrial contribuem também para que profissionais qualificados conquistem um bom posicionamento no mercado e boa remuneração.

Formação Acadêmica:

Instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) dispõem de curso gratuito de eletricista em todo o Brasil é disponível também pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, o Pronatec.

As chances de emprego são altas para quem faz curso técnico de eletricista, eletroeletrônica, eletromecânica, elétrica automotiva, eletrotécnica e afins. Um estudo do Senai aponta que a maior parte dos alunos de formação técnica, inclusive eletricistas, já concluem o curso com a carteira assinada.

Por Lucineia Fatima Campos

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto

Educador Social


O objetivo do educador social é ajudar a compreender a realidade social e humana, a promover melhorias na qualidade de vida através dos compromissos de transformação social.

O Educador Social é um profissional que atua como agente provocador de mudanças sociais. Para isso ele faz uso de estratégias para a intervenção educativa. Ele atua na inclusão social, nas inadaptações sociais assim como no favorecimento de autonomias e promoção do bem-estar social.

Salários:

Esse profissional, de acordo com sua formação, assim como a região onde irá atuar pode receber salários entre R$1.200 e R$1.800.

Formação e Atuação:

É importante destacar que o educador social também atual na contribuição do desenvolvimento da comunidade. Ele atende também aqueles grupos sociais que são classificados como grupos sociais que apresentam vivência de risco.

O educador social pode desempenhar funções educativas, de mediação, intervenção, desempenho de projetos, desenvolvimento local, gestão, animação, orientação, informativa e reeducativas.

Competências:

Durante sua formação o educador social desenvolve diversas competências (saber fazer, estar e ser) dentre as quais estão as seguintes:

– Construção de projetos educativos, coletivos e individuais

– Desenvolvimento e participação

– Integração para o bem-estar

– Apoio, orientação de atividades culturais, recreações e afins

– Atuação de apoio a natureza individualizada ou coletiva identificando problemas específicos de cada grupo

– Trabalho com equipes pluridisciplinares tais como médicos, psicólogos, professores, tribunais, assistentes sociais entre outros

O educador social trabalha considerando a realidade concreta atuando em determinados contextos a exemplo dos de:

– Instituições próprias de serviços sociais

– Serviços em instituições privadas e públicas, estabelecimentos profissionais, hospitais, empresas, centros infantis, centros cívicos e escolas

Para que sua atuação no contexto geral seja efetiva e eficiente esse profissional faz uso de intervenção ativa com aspectos fundamentados em:

– Conhecimento e análise de necessidades bem como de problemas sociais

– Identificação das possíveis necessidades que precisam de intervenção educativa

– Análise de diagnósticos de situações que precisam ser trabalhadas

– Avaliações contínuas com o objetivo de fazer as adaptações necessárias no caso do surgimento de novas situações.

O educador social por ser um profissional da área de educação social precisa saber traduzir as questões que envolvem os objetivos educativos, as incumbências e também sobre os recursos institucionais que estarão a sua disposição para atuar no conjunto social.

A finalidade do educador social (educação social) é ajudar a compreender a realidade social e humana, a promover melhorias na qualidade de vida através dos compromissos de transformação social.

Por Denisson Soares

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo

Editor de Texto


Confira as características da profissão de Editor de Texto, suas atribuições, salário, mercado de atuação e formação acadêmica.

O Editor de Texto é o profissional responsável pela revisão e reparo do texto, diferente do redator, o Editor de Texto não produz o texto, apenas verifica se há necessita de reparos no texto, analisando se a coesão e a coerência estão claras, havendo assim um melhor entendimento do texto pelo leitor. Além do material impresso como as revistas e livros o profissional pode se responsabilizar pela correção de sites ou qualquer material digital. O profissional também é responsável pela estética do texto tornando assim a leitura agradável e convincente.

Não existe uma graduação específica para ser Editor de Texto, porém a preferência é para o profissional que tenha graduação na área da comunicação como Jornalismo e Letras. Algumas Universidades oferecem o curso especificamente para a área, como a UFPEL (Universidade Federal de Pelotas) que apresenta o curso de Bacharelado em Letras – Redação e Revisão de Textos, o curso habilita o aluno a dominar o uso da Língua portuguesa, tanto na parte oral como na escrita, fazendo com que o aluno consiga adequar o uso da linguagem aos diferentes gêneros textuais. Existem também cursos de especialização para capacitar os profissionais que já têm uma graduação e pretende se especializar no mercado de Produção Editorial.

O mercado de trabalho é amplo, o profissional pode trabalhar nas editoras, a maioria delas fica localizada na Região Sudeste. Pode trabalhar também como autônomo oferecendo serviços na área. Existem empresas ligadas ao governo que contratam profissionais para conferir os materiais didáticos que serão repassados para as instituições de ensino.

A média salarial vária por cada região, sendo inicial em torno de R$1.900,00, porém com o tempo de carreira e a capacitação na área o profissional pode chegar a media de R$3.439,00.

Para que o profissional tenha êxito na carreira de Editor de texto, se torna necessário que se capacite com cursos de idiomas, principalmente inglês, tornando assim um diferencial nos seu currículo e tendo a chance de pegar trabalhos na parte de tradução. É necessário que o profissional tenha gosto pela leitura e que esteja sempre por dentro das novidades do mercado e que tenha conhecimento na área da informática, pois grandes partes dos trabalhos são feitos através das mídias digitais.

Por Gisele Alves de Brito

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista

Editor de Imagens

Biotecnólogo



O Editor de Imagens realiza todo o processo de edição, recorte e tratamento de imagens que vão ao ar.

Uma das profissões mais importantes e que sempre está presente em qualquer emissora de TV é a do editor de imagens. É praticamente impossível fazer um telejornal, novela, ou qualquer outro programa televisivo sem a presença do editor de imagens, pois é ele quem realiza todo o processo de edição, recorte e tratamento de imagens que vão ao ar, além da participação de propagandas da emissora, vinhetas, documentários e filmes diversos.

O profissional deve ser uma pessoa muito atenta em relação ao tratamento das imagens, pois qualquer erro de corte da entrevista de um telejornal, por exemplo, pode complicar o trabalho de todos e passar uma imagem ruim para o telespectador.

A formação acadêmica do editor de imagens geralmente é nível médio completo com curso de especialização em edição de imagens ministrados por alguma escola profissionalizante, mas existem alguns casos em que a emissora exige curso superior em qualquer área ligada à comunicação, como jornalismo ou publicidade e propaganda. A exigência de escolaridade vai depender muito do local onde se trabalha, pois há casos em que a experiência é muito mais importante do que a escolaridade, dependendo das tarefas a serem realizadas.

A carga horária de trabalho desse profissional é de 6 horas diárias, mas em compensação corre o risco de se trabalhar aos finais de semana, dependendo da emissora ou do porte da empresa contratante dos serviços.

O mercado de trabalho de trabalho para o editor de imagens, em sua maioria, é em emissoras de TV, produtoras de vídeo ou agências de publicidade. Além de ser uma profissão extremamente necessária em qualquer ambiente em que são produzidos vídeos diversos, um bom equipamento de trabalho é de suma importância para esse profissional. Quantos mais recursos o editor de imagens tiver para usar, melhor o resultado de seu trabalho.

A média salarial do editor de imagens, dependendo da empresa em que se trabalha e da experiência anterior gira em torno de R$ 1.745,00 mais benefícios trabalhistas. Vale lembrar que é necessária, na maioria das vezes, a realização do curso de edição de imagens em uma escola credenciada.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ

Economista


O Economista tem amplo conhecimento do setor econômico e é capaz de fazer análises profundas sobre os mais diversos cenários econômicos.

O economista é um dos principais profissionais da sociedade moderna, sendo ele o responsável pelo estudo da produção e a distribuição de bens e serviços. Com isso, o mesmo faz estudos que envolvem indivíduos, empresas e até mesmo países. A atuação do economista em relação a problemas de seu dia a dia é bastante diversificada, pois o mesmo se dedica desde as grandes questões, sejam elas nacionais ou internacionais, até mesmo questões de investidores individuais e pequenas empresas.

Com grande conhecimento do setor econômico e capaz de fazer análises profundas sobre os mais diversos cenários econômicos, cabe ao economista a tarefa de elaborar relatórios e pareceres sobre a atual situação econômica de um país ou empresa, bem como fazer projeções para o futuro de tais entidades. Além disso, o economista também tem uma tarefa bastante importante: desenvolver, ampliar e preservar o patrimônio de pessoas físicas, jurídicas e de países.

O curso possui uma grade curricular bastante diversificada. Com isso, o aluno terá contato com disciplinas que vão desde as Ciências Exatas até as Ciências Humanas, bem como as Ciências Sociais Aplicadas. Dessa forma, terá de passar por disciplinas como, por exemplo, matemática financeira, estatística e econometria, sendo esta última à utilização dos conceitos de estatística para análise de dados econômicos. Além disso, disciplinas relacionadas ao entendimento das correntes do pensamento econômico e a evolução econômica, histórica e social brasileira e internacional também estão presentes na grade curricular deste curso. As áreas de Contabilidade e Direito também possuem disciplinas obrigatórias no curso de Economia. O curso possui duração média de 4 anos.

Levando em consideração a Tabela de Salário no Brasil, que foi elaborada pela consultoria Robert Half, o salário inicial de um economista pode variar entre R$ 3.000,00 a R$ 6.000,00, que corresponde ao cargo de Economista Júnior. Já ocupando o cargo de Economista Pleno, o profissional ganha entre R$ 6.000,00 e R$ 10.000,00. Um Economista Sênior, por sua vez, ganha entre R$ 10.000,00 e R$ 20.000,00. No auge de sua carreira, ocupando o cargo de Economista Chefe, o mesmo pode ganhar entre R$ 20.000,00 e R$ 40.000,00.

O mercado de trabalho é bastante abrangente para este profissional. O mesmo pode trabalhar, por exemplo, no mercado financeiro e de capitais além das empresas de consultoria, onde o mesmo irá fazer análises macroeconômicas. Além disso, indústrias, as grandes empresas do agronegócio, setores do comércio de serviços e bens e as pequenas e médias empresas também oferecem boas oportunidades no mercado privado. Outro grande empregador é o setor público, sendo que nesta área os principais empregadores são: ministérios, BNDES, agências reguladoras e Banco Central. Por fim, ainda resta a opção pela carreira acadêmica, seja em instituições de pesquisa ou no ensino superior.

Por Bruno Henrique

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer

DJ


Os DJs são responsáveis por manter uma festa animada e divertida, angariarem público, muitas vezes aliando um nome já conhecido nas pistas de dança, às festas que tocam e promovem.

Se perguntarem qual o fator mais importante para o sucesso de uma festa e responderem a música, além de certa resposta, com certeza é necessário dar algum crédito ao responsável por fazer as pessoas se mexerem dentro de um espaço 4 por 4, natural de qualquer balada.

Ser DJ é mais antigo do que se imagina! Em meados da década de 50, na Alemanha, o discotecário Klaus Quirini ficou conhecido como o Primeiro DJ do mundo. Precisamente em uma época onde a música ao vivo era essencial para o sucesso de qualquer festa e celebração, Klaus apareceu, então, com a revolução do “toca-discos”, mostrando que era possível sim se divertir sem ficar “refém” da aparição dos músicos. Era só ter a música gravada nos antigos discos de vinil que ele seria responsável pelo show. No Brasil a história não foi muito diferente. Segundo histórico, Osvaldo Pereira foi o primeiro discotecário brasileiro, com sua “Orquestra Invisível”, também na década de 50, em São Paulo.

Os DJs que antes eram colegas de turma e conheciam nossos gostos musicais, se expandiram para uma rede, com isso, gerando a profissionalização dos mesmos.

Os DJs, hoje, são responsáveis por além de manter uma festa animada e divertida, mas por angariarem público, muitas vezes aliando um nome já conhecido nas pistas de dança, às festas que tocam e promovem.

Atualmente, o Brasil conta com cursos profissionalizantes de produção musical e discotecagem que já são oferecidos por instituições de renome no cenário de formação em eventos de médio e grande porte, como o IATEC (Instituto de Artes e Técnicas em Comunicação) – iatec.com.br/galeria-fotos/curso-de-discotecagem – e o De.DJs (e-djs.com.br/cursos-de-dj/curso-de-dj-digital/?utm_source=banner-header-728px&utm_medium=banner&utm_term=curso-de-dj&utm_content=curso-de-dj-basico-728px&utm_campaign=curso-de-dj-basico), localizado em São Paulo.

Para fazer o curso, é muito simples. Não há requisitos específicos para que você possa começar a aprender sobre a profissão, mas é sempre importante que o hábito de ouvir música seja mais que um “hobby”, mas uma necessidade, pois esse será o seu principal instrumento de trabalho.

A renda mensal de um DJ iniciante, dando início a cursos profissionalizantes, pode chegar a 90 mil reais, dependendo dos espaços em que for contratado para tocar e o regime de contratação acordado entre o DJ e as casas de festa (se por noite ou mensal).

Se interessou? Pareceu interessante? Então se joga na pista e quem sabe você possa ser o próximo Calvin Harris ou David Guetta?

Saiba mais sobre os cursos profissionalizantes de Discotecagem nos sites citados acima.

Por Yamí de Araújo Couto

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador

Designer


O Designer pode trabalhar em agências de publicidade, agências de arte e empresas multinacionais que trabalham constantemente com propaganda e publicidade.

Se perguntarem na rua de onde surgiu e o que se refere a profissão “Designer”, as mais variadas respostas poderão ser dadas: “Alguém que faz marketing”, “alguém que faz banners”, “Alguém que faz as propagandas que estamos habituados a ver nas ruas, outdoors e televisão”.

Nenhuma alternativa está devidamente errada, pois os Designers possuem uma profissão de funções vastas, amplas e possuem contato com os mais variados segmentos de criação e publicidade. Porém, vamos compreender o que de verdade fazem e são os Designers.

O termo "design" está relacionado a “planificar, simular, esquematizar”. O design está muito mais ligado ao simbolismo, ou seja, entender a “alma de um negócio” para então “significar” através de um signo, símbolo e imagem o que esse negócio representa. Essa prática se tornou comum nos períodos de Iluminismo e Revolução Industrial, onde foi necessário entender que “desenhar”, ato de tornar sólida uma figura, pensamento e ideia, era diferente do design, que era projetar e entender o espírito daquilo que estava sendo tratado.

Hoje, os Designers possuem a função de dar continuidade ao entendimento dessas perspectivas, mas ampliando suas áreas de atuação, principalmente na área de tecnologia.

Para se tornar um designer, você precisará de criatividade e interesse comum para aprender sobre ferramentas de criação. Instituições como ESPM (www2.espm.br/cursos/espm-rio/design) e SENAC (www.rj.senac.br/cursos/design-e-games/graduacao-tecnologica-em-design-grafico), oferecem cursos de graduação presencial. Os requisitos são a conclusão do Ensino Médio e estar com as obrigações legais cumpridas com a justiça eleitoral. Além disso, há os cursos grátis de formação básica online em Web Design, Design Gráfico, 3D e Games, que podem ser encontrados pelos sites da IPED (www.iped.com.br/cursos-gratis) e Universia (noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2014/01/09/1073896/9-cursos-online-gratuitos-design-grafico-confira.html).

A renda salarial de um designer pode girar em torno de R$1.500,00 para os mais iniciantes. O mercado de trabalho oferece as mais variadas opções, como agências de publicidade, agências de arte e empresas multinacionais que trabalham constantemente com propaganda e publicidade.

A formação de um designer costuma levar em torno de 2 anos, para cursos de graduação tecnológica, e 4 anos para cursos de bacharelado. Os cursos de extensão podem atingir áreas como: moda, publicidade, artes, entretenimento, administração, gestão, Web e os mais variados ramos possíveis.

Se interessou? Saiba mais dos cursos nos sites citados acima.

Por Yamí de Araújo Couto

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos

Decorador


O decorador realiza mudanças estéticas em ambientes. Confira as informações sobre essa profissão.

O decorador é o profissional que se encarrega de realizar mudanças estéticas em ambientes residenciais, comerciais ou de eventos. Dessa forma, usa acessórios, móveis e cores que possam compor esses locais, de maneira a refletir o gosto do cliente de maneira equilibrada. Por isso, quem deseja seguir essa carreira deve ser ligado em relação a tendências e estilos de decoração. Veja a seguir mais detalhes sobre a área!

O que é preciso para ser um decorador?

Para ser um decorador, não é obrigatório ter um diploma de Ensino Superior. Mas isso pode ser um diferencial durante a candidatura a uma vaga ou projeto. Sendo assim, o profissional da área tem as seguintes opções de ensino:

· Bacharelado em Decoração e Design de Interiores. Duração média de 4 anos.

· Técnico em Decoração de Ambientes. Duração média de 2 anos.

· Superior de Tecnologia em Design de Interiores. Duração média de 2 anos.

Vale informar que quem busca uma atuação mais ampla deve ter a formação em Design de Interiores (bacharelado ou tecnólogo), pois esse profissional recebe capacitação para atuar também como decorador. Assim, as possibilidades de trabalho também são maiores.

Qual a média salarial na área?

De acordo com o Site Nacional de Empregos (Sine), o salário médio de um decorador pode variar entre o valor mínimo de R$1.543,00 (trainee) e o máximo de R$3.886,00 (master). Porém, o profissional também pode trabalhar de forma independente, como um prestador de serviços para empresas ou residências. Assim, tem sua própria tabela de preços para cada tipo de projeto.

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho na área teve muita demanda nos últimos anos, devido ao crescimento do setor de construção civil. Nesse caso, profissionais estão sendo contratados para decorar apartamentos e casas que servem de amostra para possíveis compradores. Por outro lado, decoradores também têm atuado em lojas de artigos para casas e escritórios. Nesse caso, desenvolvem projetos para ambientes específicos em períodos alternados. Por outro lado, escrever sobre decoração em um blog ou site também é uma atividade muito em evidência atualmente.

Então, a profissão de decorador é muito indicada para pessoas que gostam de tendências em moda e decoração. Por isso, estão sempre realizando pesquisas e fazendo leituras sobre esse universo. Além disso, é importante que sejam comunicativas, criativas, tenham bom gosto e desejam encantar seus clientes com ambientes bonitos, aconchegantes e agradáveis.

Gostou da área? Pretende trabalhar como decorador?

Por Camilla Silva

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos


O dentista irá extrair, limpar e restaurar dentes, projetar e instalar próteses, realizar cirurgias e tratamentos de doenças da gengiva, bochecha e língua.

O bacharel em Odontologia, conhecido popularmente como Dentista, é um profissional de extrema importância na vida das pessoas. O mesmo é o responsável direto pelo estudo e tratamento da boca, dos dentes e dos ossos da face. Com isso, o dentista irá atuar no cuidado da saúde, bem como da estética bucal.

Com uma formação bastante ampla em sua área, o dentista irá contar com várias atribuições no seu dia a dia. Dessa forma, atividades como, por exemplo, extrair e limpar dentes, restaurar dentes, projetar e instalar próteses, além da realização de cirurgias e tratamentos de doenças da gengiva, bochecha e língua são comuns no cotidiano desse profissional.

O curso de odontologia é destinado àqueles que possuem afinidade com disciplinas das áreas de Ciências Biológicas e Saúde, pois a grade curricular do curso é recheada de cadeiras relacionadas a essa áreas. Portanto, durante sua formação acadêmica o estudante terá contato com disciplinas como patologia, anatomia humana aplicada à odontologia, epidemiologia, fisiologia, histologia, imunologia, bioquímica, dentre outras disciplinas. Além disso, outra atividade bastante presente em sua formação serão as aulas práticas de laboratórios. Através de tais aulas os estudantes irão praticar restaurações, extração e demais procedimentos. O curso possui duração média de 5 anos.

A média salarial do dentista pode variar bastante de acordo com a área de atuação do mesmo, a região onde ele trabalha, dentre outros fatores. Em média, o ganho inicial é de cerca de R$ 2.500,00. Já no escalão intermediário esse valor pode variar entre R$ 3.400,00 a R$ 5.000,00. No auge de sua carreira, o dentista pode ganhar entre R$ 5.000,00 e R$ 12.000,00, sendo que alguns chegam a ganhar acima desse valor, desde que tenham investido, ou seja, feito especializações, por exemplo.

Quanto ao mercado de trabalho, é importante destacar que o maior empregador é o setor público, apesar de o consultório próprio ser o sonho de qualquer estudante da área. Sendo assim, o setor público é o principal destino dos recém-formados e atuação em programas como o SUS, Saúde da Família e Brasil Sorridente é bastante comum. Já no setor privado, apesar da grande concorrência, as áreas que mais precisam desse profissional são: endodontia, implantodontia, dentística restauradora e odontopediatria.

Por Bruno Henrique

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim

Cuidador de Idosos


O Cuidador de Idosos deverá ter uma boa dose de aptidão pessoal para exercer a função, além de noções de enfermagem, nutrição e primeiros socorros.

Com a crescente qualidade de vida das pessoas em melhoria nos últimos tempos, a população tende a viver mais e com isto, o número de idosos tem aumentado muito. Aliado a isso, cresce a necessidade cada vez maior no mercado de trabalho de profissionais que se dediquem a acompanhar e cuidar de pessoas com idade mais avançada.

Com a correria do dia a dia, muitas famílias não dispõem de tempo necessário para cuidar de seus membros mais idosos. Neste contexto, entra a figura do cuidador de idosos. Uma profissão que sempre existiu na informalidade, mas com a mudança do padrão na sociedade, veio também a necessidade de se regulamentar tal atividade e que requer agora, além do conhecimento técnico, adquirido através de cursos profissionalizantes, uma boa dose de aptidão pessoal e qualidades inerentes para quem quer se bem sucedido neste contexto.

Para quem pensa em ser um cuidador, a prática adquirida na informalidade não basta apenas. Agora é preciso ter domínio sobre um bom conhecimento teórico que deve ser estudado para a prática da profissão. Para se ter mais competência, o candidato deverá procurar um bom curso profissionalizante, onde ele terá noções fundamentais de enfermagem, nutrição e de primeiros socorros. Isso vai pesar muito na hora da contratação e todo o conhecimento teórico vai ser de grande valia à medida que os cuidados requeridos forem mais complexos com o público alvo.

Vale salientar que os cursos feitos na área deverão ser obrigatoriamente reconhecidos pelo MEC e o futuro profissional deverá ter o ensino fundamental completo.

Além do conteúdo técnico, o cuidador de idosos deverá ter uma boa dose de aptidão pessoal para exercer a função. O momento do curso e as aulas práticas poderão ser de grande valia para que o aluno possa se certificar de que possui requisitos fundamentais para a atividade como paciência, saber dar os remédios na hora certa, saber preparar as refeições adequadas de acordo com as necessidades de seu cliente e ser capaz de realizar a sua higiene íntima diária, além de poder e ter condições de se comunicar adequadamente com os familiares em caso de alguma intercorrência.

A atividade que agora segue regulamentada pode ser exercida em casas de família e de repouso, além de asilos e clínicas de saúde. Nesta última passa a ser exigido também que o profissional possua alguma formação na área de saúde.

Quanto à remuneração, ela pode variar dependendo do local onde se vai trabalhar. Nos dias atuais, a média salarial de um cuidador de idosos situa-se entre mil e três mil reais. A contratação segue as mesmas regras adotadas para os empregados domésticos e com os mesmos direitos trabalhistas da classe.

Por Emmanoel Gomes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros

Cumim


O Cumim cuida do ambiente para que o exigente cliente se sinta em casa.

Provavelmente muitas pessoas nunca ouviram falar na palavra cumim ou muito menos sabem do que se trata, pois além de não ser uma palavra muito comum para nós, pode nos remeter a várias coisas.

O cumim é uma profissão como qualquer outra e é ele quem auxilia o garçom no atendimento em bares, restaurantes de pequeno e grande porte, clubes, festas e eventos, servindo bebidas e refeições dos clientes e convidados, além de organizar mesas, utensílios em geral, também é responsável pela limpeza do salão ou do ambiente do evento. Pode até parecer fácil, mas o cumim tem que ser extremamente organizado, cuidadoso, proativo e ter compromisso com a profissão que exerce.

O cumim precisa sempre estar em sintonia com seus colegas de trabalho que para as tarefas não se acumulem e o trabalho fique mais fácil. Em suma, a principal função do cumim é cuidar do ambiente para que o exigente cliente se sinta em casa.

A formação acadêmica desse profissional, geralmente, é o ensino médio completo e caso o cumim tenha cursos de especialização na área em que trabalha, pode ser um grande diferencial na hora de se conseguir uma oportunidade.

Por incrível que pareça, a profissão de cumim vem crescendo nos últimos anos devido à alta demanda do turismo no Brasil e do aumento do número de bares e restaurantes que atendem a um público mais seleto e exigente.

O salário médio de um cumim pode variar bastante de acordo com o porte da empresa em que se trabalha e até mesmo de sua localização. A remuneração média fica entre R$ 950,00 e R$ 1.860,00, dependendo da sua experiência anterior na função, no desempenho das atividades e do seu comprometimento com o trabalho.

O mercado de trabalho para esse profissional é bastante amplo e pode variar entre bares e restaurantes que absorvem a maioria deles, até grandes empresas que tem restaurantes ou até mesmo clubes de recreação das grandes cidades.

Vale lembrar que o cumim trabalha aos finais de semana, pois o movimento de clientes é bem maior e tem suas folgas no meio de semana, o que leva muitas pessoas a levantarem uma grana extra.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis

Corretor de Seguros


O Corretor de Seguro é um especialista no ramo securitário. Trabalha mediando todos os processos de corretagem de seguros entre o segurado e a seguradora.

Profissional certificado pela Escola Nacional de Seguros e com registro na SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o Corretor de Seguros pode trabalhar em seguradoras, corretoras, empresas que prestam serviços jurídicos ou atuar na profissão por conta própria, seja como um profissional autônomo ou abrindo sua própria corretora de seguros. Trabalha mediando todos os processos de corretagem de seguros entre o segurado e a seguradora, analisando os custos e benefícios com relação à situação do segurado, indicando o produto mais apropriado às suas carências.

Formação:

Para exercer a profissão de Corretor de Seguros, o interessado deve realizar o Curso para Habilitação de Corretor de Seguros, precisa apresentar o diploma de ensino médio e ter 18 anos completos, no momento da inscrição. O Curso para Habilitação de Corretores de Seguros é composto por 3 cursos: Curso para Habilitação de Corretores de Capitalização; Curso para habilitação de Corretores de Seguros de Vida e Previdência Complementar; e Curso para habilitação de Corretores de Seguros Demais Ramos.

O Curso tem duração de 9 meses.

Tendo em mãos o Certificado de Habilitação de Corretor de Seguros, o profissional deve efetuar seu registro na Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Função:

O profissional tem como atribuição administrar, intermediar, promover contratos de seguro, e, sobre de tudo, preservar os direitos dos segurados e propiciá-los maior segurança e eficiência, tanto no ato da transação quanto na utilização de uma apólice de seguro. É um profissional (legalmente autorizado) que media a relação segurado x seguradora, sempre esclarecendo, orientando, explicando ao segurado seus direitos e obrigações em certos contratos de seguro. Age também como consultor de riscos, averiguando e reconhecendo necessidades do consumidor para futuramente localizar, através de uma apólice de seguro, uma solução possível que resulte segurança e tranquilidade.

Salário:

Inicialmente o corretor de seguros tem um salário, em média de R$ 2.000,00, pode ser uma remuneração fixa ou uma remuneração fixa e um percentual por sua atuação em cada venda. Após, varia muito, se ele é contratado, ou se é autônomo. Quando se é contratado, a média salarial chega aos R$ 3.200,00. Caso seja um profissional, podemos indicar uma média de R$ 5.500,00. Depende muito do piso salarial do estado onde você atua profissionalmente.

Mercado de Trabalho:

O corretor de seguros é, geralmente, um profissional autônomo, possuindo assim, sua própria corretora, no entanto, pode atuar em uma outra corretora, como sócio, ou somente funcionário.

História:

A profissão iniciou-se em 1578, em Portugal, com o intuito de mediar as relações entre segurados e seguradoras. Nenhum seguro seria válido sem a intervenção do corretor. A função diferia-se do escrivão de seguros, por ser paga pelos segurados, o que assegurava ao corretor uma remuneração mais ou menos cinco vezes maior que o de um escrivão.

Por Lucineia Fatima Campos

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social

Corretor de Imóveis


O Corretor de Imóveis coloca alguém que quer vender, ao lado de quem quer comprar, mostrando um preço justo para ambos.

Para ser um corretor de imóveis, profissão autorizada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI), não basta ser formado em "Técnico em Transações Imobiliárias" ou curso superior em Ciências ou Gestão de Negócios Imobiliários, deve também cumprir com as suas responsabilidades e respeitar o código de ética desta profissão.

Conforme a Lei n° 6.530, o corretor deve intermediar a compra, venda, locação e permuta de imóveis e pode opinar na sua comercialização, ou seja, colocar alguém que quer vender, ao lado de quem quer comprar, mostrando um preço justo para ambos.

Para desempenhar a função de Corretor de imóveis, entre outras disciplinas, é necessário o conhecimento de informática, topografia, engenharia, arquitetura, matemática financeira e direito imobiliário. A obrigação desta profissão também está em apresentar todas as informações do negócio para as pessoas envolvidas, bem como, a situação do andamento dos negócios, os riscos de perdas e danos ao imóvel e principalmente os valores agregados naquela negociação.

As principais atividades estão em se manter atualizado no mercado imobiliário, reunir todas as informações detalhadas sobre aquela transação, firmar o seu contrato pela prestação de serviços, fazer a negociação entre as partes com o preço e as condições de pagamento, examinar a documentação do imóvel e informar aos futuros compradores ou inquilinos, mostrar o imóvel ao cliente agendando a visita e mostrar as melhores alternativas para os investidores.

O código de ética instrui o corretor a conhecer todos os detalhes do negócio antes de oferecer para alguém, informar ao cliente todos os riscos e dados verdadeiros, nunca deixando nenhuma informação passar despercebido ou algo que possa prejudicar e dar prejuízo ao comprador, qualquer valor ou documento entregue, deve ser direcionado a quem for, o mais rápido possível e deixar a sua competência para a orientação profissional do negócio, nunca influenciando na decisão pessoal do cliente.

Entre outros, o código de ética menciona em não receber comissões diferentes ao da tabela do CRECI, não ter nenhuma vantagem "extra" na negociação, não ser desleal a nenhum colega de profissão e não segurar negócios em seu poder, que não irá conseguir realizar.

O CRECI se encarrega de verificar os seus inscritos e as suas faltas cometidas, aplicando as devidas penalizações conforme a legislação vigente.

O mercado de trabalho para este profissional existe com vagas efetivadas e autônomas e os ganhos podem variar, dependendo da região e da carga horária exercida.

Por Fernando Dias

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha

Comunicador Social


O Comunicador Social é formado em curso superior em Comunicação Social que abrange três áreas que são o jornalismo, publicidade e propaganda e relações públicas.

Quando o assunto é meios de comunicação, várias profissões vêm logo à nossa mente e pensamos no jornalista, no publicitário, no relações públicas, dentre outros. Comunicador Social é toda aquela pessoa que é formada em curso superior em Comunicação Social que abrange três áreas que são o jornalismo, publicidade e propaganda e relações públicas. Todos que se formaram em um desses três cursos são considerados comunicadores sociais que exercem diferentes funções dentro de cada área, mas que tem um objetivo em comum: a informação, seja ela escrita na internet ou nos jornais, ouvida no rádio ou vista na TV.

No jornalismo, por exemplo, o profissional trabalha o tempo inteiro com informação, seja na apuração, divulgação ou redação de notícias ou eventos diversos. O publicitário já trabalha a informação de uma forma diferente com as pessoas, pois ele faz propaganda do seu negócio e foca em cima disso e o relações públicas, como o próprio nome diz, é aquele profissional que trabalha a informação com pessoas o tempo todo, seja em eventos, festas ou cerimônias diversas, ou seja, relacionamento pessoal é o forte desse profissional.

O mercado de trabalho para esses profissionais é vasto e vai depender, principalmente, do veículo de comunicação em que se atua e do seu porte. Emissoras de Rádio e TV, Jornais impressos e agências de publicidade podem absorver os três tipos de comunicadores, mas vai depender do perfil de cada um.

Muitos comunicadores sociais trabalham de forma freelancer, o que pode ser uma boa alternativa em época de crise financeira.

O salário para o comunicador social é muito relativo e depende, principalmente, do veículo de comunicação em que se atua. Profissionais que trabalham em emissoras de TV, geralmente têm os melhores salários que podem chegar aos R$ 4.800,00 ou muito mais que isso dependendo do caso ou do profissional e emissoras de rádio e jornais impressos ficam em segundo e terceiro lugar com salários menores um pouco. Quando o comunicador atua de forma freelancer, o salário é muito instável e vai depender da demanda de serviço e da área escolhida para trabalhar seja em agências de comunicação ou prestando serviços para web sites, ou seja, o valor do salário não é fixo, mas é uma área que está em constante crescimento no país.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator

Chefe de Cozinha


Os melhores profissionais ganham destaque e são mais requisitados. A boa formação e experiência aliados a habilidade e liderança são ótimas características de um chefe de cozinha.

O profissional responsável por executar diversas atividades de comando e criatividade em uma cozinha é chamado Chefe de Cozinha. É ele quem cria e executa cardápios em restaurantes, hotéis, bares, bufês, hospitais e etc, além de gerenciar toda a equipe quanto a forma de preparo.

O mercado brasileiro tem sido altamente competitivo para esse setor, vez que a profissão ganhou grande destaque, até mesmo no cenário mundial, devido ao reality show voltado ao segmento.

Os melhores profissionais ganham destaque e são mais requisitados, como em toda a profissão, a boa formação e experiência aliados a habilidade e liderança são ótimas características de um chefe de cozinha.

O salário de um Chefe de cozinha pode variar muito de acordo com o local onde trabalha, experiência e habilidades desenvolvidas, gira em entre R$ 1.100 e R$ 3.500 mensais, sendo a média nacional em torno de R$ 1.914, isso a depender da região e técnica, principalmente.

Essa média salarial é baseada em chefes não renomados e contratados de empresa, aqueles consagrados e/ou sócios de algum empreendimento faturam valores bem mais altos.

Os melhores locais para trabalhar, pensando em valores são os ligados a turismo e hotelaria, restaurantes e prestação de serviços.

O chefe de cozinha não necessariamente necessita de um diploma do ensino superior, no entanto, há locais que exigem essa formação em Gastronomia. Pode acontecer de os melhores profissionais não serem formados, mas a alta competitividade fez com que as empresas procurassem por quem se aperfeiçoa com cursos diversos.

Para se tornar um chefe de cozinha, existem, ao menos, 134 universidades autorizadas pelo MEC que oferecem a formação específica. Há a possibilidade de fazer bacharelado ou tecnólogo em Gastronomia, sendo que a maior parte do ensino é no setor privado.

O curso tecnólogo tem duração de dois anos, enquanto o bacharelado tem quatro anos. As disciplinas do bacharelado variam entre prática e teórica, além de passear pela área de gestão. Já para o tecnólogo, o foco é na prática da preparação dos alimentos e algumas bebidas.

Para mais informações procure por uma instituição e tenha informações sobre a grade curricular, assim será possível saber se o que pretende está mais no ensino tecnólogo ou bacharelado.

Por Caroline Silvério

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator


O Atuário analisa e quantifica o risco que pode estar presente em operações de seguro, planos de saúde, previdência complementar e títulos de capitalização.

O Atuário é o profissional responsável pela utilização de conhecimentos e cálculos com o objetivo de elaborar planos de seguro ou de previdência e até mesmo outras operações financeiras que envolvam risco. Dessa forma, o atuário será capaz de analisar e quantificar o risco que pode estar presente em operações de seguro, planos de saúde, previdência complementar e títulos de capitalização.

Com isso, trata-se de um profissional cada vez mais importante no atual cenário, haja vista a dinâmica da economia atual e seus respectivos riscos envolvidos nas mais diversas operações. O atuário também é o incumbido de avaliar as possibilidades de perdas de uma seguradora ou qualquer que seja a instituição previdenciária, determinando assim o valor das prestações do referido seguro, por exemplo. Portanto, é um profissional indispensável nas áreas de Economia e Finanças.

O curso de Ciências Atuariais possui uma grade curricular repleta de cadeiras relacionadas à matemática. Com isso, o aluno terá contato com disciplinas como, por exemplo, cálculo numérico, cálculo diferencial e integral, estatística, probabilidade, matemática financeiras além de legislação e bases teóricas de economia. Depois do ciclo básico, o graduando irá ingressar nas disciplinas do profissional. Sendo assim, o mesmo irá estudar teoria do risco, gerência de risco financeiro, contabilidade de seguro, além do estudo de gramática e redação, pois o atuário será responsável por redigir contratos e regulamentos. O curso possui duração média de 4 anos.

No início de sua carreira, o profissional da área de Ciências Atuariais ganha em torno de R$ 2.000,00 a R$ 2.500,00. Já durante o escalão médio, esse valor pode dobrar. No auge de sua carreira o atuário pode ganhar acima de R$ 15.000,00.

Vale destacar que a carreira aqui destacada é uma daquelas com a melhor perspectiva de futuro, pois os profissionais da área de Ciências Atuariais vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Trata-se de um mercado em expansão e bastante requisitado. Com atuação fundamental nas áreas de economia e finanças, o atuário conseguirá emprego facilmente em instituições públicas ou privadas que trabalhem diretamente com cenários de risco ou incerteza.

No setor público, as principais vagas são oferecidas em órgãos supervisores e fiscalizadores. O setor privado também está aquecido para os atuários, pois os investimentos em previdência complementar vêm crescendo cada vez mais como resultado da deterioração da previdência social pública.

Por Bruno Henrique

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista

Ator


O Ator, ou Atriz, é graduado em Artes Cênicas e atua, normalmente, no Cinema, TV ou Teatro.

A melhor definição já encontrada de ator ou atriz é daquele profissional graduado em Artes Cênicas do qual o ambiente de trabalho é, geralmente, no Cinema, na Televisão ou nos palcos de Teatro.

Engana-se quem pensa que a profissão exige pouco esforço, isso porque decorar textos, e vivenciar um personagem totalmente diferente da sua personalidade, é um dos pré-requisitos essenciais que, na grande maioria das vezes não pode ser ensinado como uma conta de adição.

Quanto à remuneração, é bastante complicado estabelecer uma média dos salários para atores e atrizes. Há uma grande desigualdade dentro do mundo da arte porque alguns profissionais de Artes Cênicas conseguem adquirir status e fama e dessa forma, ganham montes de dinheiro, enquanto outro profissional também formado, não possui a mesma oportunidade e assim ganha muito pouco pelos seus serviços. Como a profissão abrange áreas como teatro, cinema e televisão, os salários também podem variar por conta dessa condição. Isto é, o salário de um ator que grava uma série, não será o mesmo daquele que grava um filme e nem daquele que sobe aos palcos do teatro.

Sabe-se que o cinema, o teatro e a televisão sempre estão dispostos a oferecerem vagas para atrizes e atores que possuem talento ao interpretarem algum personagem. Contudo, às vezes ter só o talento não basta e é preciso que o profissional busque uma formação boa e sólida em escolas que ensinem bem e possuem prestígio. Nem sempre é justo, mas para conseguir um emprego em algum desses canais, é preciso antes de tudo, conseguir a confiança dos diretores e aqueles que escolhem os profissionais.

Como já dito antes, para desempenhar a função de atuar, os profissionais interessados devem procurar fazer a graduação em Artes Cênicas ou então possuem a opção de fazerem cursos específicos em escolas de arte. Geralmente, os cursos são supervisionados por diretores de todo o Brasil e assim eles selecionam e abrem os caminhos para novos profissionais talentosos da área. Assim, os estudantes podem fazer vários testes e concorrerem a muitos papeis em diversas categorias. Além disso, para conseguir exercer as suas funções, os profissionais devem ter um registro reconhecido na Delegacia Regional do Trabalho também conhecida como DRT no mundo artístico.

Por Sirlene Montes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro

Barista


Barista é um profissional com especialização em bebidas que utilizam o café como base para seu preparo.

Como um bom brasileiro, você gosta de preparar um cafezinho? Se a resposta for sim, essa talvez possa ser a inspiração para seu próximo emprego. O cargo de Barista, que é bastante comum em países europeus, chegou ao Brasil nos últimos 10 anos. Como se trata de uma função relativamente nova no mercado de trabalho carece de mais profissionais especializados que atuem nessa área.

Mas quais são os requisitos para trabalhar como Barista e o que esse profissional realmente faz?

O Barista nada mais é do que um profissional com especialização em bebidas que utilizam o café como base para seu preparo. De acordo com o coordenador da rede Starbucks, Mário Kuwara, uma das atribuições do cargo é conseguir uma “xícara de café perfeita”.

Outras atribuições mais fáceis de serem compreendidas incluem o conhecimento dos processos que envolvem o café. É preciso saber quais os tipos mais consumidos e como o cultivo é realizado. As fases de processamento e torrefação também devem ser do conhecimento do profissional.

Os interessados devem ainda saber manipular máquinas de cafeterias e oferecer bom tratamento aos clientes.

Qual a escolaridade exigida? Existem cursos para esta função?

Bom, de maneira geral, a maior parte das empresas que possui esse cargo no quadro de funcionários, exige o Ensino Médio Completo. Mas, deve constar no currículo, algum curso de especialização no assunto, caso contrário, fica difícil conseguir a colocação.

Onde posso realizar cursos de barista?

As maiores redes de cafeteria do Brasil, como por exemplo, Starbucks e Frans Café oferecem o conhecimento aos seus novos colaboradores, para isso, é preciso ter disponibilidade e vontade de aprender. Há ainda a possibilidade de realizar cursos livres.

Qual a carga horária e remuneração oferecida?

Os baristas costumam trabalhar de 20 a 40 horas por semana. Os locais de atuação são bem diversificados e vão desde lanchonetes a até restaurantes finos. Segundo o SINE, a remuneração mensal gira em torno de R$1.200,00.

Outras Instituições de Ensino:

Se você ficou interessado saiba que existem empresas que ministram cursos para baristas, são elas: Instituto Universal Brasileiro (EAD – Ensino a Distância), SENAC São Paulo – Presencial e o CPT – Centro de Produções Técnicas (EAD).

Por Beatriz

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro

Bombeiro


Os bombeiros são militares, portanto, caso você deseje ingressar nessa carreira, primeiramente, deve pensar que ingressará em uma carreira militar.

Participar do Corpo de Bombeiros é um dos feitos mais bem vistos e encorajados da sociedade.

Além de exigir bravura, a profissão pede um excelente treinamento, pois as situações no dia a dia de um bombeiro são sempre momentos de muita tensão. Pode-se dizer que apagar incêndios e atender emergências são, no mínimo, tarefas árduas e difíceis. Essa linda profissão sempre acompanha motivos verdadeiramente genuínos por parte dos que a escolhem, sendo este motivo hora passional, hora altruísta.

É importante lembrar que, para quem deseja aderir a essa carreira, é necessário – além da comum vontade de ajudar o próximo que geralmente encoraja os jovens no momento de escolher essa profissão – que o candidato tenha muita dedicação, pois não é nada fácil se aplicar em uma profissão que exige tanto de alguém, tanto fisicamente quanto emocional e psicologicamente.

Em território nacional, os bombeiros são militares, portanto, caso você deseje ingressar nessa carreira, primeiramente, deve pensar que ingressará em uma carreira militar. Isso remete a planos de carreira muito bem definidos em postos, alto respeito à hierarquia, além de sujeição às legislações vigentes a respeito de militares. Os bombeiros são militares estaduais, portanto, as condições de contratação, tais como benefícios e salários, podem variar de estado para estado.

A seleção para fazer parte do corpo de bombeiros de seu estado, estará sujeita e ligada diretamente à necessidade que o estado tem de tal serviço, portanto, conforme a disponibilidade do seu estado (ou do estado onde deseja fazer ingresso na carreira militar), serão abertos editais para concursos públicos. Além da disponibilidade e necessidade do estado, os concursos aplicados terão também a influência do mesmo, uma vez que o nível de dificuldade, pré-requisitos e instituição organizadora também ficam a cargo dele, porém algumas etapas precisam ser comuns: prova teórica para fim de exame intelectual, exames de saúde, físico, psicotécnico e, por último, a investigação social.

Passadas essas etapas, se aprovado, o candidato é encaminhado para o curso de formação, que aborda tanto as formações das praças, referente a todas as funções de cunho operacional, quanto a formação de oficiais, que habilita os candidatos aprovados para exercerem cargos de hierarquia mais alta, sendo essa formação mais visada por questões de remuneração mais atrativa.

O salário de um bombeiro, inicialmente, varia entre R$1.600,00 e R$2.300,00.

Por Carolina De Marco Brandenbergher

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo

Blogueiro


O Blogueiro compartilha opiniões e dicas na internet, tornando-se conhecido pelos internautas.

Nos dias de hoje, é difícil encontrar alguém que não conhece um blogueiro ou blog famoso. Mas para quem não sabe, ter um blog é a mesma coisa que ter um espaço na internet e nele poder compartilhar opiniões e dicas de livros, filmes, moda, música, cinema, estudo, trabalho, informações do cotidiano e não apenas situações do senso comum, como também emitir críticas a cerca dos acontecimentos que rodeiam o mundo. Enfim, num blog pode ser escrito inúmeros temas e quem disserta a respeito de cada um deles, ganhou tanto o reconhecimento quanto o nome para a profissão: blogueiro. Abaixo, haverá mais informações sobre o novo ofício de cerca de 12 milhões de brasileiros, que fazem do país o número dois no ranking de blogs no mundo.

Os blogs surgiram principalmente porque os jornais bem como revistas são sempre limitados demais, faltando espaço para aumentar o número de escritores e colunistas. Contudo, com a ascensão do capitalismo o blog tornou-se uma ferramenta poderosa para expandir a indústria cultural. Isto é, o blog pode não gerar uma fonte de renda diretamente, mas acontece que blogs famosos e muito lidos podem sim ganhar muito dinheiro. Tudo acontece em blogs específicos, a maioria deles é destinado principalmente a meninas adolescentes, tomando como exemplo esse ponto, lojas que podem oferecer produtos de interesse para essa faixa etária acabam fazendo um contrato com esses blogs. Nesse sentido, o escritor(a) quando publica sobre determinada moda, usa como referência a roupa que é vendida em tal loja. Dessa forma, a publicidade ganha destaque e assim tanto a loja quanto o blogueiro ganham.

Não existe regras de aptidão para ser um blogueiro, pois algumas coisas são apenas óbvias. Isto é, sabe-se que é preciso ter uma boa ortografia, além da facilidade de se comunicar com cada público-alvo. Somado a esses fatores, é preciso sempre ter fontes limpas, compromisso com a verdade deve ser sempre a regra de todo blogueiro que pretende fazer sucesso, isso porque se cair em descrédito nenhuma empresa vai querer anunciar e fazer propagandas. Dispensa dizer que deve ter criatividade, pois muitas pessoas acabam ficando muito tempo sem publicar nada e assim os leitores perdem a paciência de estar atualizando a página e nunca encontrar nada novo. E, por último, saber lidar com os comentários, pois sempre haverá críticas construtivas e negativas mas não se pode deixar abater.

Por Sirlene Montes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor

Bibliotecário

Biólogo



Os bibliotecários são os responsáveis por manter tudo em ordem, ou seja, gerenciar técnicas de catalogação, organização e classificação.

Coloque-se nesta situação: Você precisa encontrar imediatamente um livro ou documento em uma enorme sala com milhares de títulos. A situação pode ser aplicada a um computador também, você deve encontrar um arquivo dentro de bilhares. Não há catálogo de nada e está tudo uma bagunça. É uma situação bastante complicada, não é mesmo?

Acessar uma informação em meio a tantas outras não é uma tarefa tão fácil, para isso é imprescindível dispor de um profissional ágil e capaz de identificar dentro de um sistema os locais de armazenamento. Os que exercem funções deste tipo são os chamados bibliotecários.

Atribuições do Cargo de Bibliotecário:

Os bibliotecários são os responsáveis por manter tudo em ordem, ou seja, gerenciar técnicas de catalogação, organização e classificação. É possível comparar esta profissão com a de um administrador, afinal, ambos processam dados, preservam informações e simplificam processos.

Áreas de Atuação:

Engana-se quem acredita que os bibliotecários cuidem apenas de livros, documentos e revistas. A diversidade de atuação, com o avanço da tecnologia, expandiu o número de vagas e hoje em dia é comum que bibliotecários sejam responsáveis por gerir desde imagens, fotos a qualquer tipo de material digital.

Embora o computador seja um grande aliado, o profissional deve estar ciente de que a criação e manutenção de arquivos requerem concentração, dedicação, organização de ideias e até mesmo criatividade. Outra parte do trabalho conta ainda com a orientação adequada às pessoas na procura por informações.

O bibliotecário pode atuar em Escolas, Centros de Pesquisa, Associações, Acervos, Editoras, Centros Culturais, Museus, ONGs, Emissoras de Rádio ou TV, Provedores de Internet e em qualquer empresa que trabalhe com grande volume de dados.

Outro caminho que pode ser escolhido é o de Professor, a habilitação em licenciatura permite que os profissionais ministrem aulas.

Cenário Positivo:

Você sabia que a Lei Federal N. 12.244, impõe que até 2020 todas as instituições de ensino, privadas ou públicas de escolas do país tenham uma biblioteca escolar? Pois é, esse fato gera e garante empregos na área. Além disso, a área de tecnologia que a cada dia gera mais empregos, diversos concursos públicos definem o curso de biblioteconomia como requisito de participação, dessa forma, o profissional pode ainda atuar em órgãos do serviço público.

Como se tornar bibliotecário?

A profissão exige Ensino Superior em Biblioteconomia. É possível habilitar-se em licenciatura ou bacharelado. Com duração de 04 anos, os alunos podem escolher entre o ensino presencial ou a distância. Várias universidades públicas e privadas ministram este curso.

Qual o salário de um bibliotecário?

Segundo o guia de profissões da Catho, um bibliotecário ganha em médio de R$2.500,00 no Brasil. No entanto, vale lembrar que funcionários públicos ou professores, dependendo do local em que atuarem, podem ganhar acima da média comum.

Por Beatriz

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo

Auditor


O Auditor é muito requisitado pelas empresas atualmente, por isso é uma profissão com um amplo mercado de trabalho.

As atividades de um Auditor dentro de uma empresa são várias como análise constante de todas as atividades que envolvem algum tipo de ação na empresa de qualquer ramo ou porte.

O principal objetivo é certificar que todas as ações de planejamento e execução das atividades saiam de acordo com as leis ou diretrizes operacionais, além de assegurar que tudo ocorra da forma mais eficiente possível visando sempre os objetivos da empresa. Outra importante função do auditor é garantir que todas as operações da empresa sigam o plano de metas traçado e se estão sendo cumpridos à risca, com pena de intervenção no trabalho dos funcionários, ou seja, a auditoria é a responsável que todos os processos dentro de uma empresa funcionem corretamente visando ao bem estar de todos.

Para uma pessoa se tornar um auditor é necessário ter concluído o ensino superior nas áreas de administração, economia, ciências contábeis ou direito, mas nada impede que o auditor tenha concluído um outro curso e trabalhar na área, pois, uma pessoa pode ser formada em jornalismo e trabalhar como auditor de algum órgão público.

O mercado de trabalho para o auditor é muito extenso e pode variar desde pequenas empresas até grandes estabelecimentos comerciais ou multinacionais, pois toda empresa que tenha acima de 20 funcionários, o papel do auditor se torna necessário. O auditor também pode atuar no serviço público federal ou estadual.

Na hora da admissão no setor privado, o que conta muito para o candidato na hora de ganhar a vaga é a experiência anterior, ou seja, a formação acadêmica é importante, sem dúvidas, mas quanto maior a experiência do candidato, mais chances reais de contratação o mesmo tem. A maioria das empresas tem receio em contratar um auditor sem experiência, pois essa função exige muito aprendizado e um auditor que nunca trabalhou no cargo antes, tem grandes chances de fracassar ou ser demitido.

A média salarial de um auditor, dependendo do porte da empresa e da experiência do mesmo, pode variar entre R$ 2.800,00 até R$ 4.800,00, aproximadamente, mas se o auditor atuar no serviço público, os vencimentos podem ser ainda maiores. Vale a pena investir em uma carreira tão necessária e com salários bastante atrativos.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo

Agrônomo


O Agrônomo é responsável pelo preparo do solo, controle e combate de doenças e pragas além de supervisionar a colheita e controlar o seu armazenamento e a distribuição da safra.

O principal objetivo do Agrônomo, ou Engenheiro Agrônomo, é justamente trazer uma maior qualidade, bem como aperfeiçoar a produtividade de plantações e rebanhos. Trata-se de um profissional bastante importante e versátil, haja vista seu profundo conhecimento a cerca das técnicas de cultivo e criação. Sendo assim, o agrônomo poderá trabalhar em qualquer etapa da cadeia produtiva: plantio ou colheita no caso das plantações, da criação ao abate quando o assunto é o rebanho, além de poder atuar tranquilamente no processamento e comercialização dos produtos agropecuários.

Esse profissional possui grande importância no Brasil, pois o país é um dos expoentes na agricultura mundial e um dos principais criadores de gado do mundo. Dessa forma, o agrônomo também é responsável pelo preparo do solo, controle e combate de doenças e pragas além de supervisionar a colheita e controlar o seu armazenamento e a distribuição da safra.

Ao longo de sua formação acadêmica, o engenheiro agrônomo irá ter contato com disciplinas de caráter técnico e científico. Nos dois primeiros anos de curso, o chamado ciclo básico, o aluno irá estudar matérias relacionadas às Ciências Exatas e Biológicas, dentre as quais: bioquímica, biologia e estatística. Durante os últimos três anos, o estudante irá cursar disciplinas do ciclo profissionalizante que correspondem à subárea desejada. Além disso, cadeiras de gestão e administração também fazem parte da grade curricular do curso. Estágio e trabalho de conclusão de curso são obrigatórios. O curso tem duração média de 5 anos.

A lei 4.950-A/66 regulamenta a remuneração dos profissionais de engenharia bem como de outras áreas. Com isso, fica estabelecido o seguinte piso salarial: 6 salários mínimos para jornada de 6 horas, 7,25 salários mínimos para jornada de 7 horas e 8,5 salários mínimos para jornada de 8 horas. Em média, o profissional da área de agronomia irá ganhar pouco mais de R$ 4.000,00 no início da carreira, sendo que no escalão intermediário esse valor pode dobrar. No auge da carreira são comuns os salários bem acima de R$ 10.000,00.

O estudante de agronomia poderá optar por uma entre as várias áreas de atuação, dentre as quais: Administração rural, Economia e administração agroindustrial, Defesa sanitária, Ensino, Engenharia rural, Fitotecnia, Indústria e venda de alimentos, Melhoramento animal e vegetal, Manejo ambiental, Produção agroindustrial, Solos, Produção agroindustrial, dentre outras áreas.

Por Bruno Henrique

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social

Aspirante a Oficial do Exército

Auxiliar ou Assistente Administrativo


Os cargos exigem dos profissionais apenas o ensino médio completo e oferecem salário de R$1.100,00 a R$2.800,00.

O Assistente ou Auxiliar Administrativo é aquele funcionário essencial nas empresas, pois atua na parte da gestão, geralmente na área de finanças, fazendo balanceamentos de receita e despesas, ou de logística, gerenciando clientes e fornecedores, atualizando documentos, entre outras funções. Devido a esse fato o mercado sempre terá espaço para profissionais comprometidos e dedicados.

Para começar a carreira de auxiliar administrativo é necessário apenas o ensino médio completo, mas também deve-se contar com a sorte de alguma empresa confiar o trabalho a alguém sem experiência e formação. Tendo em vista esse fato, aqueles que visam um futuro na carreira se empenham em expandir o currículo com cursos de língua estrangeira, de informática e até mesmo um diploma de ensino superior ou técnico.

Os cursos profissionalizantes são aqueles que já apresentam um perfil predefinido pelo mercado de trabalho ou pelas empresas contratantes, são muito visados por aqueles que desejam ingresso rápido no mercado por ser de boa eficiência e ter curta duração, geralmente 6 meses. Tais cursos também acabam sendo de grande ajuda para aqueles que já trabalham em empresas, mas querem melhorar e ter mais chances de garantirem seu emprego conquistado. Atualmente, no Brasil existem várias instituições públicas e privadas que fornecem cursos profissionalizantes gratuitamente e apresentam qualidade. Existe também o programa Pronatec, criado em 2011, que financia tais cursos em redes Federais e Estaduais de educação. Já os cursos superiores, também chamados tecnológicos, são aqueles realizados nas faculdades e têm o maior destaque no currículo em relação aos outros sendo alguns deles: Logística, Secretariado, Gestão Financeira, entre outros. Todos estes são encontrados em universidades públicas e suas notas necessárias para o ingresso pelo ENEM não são altas em comparação aos cursos concorridos, o que acaba sendo um incentivo para aqueles que estudaram o ensino médio e não conseguem pagar uma faculdade privada.

O salário de um assistente administrativo varia no Brasil, segundo o SINE, de R$1.100,00 e R$2.800,00, sendo um influenciador direto a experiência do profissional, o currículo e o tamanho da empresa para qual trabalha, bem como a função que exerce na mesma.

Por Rodrigo Souza de Jesus


O ingresso no Exército pode ser feito por meio do alistamento militar ou prestando concurso para uma das escolas preparatórias de oficias do Exército.

Para quem deseja ou sempre sonhou em ingressar na carreira militar, talvez a opção de entrar para o Exército seja um dos maiores objetivos da vida. Entretanto, para entrar para esta respeitosa instituição, os futuros candidatos devem ter em mente que o sentimento de patriotismo e civilidade, além de um desejo imenso de servir ao país devem fazer parte de suas características pessoais.

Como ingressar numa carreira militar no Exército?

O ingresso tanto no Exército, quanto em qualquer uma das forças armadas, pode ser feito de duas maneiras: através do alistamento militar obrigatório para os homens a partir dos 18 anos. Estes devem se apresentar em qualquer Junta do serviço militar e, caso seja aprovado, ingressará na Força Armada de sua escolha. A outra opção é prestar concurso para uma das escolas preparatórias de oficias do Exército: a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (Especex), por exemplo, ou ingressar em alguns dos colégios militares que são espalhados por várias capitais brasileiras.

Ao ser admitido, o aspirante a oficial do Exército vai ser preparado em uma das academias militares a ser um integrante do corpo da corporação disposto a servir ao seu país, além de ser trabalhado junto um sentimento de responsabilidade e de respeito mútuo tanto a seus semelhantes quanto aos seus superiores.

Ao ser selecionado para seguir a carreira no Exército, o aspirante deverá frequentar uma academia militar, onde além de moradia e assistência médica e odontológica, o mesmo terá direito a uma remuneração que é chamada de soldo. O valor atualmente é de cerca de R$ 5.900,00 mensais. A duração do curso é de cerca de cinco anos, sendo que o primeiro ano é feito na Escola Preparatória de Cadetes e os outros quatro anos serão concluídos na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN).

Após a formatura dos aspirantes a oficias nas academias, estes são promovidos a segundo tenente e podem seguir carreira na vida militar. Uma das características deste tipo de profissão é estar sempre de mudança, já que o mesmo poderá estar sendo transferido constantemente para vários lugares a fim de servir nas várias unidades do Exército espalhadas pelo Brasil.

Por Emmanoel Freire Gomes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa

Assistente Social


O Assistente Social apoia e protege as pessoas que não estão tendo acesso a todos os seus direitos de cidadãos.

O Assistente Social é o profissional graduado no curso de Serviço Social e pode exercer a sua profissão na área empresarial ou na sociedade.

A função principal dessa carreira é apoiar e proteger pessoas que, de alguma forma, não estão tendo acesso a todos os seus direitos de cidadãos. Dessa forma, o intuito da profissão é intervir no cotidiano de famílias que encontram obstáculos ao ter acesso aos direitos mais básicos como saúde, emprego, higiene, habitação e educação.

A profissão, como o próprio nome já diz, busca dar assistência aos mais necessitados, buscando a integridade física, social e psicológica dos menos favorecidos.

Há um extenso leque de empregos para o profissional dessa área. Isto é, há a possibilidade de trabalhar em instituições privadas, nos órgãos públicos e também em ONG. Geralmente há muitos concursos públicos em que o trabalho é para prefeituras, Estados ou até mesmo para o governo e a missão é garantir o bem estar da população marginalizada, buscando a realização de projetos que atinjam crianças menos favorecidas; adolescentes que podem estar no caminho das drogas, do roubo e da prostituição e, claro, que o projeto estende-se também aos adultos, buscando dar a eles um pouco de dignidade, sendo ajudando a procurar emprego, oferecendo opções de tratamento para alcoólatras e drogados.

Outro papel muito importante, é dar suporte a idosos que não possuem família e de alguma forma, sofre maus tratos.

Quanto ao salário dos assistentes sociais, eles não possuem um piso salarial como tantos outros setores profissionais. Contudo, já existe um projeto de lei que visa garantir esse direito ao assistente social e visa fixar o piso salarial dessa classe de profissionais para cerca de R$3.800, além de fixar uma jornada de trabalho de aproximadamente 30 horas por semana.

Hoje em dia, porém já há algumas garantias ao assistente social que trabalham sem se vincular a uma outra instituição. Assim, do ponto de vista da hora técnica o assistente social com graduação pode ganhar cerca de R$120,00. Já aqueles que possuem especialização podem chegar a ganhar cerca de R$ 130,00. Aqueles que possuem mestrado podem receber por até R$ 165,00. E por fim, aqueles que tiverem doutorado recebem pela hora técnica, quase R$ 190,00.

Por Sirlene Montes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica

Assessor de Imprensa


O Assessor de Imprensa é o profissional responsável por divulgar algumas notícias para as pessoas físicas ou jurídicas.

Muito se houve falar sobre assessoria de imprensa. Mas no final das contas, pouco se sabe realmente sobre o que é um assessor e sobre o qual é o seu papel na sociedade.

O Assessor de Imprensa é o profissional responsável por divulgar algumas notícias para as pessoas físicas ou jurídicas e, dessa forma, procuram construir uma aliança poderosa entre a mídia e o público. É aquele que trabalha nos bastidores quando se encontra um furo de reportagem ou quando um escândalo é descoberto. Dessa forma, o assessor precisa fazer com que certas informações sejam mais bem aceiras pelo seu telespectador e é a partir desse princípio que começa a interagir com marketing, isto é, para tornar a notícia ainda mais interessante e preciosa sendo passada tanto nos telejornais quanto na internet, por meio de sites de notícias e as redes sociais.

Assim, o assessor é aquele que divulga os eventos, fatos e notícias, tudo que está acontecendo no Brasil e no mundo envolvendo celebridades do mundo político, da música ou até mesmo de Hollywood.

Há também chance de se conseguir um emprego em empresas preocupadas em melhorar o seu perfil e ampliar sua visualização de mercado o que consequentemente aumenta suas vendas.

Logo, em suma, o maior objetivo do assessor é comunicação interna; clipagem; mídia training; convocar entrevistas coletivas; elaborar Press – releases, em todas as etapas; adquirir a confiança e a credibilidade do público; aproximar os veículos de imprensa; aconselhar a postura do assessorado em mídia; encontrar as melhores notícias que possam dar muita repercussão na mídia.

A maior parte dos assessores de imprensa são graduados em Comunicação Social com especializações seja em Jornalismo ou Relações Públicas. Como a profissão é uma das melhores do Brasil, o salário pode chegar a até R$ 10.000,00.

Não há uma uniformidade dos salários do Brasil, pois cada sindicado estabelece um piso salarial diferente. Todavia, os salários são sempre altos para o atual mercado econômico brasileiro. Nesse sentido, os cursos universitários são muito concorridos em todo o país e aqueles que querem seguir carreira e deslanchar na assessoria, devem, com certeza, investir pesado nos estudos e se dedicar bastante, já que esta área é uma das que mais paga melhor seus funcionários no âmbito da comunicação.

Por Sirlene Montes

Outras Profissões:

Contador

Farmacêutico

Engenheiro de Produção

Analista de TI

Gerente de RH

Advogado

Arquiteto

Biomédico

Acupunturista

Almoxarife

Analista Comercial

Agente de Viagens

Aspirante da Aeronáutica


Saiba como ser um Aspirante da Aeronáutica e informações importantes sobre a carreira.

Na Força Aérea Brasileira (FAB), assim como no Exército ou na Marinha do Brasil, é muito usado o termo aspirante que nada mais é que a graduação que se dá ao militar depois de enfrentar os quatros anos de curso na Academia de Força Aérea (AFA).

Quando o aluno está fazendo o curso, a expressão usada é cadete e depois de formado, permanece nesse posto de aspirante durante aproximadamente 1 ano, para somente depois ser promovido ao posto de segundo tenente. Na verdade, o termo aspirante vem da redução do termo aspirante a oficial, ou seja, alguém que deseja, que aspira, ou tem aspiração para o cargo, mas que ainda não se tornou, de fato, sendo classificado como praça especial.

As funções do aspirante da aeronáutica podem ser as mais variadas como dentista, médico, enfermeiro, advogado, assistente social, contabilista e administrador e logo depois dos quatro longos anos de curso já são promovidos nessas profissões ou em outras de nível técnico.

O mercado de trabalho para essa profissão é a própria corporação das forças armadas brasileiras e as vantagens são muitas como a aposentadoria especial, ou seja, o militar pode traçar um plano de carreira e chegar a marechal geral, pois isso só vai depender do seu próprio esforço.

As forças armadas ainda continuam sendo um dos mercados mais disputados por muitas pessoas, pois além de oferecer salários atrativos, ainda tem estabilidade e inúmeros benefícios ao aspirante e sua família.

O salário do aspirante da aeronáutica, depois de formado, é bastante tentador chegando na casa dos R$ 6.268,00, o que faz muitas pessoas se ingressarem nesse serviço. É sempre bom lembrar que quanto maior o cargo na aeronáutica, maior o salário recebido que pode chegar a R$ 12.600,00 dependendo do posto.

A carreira nas forças armadas, em especial a aeronáutica, é bastante promissora, desde que o aspirante tenha muita disciplina, foco, e principalmente respeito aos superiores, as chances de se dar bem na profissão é imensa.

Mais informações sobre a profissão podem ser vista no site www.fab.mil.br e se você cumpre todos os requisitos, não perca a chance de ter uma carreira bastante promissora.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Acupunturista.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Almoxarife.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista Comercial.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Agente de Viagens.


O Agente de Viagens oferece ao cliente as melhores opções de pacotes, de acordo com altas e baixas temporadas. Por isso, é um profissional que precisa de diversas habilidades para lidar com o público diariamente.

O Agente de Viagens é sempre visto como uma pessoa que trabalha em agência, oferecendo atendimento e serviços aos clientes. Ele é então muito importante no momento de ajudá-los a escolher os melhores roteiros, preços e opções de viagens. Por isso, é um profissional que precisa de diversas habilidades para lidar com o público diariamente.

Quer saber mais sobre essa função? Então veja seguir mais detalhes sobre ela!

O que faz um Agente de Turismo?

Muito além de vender serviços no ramo de Turismo, o agente de viagem oferece ao cliente as melhores opções de pacotes, de acordo com altas e baixas temporadas. Além disso, indica melhores hotéis e companhias aéreas. Por causa dessas sugestões, deve ter conhecimento geográfico bem amplo. Em caso de imprevistos, como cancelamentos, ele é responsável por fazer trocas de passagens, por exemplo.

Assim, o profissional pode atuar dentro de uma agência ou de forma independente, como um consultor. Quando trabalha dessa maneira, deve ter certa experiência em viagens, com companhias aéreas e hospedando-se em hotéis e pousadas. Assim, é capaz de indicar aos clientes as melhores alternativas, de acordo com as necessidades de cada um deles.

Muitas vezes quando o agente de viagens independente é um pouco mais conhecido, recebe convites para se hospedar em hotéis e pousadas. A partir da sua experiência nesses locais, ele pode sugeri-los aos clientes. Existem casos em que também indica opções de passeios e lazer, como restaurantes e pontos turísticos.

Formação acadêmica:

Para trabalhar nessa função, geralmente é necessário ter feito graduação em Hotelaria e Turismo ou curso técnico na área, mas não é obrigatório. Em alguns casos, também é exigido conhecimento em alguma língua estrangeira, principalmente inglês ou espanhol.

Dessa forma, repertório cultural, habilidade em vendas e em lidar com pessoas são qualidades essenciais para o agente de turismo.

Média salarial:

O salário do agente de viagens varia de R$1.130 a R$2.846. Esses valores podem estar ligados ao porte de uma agência de viagens e nível de experiência do profissional (júnior, pleno ou sênior).

Assim, esse profissional é muito importante para quem deseja fazer uma viagem com segurança e bem planejada. Afinal, ele será responsável por oferecer e indicar as melhores alternativas para turistas e clientes em geral.

Por Camilla Silva

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Acupunturista.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Almoxarife.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista Comercial.


O Analista de DP é o responsável pelo andamento de todas as atividades do Departamento Pessoal de uma empresa com mais de 30 funcionários.

Toda empresa de que tem acima de 30 funcionários, por lei, deve ter um setor de Departamento Pessoal. O Analista de Departamento Pessoal geralmente é o responsável pelo andamento de todas as atividades do DP, além disso, é exigido que o profissional seja proativo, organizado, que tenha espírito de liderança, excelente relacionamento pessoal com os demais, que seja bem articulado com facilidade em falar e escrever corretamente e acima de tudo, que seja capaz de resolver conflitos.

Geralmente o Analista de Departamento Pessoal é formado em Ciências Contábeis, Administração ou Economia, mas nada impede que o profissional seja formado em qualquer curso superior ou tenha concluído algum curso na área de gestão de pessoas, como os cursos sequenciais. As exigências do mercado para o Analista de Departamento Pessoal estão cada vez maiores, por causa das enormes responsabilidades que a função exige. Há empresas que exigem até 03 anos de experiência anterior na função, curso superior em áreas afins e ótimo domínio em programas de gestão de pessoas.

As principais funções desse profissional são orientar e dar prioridade a todas as ações do departamento pessoal, prestar todo o suporte aos outros funcionários, aplicação correta das leis trabalhistas, implementar tais mudanças exigidas pelas leis, estar atento as decisões de todas as convenções coletivas dos sindicatos e se adequar a elas, ser responsável por todos os processos de admissão, demissão, folha de pagamento, férias e demais direitos trabalhistas, acompanhar todos os processos de homologação, além de representar a empresa perante a justiça do trabalho.

O mercado de trabalho para o Analista de Departamento Pessoal é muito amplo e vai desde pequenas empresas de qualquer segmento até multinacionais e escritórios de contabilidade em geral.

O salário médio inicial desse profissional, dependendo do porte da empresa, bagagem curricular e da experiência anterior, pode variar entre R$ 2.900,00 até R$ 3.700,00 mais benefícios trabalhistas. Vale lembrar que não se deve confundir entre Analista de Departamento Pessoal e Assistente, pois o Analista é o responsável pelo setor, já o assistente presta todo o suporte ao seu superior.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Acupunturista.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Almoxarife.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista Comercial.


O Analista Comercial realiza todas as atividades relacionadas a vendas.

Todas as atividades relacionadas a vendas nos diversos segmentos são funções do Analista Comercial. As atividades desse profissional são as mais variadas como planejamento e organização dos programas de vendas, avaliação de resultados segundo a política da organização em que se trabalha, prestação de contas dos resultados positivos e negativos a gerência comercial, dar todo o apoio a equipe de vendedores internos e externos da empresa, além de saber trabalhar sobre pressão e em cima de metas.

É de suma importância que o Analista Comercial conheça muito bem o produto ou serviço que trabalha e esteja sempre pronto para sanar quaisquer dúvidas que possam surgir por partes dos clientes ou subordinados. Muitas empresas exigem curso superior em áreas como Administração, Finanças, Economia e áreas afins para o cargo de Analista Comercial, além de uma vasta experiência em vendas de produtos ou serviços, dependendo do ramo da empresa.

Outros pré-requisitos indispensáveis são a proatividade, capacidade de relacionamento pessoal, dinamismo, domínio de informática e saber lidar com situações estressantes no dia a dia, além de ter disponibilidade para viagens e em casos mais específicos, possuir carro próprio.

O campo de atuação do Analista Comercial é muito amplo e pode abranger toda empresa que venda algum produto ou ofereça algum tipo de serviço, seja ele temporário ou definitivo. Empresas com os mais variados ramos de negócio desde que esteja relacionado com vendas presencial ou por telefone, tem em seu quadro de funcionários, o Analista Comercial. Uma das principais exigências pessoais que as empresas fazem é que o profissional saiba lidar com trabalho sobre pressão, o que nem sempre é fácil. Ambientes assim geralmente são bastante estressantes e cabe ao profissional ter toda a calma e tenacidade para lidar com isso.

A média salarial do Analista Comercial geralmente não é estipulada, pois esse profissional é comissionado, na maioria das vezes. Muitas empresas fornecem uma ajuda de custo e combustível e o ganho de resume em mera comissão, ou seja, se o profissional conhecer a fundo o produto que está vendendo, as chances de ser bem sucedido na carreira é grande.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Acupunturista.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Almoxarife.


O Almoxarife é responsável pela recepção, armazenamento e conferência dos mais variados produtos em armazéns, depósitos ou silos das empresas.

Os profissionais de almoxarife são responsáveis pela recepção, armazenamento e conferência dos mais variados produtos em armazéns, depósitos ou silos das empresas. Além disso, esse profissional faz todo o controle de estoque e monitoram a entrada e saída de todo o material, fazendo lançamentos nas planilhas de controle.

O almoxarife também é responsável pelo despacho dos materiais para a expedição bem como a organização de todo o setor. O profissional precisa ser uma pessoa bastante sociável, já que lida com pessoas o tempo inteiro, ter noções básicas de informática e digitação, ser proativo, saber se expressar corretamente e escutar os outros, ter boa vontade para ajudar os demais colegas do setor quando esses estão sobrecarregados, ter boas condições de saúde física e mental, raciocínio lógico e noções de matemática, capacidade de enxergar objetos de perto, ser cuidadoso para evitar acidentes, entre outros. O almoxarife deve também ter pleno conhecimento das mercadorias que manuseia para facilitar o seu trabalho, bem como saber operar máquinas empilhadeiras. Mas um dos principais requisitos das empresas é que o almoxarife realmente vista a camisa da empresa e seja uma pessoa que ela possa contar nos momentos críticos.

Para se tornar um almoxarife é exigido que se tenha ensino médio completo ou algo similar. Se o profissional tiver algum curso especializado na área, maiores são as chances de contratação e mais fácil fica o trabalho. Cooperação e iniciativa são duas grandes qualidades que todo profissional de almoxarife deve ter para se dar bem na profissão.

O mercado de trabalho para o almoxarife é vasto e pode ser empresas que comercializam produtos dos mais variados tipos, como lojas de peças de carros, material elétrico, hidráulico, suprimentos de informática, supermercados, comércio atacadista, grandes distribuidores e depósitos de empresas.

O salário médio inicial do almoxarife, dependendo de sua experiência e do porte da empresa, pode variar entre R$ 1.500,00 até R$ 2.200,00. Existem várias classificações para essa profissão que são as trainee, júnior, pleno e sênior e master. Quanto mais anos de experiência tiver, maior será o salário do almoxarife.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Acupunturista.


A acupuntura é muito conhecida e procurada pelas pessoas para resolver problemas de ordem emocional ou físico.

Hoje em dia, nessa correria diária onde o stress e a intolerância parecem que tomaram conta das pessoas, é muito comum que os mais afetados pelas mazelas da vida, recorram à conhecida medicina alternativa. A acupuntura é um dos mais conhecidos e procurados pelas pessoas para resolver problemas de ordem emocional ou físico.

A acupuntura é um tipo de medicina alternativa milenar chinesa que está muito em alta no mercado brasileiro, pois seus benefícios são vários em todos os aspectos. Essa eficaz prática trabalha com certos estímulos em determinadas partes do nosso corpo, normalizando as suas funções que antes não estavam em sintonia. Ao contrário do que muitos imaginam, o acupunturista não tem que ser formado em medicina, muito embora, não tem nada que impeça um médico de exercer a profissão. Para se tornar um acupunturista, é necessário ser formado em alguma área ligada a medicina como Psicologia, Farmácia ou Fisioterapia ou fazer um curso técnico de acupuntura ou medicina tradicional chinesa.

Depois de concluído o curso, o profissional ainda precisa ter boa visão, extrema sensibilidade, ser detalhista, muita capacidade de concentração, saber lidar com agulhas e demais objetos que cortam, ter interesse em medicina oriental, raciocínio rápido e firmeza nas mãos.

O acupunturista pode trabalhar com pessoas que tem quadro clínico de dores crônicas, insônias, ansiedade generalizada, dores na coluna, joelhos e articulações, estresse, problemas intestinais ou alérgicos e problemas psicológicos em geral.

Esse método milenar vem crescendo nos últimos anos e conquistando cada vez mais adeptos de todas as classes e idades. O campo de trabalho é muito amplo e o profissional pode atuar em clínicas diversas ligadas a área ou trabalhar por conta própria, o que pode ser mais rentável.

O salário é muito variável, mas para se ter uma ideia, uma sessão de uma hora de acupuntura pode chegar, dependendo da bagagem do profissional, a R$ 120,00. Muitos acupunturistas não têm um local fixo de atendimento e preferem se deslocar até a casa do cliente, já outros atendem em clínicas de estética parceiras, por isso esse profissional não tem um salário fixo como em outras áreas.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Biomédico.


Biomedicina realiza pesquisas na área da saúde humana, animal ou vegetal. É uma área bastante abrangente para atuação no mercado de trabalho.

A Biomedicina é a área das Ciências Biológicas responsável pela pesquisa na área de saúde, seja ela humana, animal ou vegetal. O Biomédico vem ganhando cada vez mais importância e relevância no mercado de trabalho. O mesmo é o responsável direto pela pesquisa, identificação e classificação dos microrganismos causadores de enfermidades. Além disso, o Biomédico também atuará na pesquisa quanto aos medicamentos e vacinas capazes de prevenir doenças e epidemias relacionadas a tais microrganismos.

Essa profissão vem ganhando bastante destaque devido ao vasto mercado de trabalho deste profissional, pois sua formação acadêmica é bastante ampla e oferece uma grande quantidade de áreas de interesse. Além daquilo que já foi citado, o biomédico também atua na investigação de tratamentos, efetua exames e interpreta seus resultados com objetivo de diagnosticar enfermidades, identifica possíveis contaminações em alimentos, faz análises hematológicas e moleculares, produção de bioderivados além da pesquisa e controle de qualidade de tais produtos.

O curso de Biomedicina é recheado de disciplinas das Ciências Biológicas em sua grade curricular. Sendo assim, aulas de bioquímica, fisiologia, microbiologia, bases moleculares, desenvolvimentos de doenças, estrutura e função dos tecidos além de aulas práticas de laboratório estarão presentes na vida do estudante de Biomedicina. Além disso, o curso também conta com ênfase na área de matemática, com destaque para estudos estatísticos, comunicação, metodologia científica e administração laboratorial. Nos últimos semestres do curso, o aluno deverá escolher uma área específica de atuação para estagiar e escrever sua monografia. A duração média deste curso é de 4 anos.

Não existe um piso salarial estipulado para os biomédicos, sendo que a remuneração dos mesmos pode variar bastante. Em média, o profissional ganha cerca de R$ 1.343,00 nos primeiros anos de atuação. O ganho referente ao escalão intermediário é de, em média, R$ 5.000 a R$ 8.000. No auge de sua carreira, o Biomédico chega a ganhar acima de R$ 10.000.

Uma das principais vantagens desta profissão é o grande número de área que o biomédico pode escolher para atuar. Dentre as quais, podemos destacar: Acupuntura, Análise Ambiental, Análises Bromatológicas, Anatomia Patológica, Biofísica, Biologia Molecular, Biomedicina Estética, Bioquímica, Farmacologia, Fisiologia, Fisiologia Geral, Fisiologia Humana, Genética, Informática de Saúde, Microbiologia, Microbiologia de Alimentos, Parasitologia, dentre outras áreas.

Grande parte dos biomédicos trabalha em laboratórios de análises clínicas e diagnósticos, seja em clínicas ou em hospitais. Porém, a demanda por esses profissionais na indústria farmacêutica vem crescendo bastante. Além disso, o setor de saúde pública é outro grande empregador de biomédicos.

Por Bruno Henrique

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Arquiteto.


O Arquiteto é responsável por um inteligente planejamento de utilização de espaços comerciais, residenciais e industriais.

O Arquiteto, depois de enfrentar os 5 anos de faculdade, finalmente pode colocar seus conhecimentos em prática da melhor forma possível.

O profissional é o responsável por um inteligente planejamento de utilização de espaços comerciais, residenciais e industriais. Primeiramente, ele faz um complexo projeto arquitetônico que pode ser feito no computador ou mesmo no papel, do ambiente em que vai atuar e pode utilizar os mais diversificados recursos técnicos e artísticos para o auxiliar na tarefa.

Dentre várias aptidões que esse profissional deve ter estão a capacidade de realizar desenhos e planejar espaços e ambientes de quaisquer tamanhos, além de conhecimentos matemáticos de cálculos precisos. Saber visualizar espaços nas três dimensões, ter uma capacidade de abstração, desenho, sensibilidade e ser flexível para se trabalhar em equipe, são algumas das características que todo arquiteto deve ter.

O mercado de trabalho para esse profissional é muito amplo e o setor privado é que absorve boa parte da mão de obra dos arquitetos. Empresas como construtoras, escritórios de engenharia e arquitetura e instituições de pesquisa são alguns exemplos.

O profissional pode se especializar em algumas áreas que podem ser o paisagismo, urbanismo, história da arquitetura, comunicação visual, arquitetura de interiores, computação gráfica ligada à arquitetura. As áreas mais procuradas para especialização, principalmente por jovens arquitetos recém-formados são a arquitetura de interiores e a computação gráfica da arquitetura. Vale lembrar que arquitetura não tem nada a ver com a decoração e as pessoas confundem as profissões por falta de conhecimento.

Todo arquiteto sempre deve estar ligado a novos recursos de computação que surgem no mercado que podem o auxiliar no seu trabalho e nunca deve deixar de acompanhar as tendências do mercado.

O salário médio inicial para um arquiteto com uma certa bagagem de conhecimento e experiência, dependendo do porte da empresa em que vai prestar serviço, pode variar de R$ 3.900,00 a R$ 5.900,00. Aqueles profissionais que são autônomos podem ganhar mais ou menos que isso, pois os ganhos são muito instáveis quando se trabalha por conta própria.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Advogado.


O Advogado pode atuar de diversas maneiras no mercado de trabalho devendo ter desenvoltura, boa argumentação e interpretação correta das leis, entre outras características.

O termo Advogado, na verdade, é usado erroneamente pela maioria das pessoas leigas, pois advogado é aquela pessoa que se graduou em Direito e que passou na prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e já tem o seu número de registro na entidade, podendo exercer a profissão. Já para quem apenas se formou em Direito, mas não tem a carteira da OAB, é chamado de bacharel em Direito, o que não o impede de trabalhar em sua área que por sinal é bastante ampla.

O Advogado pode atuar como defensor dos seus clientes na mais variadas áreas, como civil, penal ou trabalhista. O profissional deve estudar a fundo todo o processo e criar uma defesa convincente e compatível com as leis do país, na tentativa de ganhar a causa e como consequência, conquistar um maior número de clientes. O Advogado também pode se dedicar a carreira pública e atuar como juiz, delegado ou promotor, mas para isso é necessário se especializar na área e ser aprovado em um concorrido concurso público.

As principais aptidões que todo Advogado deve ter são capacidade de uma interpretação correta das leis, desenvoltura, boa argumentação e ávido gosto por leitura, especialmente as que se referem as leis nacionais.

O mercado de trabalho para o Advogado são as empresas públicas e privadas na área jurídica, órgãos públicos, escritórios de advocacia, assessoria jurídica de qualquer natureza ou magistratura. Cabe a cada profissional escolher o campo que melhor se identifica nessa ampla área.

Após a conclusão do curso na universidade, o bacharel em Direito pode se especializar nas mais diversas áreas de atuação como direito tributário, constitucional, civil, trabalhista, administrativo, do consumidor, penal e internacional. É recomendado a todo estudante de Direito que leia bastante sobre todas as especializações para saber sobre qual ele se identifica melhor para que não cometa erros durante a profissão por uma escolha errada.

O salário do Advogado é muito relativo e vai depender se ele é um servidor público ou se é um profissional liberal, ou seja, não se pode estipular um valor fixo de ganho para essa profissão, já que os ganhos são muito instáveis. Para um profissional em início de carreira, a média salarial varia de R$ 3.900,00 a R$ 4.800,00, dependendo da especialidade do Advogado e do seu campo de atuação.

Por Rodrigo Souza

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Gerente de RH.


Confira aqui um ranking com as 20 profissões em alta neste ano de 2017.

A cada ano que passa as pessoas têm buscado por carreiras que estejam em alta no mercado. Diante disso, especialistas apontam as 20 profissões que devem se destacar ano de 2017.

1-Analista de Compras: É o tipo de profissional muito buscado por empresas pois uma das suas principais funções é a capacidade de negociação com fornecedores, o que pode representar para a empresa uma economia em seus investimentos.

2- Analista Contábil: Que tenha domínio em inglês, é um profissional que até então é muito difícil de ser encontrado, mas é muito importante pois se encarrega de todas as operações da empresa.

3- Analista de Desenvolvimento Organizacional: Como o próprio nome diz, é o profissional que atua na organização de capital humano das empresas. Entre suas funções ele avalia, desenvolve projetos motivacionais e avaliações de resultados. Muito útil para pequenas empresas, que almejam uma maior projeção no mercado.

4- Analista de Planejamento Financeiro: Profissional que consegue ter uma visão dos negócios e busca por resultados.

5- Analista de Planejamento Tributário: É o profissional especialista em impostos e por isso tão requisitado.

6- Cientista de Dados: Especialista em dados. Aplicando-os através da tecnologia e da digitalização dos processos.

7- Consultor Comercial: Responsável por atrair clientes novos, expandindo os negócios.

8-Desenvolvedor Mobile: Desenvolvedor de aplicativos. Profissional altamente requisitado.

9- Diretor Financeiro: Responsável por todos os processos de finanças. Profissional ideal para tempos de crise.

10- Especialista em Supply Chain: Cuida desde a área de compra, logística, produção, até chegar o produto ao cliente.

11- Especialista em Interface do Usuário (UI): Especializado em tecnologia, cuida da aparência da empresa virtual.

12- Especialista em Experiência do Usuário (UX): Profissional que atua no relacionamento com o cliente no ambiente virtual.

13- Executivo Desenvolvedor de Negócios: Profissional que faz o intermédio de empresas, buscando parcerias que deem bons resultados.

14- Gerente de Acesso para a Indústria Farmacêutica: É o especialista em lançar produtos no mercado.

15- Gerente de Educação Contínua em Serviços Clínicos: Especialista em educar profissionais da saúde que atua em clinicas, laboratórios e hospitais, buscando oferecer uma qualidade melhor de atendimento.

16- Gerente de Vendas: Profissional com habilidade de vender e garantir lucro para a empresa.

17- Profissional de Melhoria na Modalidade Contínua: Está sempre desenvolvendo estratégias para conquistar melhores resultados.

18- Trade Marketing: Está de olho na performance do produto no mercado, bem como sua reputação, concorrentes. Sempre criando estratégias que deem mais visão ao produto e aumente as vendas.

19- Profissional de Vendas Técnicas: Conhece tudo sofre o produto, se relaciona em todos os processos de fabricação, conhecendo bem o que vende.

20- Supervisor de Planejamento e Controlador de Produção: Conhece bem os processos de produção e está em busca de melhorias , redução de gastos, maiores lucros.

Sirlene Montes


O profissional é solicitado em todo segmento empresarial justamente pela proatividade e a multifuncionalidade do seu cargo.

Mesmo sendo uma profissão presente em todo tipo de empresa, a área de gerência para recursos humanos ainda é pouco conhecida afundo, desde sua formação até a média salarial dos profissionais. Neste artigo desenrolaremos um pouco mais sobre os principais pontos da profissão.

Formação acadêmica:

Com o que trabalha um gerente de recursos humanos:

O gerente tem como objetivo em seu cargo desenvolver metas empresariais e coordenar seus funcionários para o cumprimento delas. Essas metas podem ser de planejamento, de salários, referentes às estruturas dos cargos, de gestão, etc, além de gerenciar planos de carreira e táticas de recrutamento, seleção, avaliação e treinamento para aqueles que ingressam nas empresas que atua.

A pergunta em torno da formação acadêmica necessária para trabalhar com Recursos Humanos é muito comum entre aqueles que desejam atuar na área. Há algum tempo, o cargo era ocupado principalmente por psicólogos, porém, atualmente, o leque de diversidade de formação é mais variado. No Brasil, a maioria dos profissionais é formada em Administração com ênfase em Recursos Humanos, seguida por Administração unicamente, Psicologia e até mesmo Direito. A verdade é que para muitos cargos empresariais, a experiência e o conhecimento diversificado podem ter mais peso do que um curso acadêmico específico. Conta muito também especializações como MBA em Recursos Humanos. O que um gerente precisa saber para ser um profissional bem-sucedido no RH é o desenvolvimento e a gestão de pessoal, a legislação trabalhista, matemática financeira, contabilidade, saúde e segurança do trabalho.

Média salarial:

O que vai definir a média salarial de um gerente de RH é o porte da empresa e o seu nível profissional. Numa empresa de pequeno porte, por exemplo, o valor pode variar, de um trainee até um máster, de R$ 3.321,00 até R$ 9.485,00. Já numa empresa de grande porte a variável é de R$ 7.472,00 a R$ 21.342,00!

Mercado de trabalho:

O mercado de trabalho para os gerentes de recursos humanos é favorável, tendo em vista que as empresas precisam elaborar táticas e planejamentos devido à concorrência e até mesmo a crise econômica atual. Outra vantagem é que o profissional é solicitado em todo segmento empresarial justamente pela proatividade e a multifuncionalidade do seu cargo.

Por Anna Karolina Velasques

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.


O profissional é responsável por criar, instalar e manter a infraestrutura que envolve a informática.

As profissões que mais estão em alta no momento e cuja tendência é cada vez abranger mais mercados são as profissões da área de Tecnologia da Informação.

O Curso Técnico em Sistemas de Informação é uma ótima opção para quem deseja se inserir neste mercado sem precisar cursar o nível superior. Aliás, para estes profissionais não existe crise, sempre há vagas.

Atualmente a TI é utilizada nos mais variados setores industriais e produtivos, possibilitando ganhos nos processos e de eficiência das empresas, o que para o desenvolvimento é essencial.

O que faz o técnico em Tecnologia da Informação?

É o profissional cuja atuação nas empresas é responsável por criar, instalar e manter a infraestrutura que envolve a informática. Atualmente, é um profissional essencial para que as operações das empresas sejam bem-sucedidas, aliás, atualmente a informática está envolvida em todas as operações industriais, partindo de projetos, produção e até o produto final.

Um profissional com formação técnica em Tecnologia da Informação pode atuar em várias áreas e por isso os valor das remunerações podem variar, a depender da função exercida.

Veja a seguir quanto ganham, em média, os profissionais que ocupam funções nos principais setores desta carreira que só tende a crescer:

As pesquisas apontam que apesar do cenário de crise econômica, pela qual o Brasil vem passando, os salários de profissionais de SI tiveram uma alta que vai de 2 a 10%, somente esse ano.

Em empresas de médio porte, os profissionais com formação técnica em SI, recebem salários de acordo com o nível profissional que ocupam nas empresas. Dessa forma, um trainee recebe em torno de R$ 1267,50. O nível Júnior R$ 1457,63. O pleno R$ 1676,27. O Sênior R$ 1927,71 e o Master R$ 2216,87.

Salários relativamente bons para um cargo de nível médio. Já para profissionais com bacharelado e outros cargos os salários podem chegar a R$20.000.

Diante disso, não há dúvidas. A carreira que tem oferecido as melhores remunerações do mercado, são de fato as de Tecnologia da Informação.

Contudo é preciso saber que não basta apenas a formação tecnóloga na área, o profissional precisa mostrar do que é capaz. Pois assim as chances de promoção e de remunerações maiores aumentam.

Por Sirlene Montes

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Analista de TI.


O Analista de TI é responsável por prover os recursos de TI, ou seja, adequar seu uso corretamente para dispor e manter todas as informações em segurança.

Hoje tudo gira em torno da tecnologia e também são geradas muitas informações. Voltando um pouco no tempo, os computadores eram grandes máquinas que tornavam algumas tarefas possíveis de ser executadas, ou seja, automatizava diversas ações.

Com o passar dos anos, a tecnologia foi evoluindo e as máquinas gigantes foram diminuindo seu tamanho físico, no entanto, aumentando sua capacidade de processamento e armazenamento das informações.

Além disso, todos estes equipamentos passaram a evoluir sua tecnologia, a telecomunicação aos poucos foi permitindo que estas máquinas se comunicassem entre elas por longas distâncias.

Primeiro vem a informação…

Mesmo com todo o avanço da tecnologia, a superação das distâncias para as telecomunicações, a informação vem antes de tudo isso. E trabalhar com a informação é o centro de toda esta evolução.

A informação é valiosa!

O termo “Tecnologia da informação” é popular devido ao alto valor que a informação possui. A informação fez com a tecnologia fosse desenvolvida e alcançasse níveis jamais imaginados em outros tempos.

Para empresas, entidades governamentais e não governamentais, pessoas, a informação não são apenas bits e bytes unidos, mas sim um conjunto de dados que se transformam em um patrimônio de valor.

A importância da informação é tão essencial que muitos negócios podem ser destruídos ou descontinuados. Por exemplo, do que seria uma instituição financeira sem todas as informações de seus clientes, se caso ela perdesse todos os dados relacionados a valores de cada um, conta, entre outras informações?

Profissional de TI:

Existem profissionais que cuidam das informações. E um desses profissionais é o Analista de TI.

O Analista de TI é responsável por prover os recursos de TI, ou seja, adequar seu uso corretamente para dispor e manter todas as informações em segurança.

A sua função é entre várias atividades planejar, instalar, configurar e administrar as redes que estão interligados os computadores. Dimensionar requisitos para tráfego de informações, definir quais ferramentas serão utilizadas, especifica quais programas e aplicativos são importantes para manter todo serviço em plena execução.

Monitora e avalia todo o desempenho da rede, cria políticas de segurança para a rede, além de prestar suporte aos usuários.

Além de toda esta responsabilidade ele elabora documentações e procedimentos para que todo o serviço seja mantido em perfeitas condições, prevenindo contra falhas da rede.

Formação do Analista de TI:

A formação de um Analista de TI envolve graduação em análise de sistemas, ciência da computação, sistemas da informação e gestão de TI.

São diversas oportunidades que aparecem no mercado e a média salarial está variando dependendo do tamanho da empresa e experiência do profissional entre R$ 1.908,08 a R$ 7.872,70 (fonte: Banco Nacional de Empregos).

O nível profissional é escalado em Trainee, Júnior, Pleno, Senior e Master e seguindo a escala o tempo de experiência é de 2 anos (trainee), 2 a 4 anos (Júnior), 4 a 6 anos (Pleno), 6 a 8 anos (Senior) e mais de 8 anos (Master).

Os Estados que mais buscam estes profissionais são: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Um dado interessante é que as oportunidades são para profissionais com nível superior.

Por Marcio Ferraz

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro de Produção.


O Engenheiro de Produção será responsável pelo gerenciamento de recursos humanos, financeiros e materiais com a finalidade de elevar a produtividade e a rentabilidade de uma empresa.

O engenheiro de produção está em alta no mercado de trabalho, haja vista o mesmo ser essencial em todo e qualquer empreendimento, não importando o setor ao qual ele pertence. Dentre as atribuições fundamentais do engenheiro de produção, podemos destacar que o mesmo será responsável pelo gerenciamento de recursos humanos, financeiros e materiais com a finalidade de elevar a produtividade e a rentabilidade de uma empresa.

Com isso, este profissional será capaz de assimilar os conhecimentos de engenharia com técnicas de administração e fundamentos de economia, fazendo dele um dos profissionais mais versáteis do mercado. Dessa forma, o engenheiro de produção é capaz de criar métodos e procedimentos que elevem a produtividade do trabalho, aprimoram a produção e coordenam as atividades logísticas, financeiras e comerciais de uma empresa.

A formação acadêmica do profissional de engenharia de produção é bastante interessante, haja vista o uso de conhecimentos de engenharia aplicados a áreas da economia e da administração. No início do curso, os estudantes terão contato com as disciplinas básicas das engenharias que irão fornecer uma base sólida para o aprofundamento em matemática financeira, por exemplo. Nas específicas o aluno irá encontrar cadeiras como, por exemplo, gestão de investimentos e organização do trabalho. Já nos anos finais, o graduando será apresentado as disciplinas de Sociais Aplicadas, com destaque para administração e economia, além de começar o estudo na área de especialização escolhida. O curso possui duração de 5 ano.

Com destaque para a Lei 4.950-A/66, os profissionais de engenharia possuem salário amparado por este lei que estabelece: 6 salários mínimos, para os profissionais com jornada de 6 horas diárias; 7,25 salários mínimos, para os profissionais com jornada de trabalho de 7 horas diárias; e 8,5 salários mínimos para aqueles que com jornada de trabalho de 8 horas diárias. Em média, o engenheiro de produção ganha acima de R$ 4.000,00 no início de carreira, sendo que os profissionais mais experientes do mercado ganham mais de R$ 40.000,00 por mês.

Devido à formação bastante ampla, o engenheiro de produção irá encontrar um mercado de trabalho bastante vasto. Algumas das áreas de atuação são: Engenharia do trabalho, Controle de qualidade, Desenvolvimento organizacional, Produção mecânica, Planejamento e controle, Produção química, Produção civil, Produção de materiais e Produção elétrica.

Por Bruno Henrique

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Farmacêutico.


O farmacêutico é o responsável pelo estudo da composição de medicamentos, alimentos industrializados e cosméticos, sendo que o mesmo orienta o processo de fabricação de tais produtos.

O mercado de trabalho para farmacêuticos no Brasil vem crescendo a cada ano. É nada menos que o sexto maior mercado farmacêutico do mundo, sendo que a expectativa é que se torne o terceiro até 2018. Com isso, o curso de Farmácia está sendo cada vez mais procurado. O farmacêutico, por sua vez, é o responsável pelo estudo da composição de medicamentos, alimentos industrializados e cosméticos, sendo que o mesmo orienta o processo de fabricação de tais produtos.

Além disso, também está entre as atribuições do farmacêutico a pesquisa e o teste de substâncias de possam vir a fazer parte da composição de remédios, cosméticos, alimentos e produtos de higiene pessoal. Trata-se de um profissional com conhecimentos amplos, haja vista o mesmo também cuidar da parte do registro de drogas, distribuição e comercialização dos produtos além de verificar se as normas sanitárias estão sendo obedecidas.

Durante a sua formação acadêmica, o estudante de Farmácia entrará em contato com disciplinas das áreas de física, química e biologia durante todo o curso. Já na área profissional das disciplinas, o aluno irá estudar, por exemplo, toxicologia e tecnologia farmacêutica e de cosméticos. A parte mais interessante da graduação fica por conta das aulas práticas, em laboratórios especializados, que irão ocupar grande parte da vida acadêmica do estudante. Apresentação de um trabalho de conclusão de curso e estágio são obrigatórios para a emissão do diploma. O curso possui duração média de 5 anos.

É importante destacar que não existe um piso salarial pré-definido para os farmacêuticos. Com isso, a remuneração dos mesmos varia de acordo com a área de especialização do mesmo, a região onde trabalha, carga horária, dentre outros fatores. A média salarial deste profissional é R$ 2.700,00. No auge da carreira a média mensal pode ultrapassar R$ 6.000,00.

Um dos pontos positivos desta profissão é o grande número de áreas de atuação disponíveis. O farmacêutico pode atuar, por exemplo, na área de alimentos onde irá analisar como se dá a ação de diversas substâncias no organismo humano, bem como controlar a qualidade dos alimentos. Na área de análises clínicas e toxicológicas, ele será responsável pela análise de material biológico com a finalidade de detectar doenças causadas por agentes infecciosos. Na área ambiental, o farmacêutico irá controlar a qualidade da água, do solo e do ar em regiões adversas.

Os principais empregadores de farmacêuticos no Brasil são: Laboratórios de análises clínicas, Hospitais públicos e privados, Institutos de pesquisa, Vigilância Sanitária e Indústrias de medicamentos, cosméticos ou alimentos.

Por Bruno Henrique

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Contador.


O profissional de ciências contábeis irá coordenar e controlar todos os registros de negócios envolvendo uma empresa, por exemplo.

O contador é um dos profissionais mais requisitados no mercado brasileiro, por isso, o curso de ciências contábeis vem sendo cada vez mais procurado em todo o país. O contador é o responsável direito pelas contas de uma empresa, sendo que para isso ele trabalha com registro e controle das receitas, das despesas e do lucro da empresa. Trata-se de um profissional fundamental para pequenas, médias e grandes empresas além de pessoas físicas.

O profissional de ciências contábeis irá coordenar e controlar todos os registros de negócios envolvendo uma empresa, por exemplo. Tais registros podem ser compras, investimentos, vendas e aplicações feitas pela empresa. O principal objetivo é destacar uma visão ampla e precisa do patrimônio em questão. Além disso, será ele quem irá interpretar dados e eventos econômicos referentes à empresa, com a finalidade de disponibilizar informações aos dirigentes da empresa de forma que os mesmos possam tomar decisões sobre o rumo da companhia. Além disso, dentre as atribuições do contador, podemos destacar: registrar os fatos administrativos, efetuar o pagamento de tributos, traçar planos de investimentos, auditoria e perícias contábeis, dentre outras atividades.

Os primeiros anos do curso de ciências contábeis são preenchidos com as chamadas disciplinas do ciclo básico, dentre as quais podemos destacar: português, sociologia, direito, administração e cadeiras de economia. Tais disciplinas irão assegurar que o estudante possa aprofundar os conhecimentos através do ciclo profissional que conta com disciplinas da área técnica e gerencial, dentre as quais: planejamento e contabilidade financeira, teoria da contabilidade, legislação comercial, planejamento tributário, auditoria e perícia, direito e etc. A maioria dos cursos exige estágio obrigatório e trabalho de conclusão de curso. A duração média do curso é de 4 anos.

Vale destacar que os contadores não possuem um piso salarial pré-estabelecido que seja válido em todo o país. Tudo irá depender da região onde o mesmo trabalha, área de especialização, o cargo exercido, o porte de da empresa e etc. Além disso, o faturamento da empresa é um ponto fundamental em relação a remuneração do contador.

Em média, em pequenas e médias empresas, no início da carreira, o contador poderá ganhar entre R$ 2.500,00 a R$ 4.000,00, sendo que o salário em grandes empresas pode variar de R$ 4.000,00 a R$ 6.000,00. Já o contador de escalão intermediário pode ganhar entre R$ 5.000,00 a R$ 8.500,00. No auge de sua carreira os salários partem de R$ 7.500,00, sendo que é possível ganhar além de R$ 40.000,00 em cargos de Diretor Financeiro/CFO em grandes empresas, por exemplo.

O contador possui uma vasta opção de especialização, as principais áreas de atuação são: Auditoria, Atuarial, Controladoria, Consultoria, Ensino, Gestão de Empresas, Fiscal, Gestão pública, Perícia contábil e Pesquisa.

Por Bruno Henrique

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Engenheiro Civil.

Clique aqui e saiba mais sobre a profissão de Administrador.


Algumas áreas são mais requisitadas que outras no momento atual do mercado de trabalho.

Com a atual crise que assola o nosso País, as empresas tentaram equilibrar os gastos eliminando funcionários e despesas. Até outubro deste ano (2016), o total de admissões foi de 12.683.293 e desligamentos de 13.435.109, bem maior do que o número de admitidos, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), os dados podem ser consultados no site da instituição: http://bi.mte.gov.br/eec/pages/consultas/evolucaoEmprego/consultaEvolucaoEmprego.xhtml#relatorioSetor.

Com o atual cenário econômico os candidatos precisam fazer a diferença, oferecer mais produtividade com qualidade e aceitar novos desafios e funções.

Algumas áreas inovadoras tendem a crescer mesmo no cenário de crise, tais como: compliance, tecnologia e finanças.

A seguir serão listadas 10 profissões mais buscadas pelas empresas e suas características:

1) Profissional de plataformas mobile e web: É preciso profundo conhecimento no desenvolvimento em DevOps, Java e Groovy visando mobile, além de conhecer as ferramentas mais utilizadas de web como: Android e IOS. Média salarial: 11mil reais.

2) Gerente tributário: Possui formação em direito ou contábeis e preferencialmente com pós-graduação ou MBA em direito tributário além de inglês fluente. Seu papel profissional é garantir a atualização da empresa com as obrigações fiscais para assim reduzir a carga tributária tornando o negócio mais eficiente. Média salarial: 15 mil reais.

3) Coordenador/gerente de infraestrutura: Formação em ciências da informação ou sistemas. O profissional se responsabiliza por gestão de TI (infraestrutura) como as áreas de suporte, telecomunicações e data center. Média salarial: 15 mil reais.

4) Controller: Com formação em administração ciências contábeis, ou economia, o profissional deve acompanhar a operação financeira da empresa criando indicadores, divulgando-os para a matriz ou acionistas. Média salarial: 18 mil reais.

5) Departamento jurídico (Head): O profissional é generalista, atuando de forma consultiva. Como o nome sugere, será o responsável pela demanda jurídica da empresa, atuando como consultor e gerindo o contencioso, bem como pelo orçamento da área e claro gestão da equipe da área. Média salarial: 15 mil reais.

6) Gerente de tesouraria: Formado em administração, ciências contábeis, engenharias ou economia com MBA em finanças. O profissional é responsável por controle do capital de empresas. Deve ter conhecimentos em conciliação bancária de médio/longo prazo, controle e projeção do fluxo de caixa. Média salarial: 20 mil reais.

7) Gerente de contencioso de volume: É um profissional com perfil híbrido da área administrativo-financeira com foco na área cível, recuperação de créditos e ações indenizatórias, além é claro de gerir na área trabalhista devido ao alto fluxo de pessoas no ano. Média salarial: 12 mil reais.

8) Gerente de inteligência de mercado: É uma atuação analítica, capaz de raciocínio atualizado e lógico, gerir atividades do mercado de inteligência, como: dados de consumidores, concorrência, cenários e tendências definindo assim políticas e processos. Média salarial: 10 mil reais.

9) Advogado sênior da área de M&A: O profissional deve possuir experiência na execução de fusões como elaboração dos atos societários. Isso devido à tendência que os investidores estrangeiros possuam poder aquisitivo das empresas desvalorizadas do País. Média salarial: 11 mil reais.

10) Profissional de marketing digital: Deve possuir conhecimento e experiência do utilizador e mídia online. Deve possibilitar a gestão da estratégia digital, atuando prospectando vendas e leads, realiza análise do mercado como tendências identificando assim as oportunidades de serviços, produtos, informações e claro soluções pelo ramo digital. Média salarial: 10 mil reais.

Como pode-se notar, as áreas são bem seletivas, porém já era de se esperar que as empresas busquem alternativas para contornar a crise, evitando assim falência por isso todos os profissionais citados acima são treinados para prospecção, gerência de equipes, administração e finanças, então quem deseja estar preparado para o mercado deve pesquisar as áreas e obter o aperfeiçoamento requerido para concorrer nesse seletivo mercado de trabalho.

Por Erica de Souza





CONTINUE NAVEGANDO: