Engenheiro de Software – Carreiras Promissoras para 2018





O Engenheiro de Software está cada vez mais valorizado e requisitado no mercado de trabalho. Confira o que faz, quanto ganha e qual a formação necessária para se tornar um profissional da área.

A área de Engenharia de Software vem se destacando cada vez mais no mercado de trabalho, haja vista a constante expansão de aparelhos como smartphones. Com isso, o engenheiro com formação nessa área vem sendo mais valorizado, pois ele é o responsável pelo desenvolvimento e criação de aplicações, programas computacionais e softwares em geral.

Com cerca de 14 mil empresas atuando no setor de Tecnologia da Informação no Brasil, o mercado de trabalho para o engenheiro de software está bastante aquecido. Dessa forma, a demanda pelo curso de formação superior nesta área vem crescendo a cada ano que se passa, assim como as oportunidades no mercado de trabalho.

O que faz um engenheiro de software?

O engenheiro de software tem como principal responsabilidade o desenvolvimento de software e programas computacionais como, por exemplo, aplicativos para smartphones. Com isso, o mesmo é capaz de projetar e testar novos programas, sendo que também faz parte de suas atribuições à manutenção e revisão de programas em geral. A quantidade de programas é bastante vasta e vai desde aos aplicativos, jogos e plataformas digitais até mesmo aos sistemas embarcados e específicos como é o caso de bancos de dados médico e bancário.

A grande dúvida é quanto à diferença entre um engenheiro de software, cientista da computação e engenheiro da computação. Muita gente acha que são a mesma coisa. O cientista da computação atua em áreas mais teóricas como é o caso da criação de modelos matemáticos, algoritmos além da formação lógica de processos que são integrados a aplicativos e dispositivos eletrônicos e mecânicos. Já o engenheiro da computação está diretamente ligado à área de hardware, sendo sua principal atribuição desenvolver e construir computadores, peças de computadores e hardwares em geral.

Formação Acadêmica

A formação acadêmica desse profissional é, sem sombra de dúvidas, um dos pontos mais interessantes dessa carreira. Sendo o curso da área de exatas, o aluno da graduação será submetido aos cursos básicos de física e matemática do ensino superior. Dessa forma, em seus primeiros períodos o mesmo será familiarizado com tópicos de Cálculo Diferencial e Integral além do curso de Física Básica. Além disso, tópicos básicos da área profissional como, por exemplo, algoritmos e programação de computadores, métodos numéricos, teoria da eletrônica também irão acompanhar o estudantes em seus primeiros anos de faculdade.

Após o ciclo básico, que dura cerca de dois anos, o aluno passará a cursar as cadeiras mais específicas do curso. Sendo assim, disciplinas como métodos de desenvolvimento de softwares, arquitetura de computadores, estruturas de dados e algoritmos, sistemas de bancos dados, técnicas de programação dentre outras disciplinas farão parte de sua grade curricular.

Média salarial

Outro fator que vem impulsionando a área de engenheira de software é a remuneração dos profissionais. Mesmo trabalhando em pequenas empresas, dificilmente um recém-formado neste curso ganhará menos de R$ 3.000,00. Segundo o site Love Mondays, a média salarial desse profissional é de R$ 8.790,0 por mês. Saiba que o salário cresce de acordo com o porte da empresa, bem como a experiência e o currículo do engenheiro. Um engenheiro sênior em uma grande companhia ganha acima de R$ 15.000,00.





Por Bruno Henrique

Engenheiro de Software

Confira outras Carreiras Promissoras para o ano de 2018:

Cientista de Dados

Estatístico

Gerontologia

Gerente Comercial



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *