Greve Geral 2017 – Informações e Quem deve Participar

  

  

Confira aqui mais informações e quem deve participar da Greve Geral 2017.

O dia 28 do mês de abril de 2017 será um dia para entrar para a história do Brasil, uma vez que está programado para este dia uma paralização geral, convocada pelos mais importantes sindicatos do país, como forma de protesto contra a terceirização e as reformas trabalhista e previdenciária que o governo atual propõe.

Segundo informações das entidades sindicais envolvidas, diversos setores público e privado de todo o país devem aderir à greve, que é convocada pela Central única dos Trabalhadores, a CUT, pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, a CTB, a CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular), Intersindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical, Nova Central, Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).


O que já pode dar uma noção sobre a dimensão que a greve terá, uma vez que compreende todos os setores do funcionalismo. Nesse sentido, a expectativa é de que essa seja a maior paralização geral do Brasil.

A expectativa de uma greve com essa proporção se deve ao fato de que os temas a serem protestados atingem a população brasileira, principalmente a questão da reforma previdenciária, que envolve 90% dos brasileiros.

Diante disso, devem participar da greve geral, em todos os estados brasileiros:

– Trabalhadores de Transporte Público;

  

– Bancários;

– Aeronautas;

– Funcionários públicos;

– Professores;

Profissionais da indústria;

– Líderes religiosos.

Além disso, prometeram também participar, servidores públicos federais, estaduais e municipais, servidores do Judiciário e comerciários. Somente na categoria de Bancários já confirmaram pelo menos 23 estados.

Nesse movimento todos são bem vindos e muito esperados, como professores das redes municipais, estaduais, universitários e da rede privada, pois essa categoria influenciam bastante as demais pessoas.

Pretende-se com a greve geral do país cumprir-se ao menos um direito que é fundamental e assegurado pela nossa Constituição Federal, o de protestar, deixar claro que o povo é resistente ao que é proposto pelo governo de Michel Temer, que somente enfraquece os direitos dos brasileiros, trabalhadores. A greve geral é um movimento legítimo que se manifestará em uma grande voz que clama por uma sociedade justa com menos desigualdades.

É importante ressaltar que embora já exista muitas presenças confirmadas, só após a greve acontecer é que se terá a sua dimensão real, para assim sabermos se ela realmente é a maior greve que o país já teve.

Os brasileiros de todos os estados com certeza enfrentarão um dia de caos, contudo, neste momento talvez essa seja a única forma de terem voz.

Sirlene Montes

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *